24 de jul de 2010


Lionel Richie
vem cantar no Brasil

Ele já vendeu mais de 100 milhões de discos graças a mistura de baladas românticas com canções dançantes. O cantor pop norte-americano Lionel Richie vem cantar no Brasil. O ex-vocalista do grupo The Commodores fará shows no dia 28 de agosto, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo; e no dia 29 de agosto, na HSBC Arena, no Rio de Janeiro.
Sobre a temporada no Brasil, ele disse à revista Época desta semana que esperou demais para cantar no Brasil. “Uns 15 anos! Sabe , vou aproveitar a viagem para fazer minha pesquisa. Pretendo conhecer alguns músicos, sair com outros, criar relacionamentos para, quem sabe, cantar com eles”.
Compositor de sucessos como Truly, All night long, Hello e Endless love. A gravação do single contou com a participação de 45 artistas e ajudou a arrecadar milhões de dólares na campanha contra a fome na África em 1985. Este ano, produziu, junto com Quincy Jones, uma nova versão da canção em favor das vítimas do terremoto do Haiti.
Richie acumula em sua carreira cinco Grammys, 18 American Music Awards, um Globo de Ouro e cinco People’s Choice Awards, além de ter seu nome assinado na calçada da Fama em Los Angeles em 2003.

Richie também é coautor com Michael Jackson do hit We are the world é um LP gravado em janeiro de 1985 por 45 dos maiores nomes da música , com o objetivo de arrecadação de fundos para o combate da fome na África. Os 45 astros formaram o grupo Usa for Africa. O single, o LP e o clipe renderam cerca de 55 milhões de dólares:


Bombou na web
nesta semana
O rapper 50 Cent fez uma surpresa especial para os fãs brasileiros, na semana passada. Depois de apresentar um dos seus hits, ele começou a cantar algo parecido com os gritos da torcida de futebol, uma sequência de "olê, olê, olê". Eis que surge no palco ninguém menos que Ronaldinho Gaúcho, com roupas largas e dançando como um típico rapper americano. O vídeo do encontro de talentos teve quase 1, 5 milhão de visualizações.




Uma empresa russa colocou um burro para voar de paraquedas numa ação publicitária.O animal foi amarrado ao equipamento e sobrevoou o mar, a vários metros do chão. Segundo frequentadores da praia, que fica no sul da Rússia, o burro dava berros de desespero com a brincadeira de mau gosto. Os organizadores podem ser punidos com até dois anos de prisão, por crueldade contra animais. Houve 200 mil acessos.


Um jogador da segunda divisão do futebol chileno decidiu resolver suas diferenças com o árbitro de uma forma inusitada. Em vez dos habituais xingamentos e gestos obsenos, ele tentou estrangulá-lo. Interrompido por atônitos companheiros do time, acabou ganhando o cartão vermelho. O vídeo teve mais de 1 milhão de acessos.


(Fonte: revista Época)

23 de jul de 2010




E, ela chega aos 60 anos

Estou entre aqueles que não esquecem de ter dirigido um dia um veículo desconfortável, lento, barulhento, com a direção parecida com a de um ônibus etc e tal. Estou falando da “velha” Kombi, que apesar de tantos desaforos está completando , em 2010, 60 anos, e que é o único veículo da Volkswagem que está há mais tempo em produção e que o Brasil é o único lugar, no mundo, onde o modelo ainda é produzido.

O nome Kombi vem do alemão Kombinationfahrzeug que quer dizer "veículo combinado" (ou "veículo multi-uso", em uma tradução mais livre). O conceito por trás da Kombi surgiu no final dos anos 1940, idéia do importador holandê Ben Pon que anotou em sua agenda desenhos de um tipo de veículo inédito até então, baseando-se em uma perua feita sobre o chassi do Fusca. Os primeiros protótipos tinham aerodinâmica terrível, porém retrabalhos na Faculdade Técnica d Brauschweig deram ao carro, apesar de sua forma pouco convencional, uma aerodinâmica melhor que a dos protótipos iniciais com frente reta. Testes então se sucederam com a nova carroceria montada diretamente sobre a plataforma do Fusca, porém, devido a fragilidade do carro resultante, uma nova base foi desenhada para o utilitário, baseada no conceito de chassi monobloco. Finalmente, após três anos passados desde o primeiro desenho, o carro ganhava as ruas em 8 de março de 1950.

O grupo Brasmotor passou a montar o carro no Brasil em 1953e a partir do dia 2 de setembro de 1957 sua fabricação - o que faz do veículo o primeiro Volkswagem fabricado no Brasil, e o que esta há mais tempo em produção. O Brasil é o único lugar no mundo onde o modelo ainda é produzido.


22 de jul de 2010

Documento raro
A cantora Dalva de Oliveira canta Primavera no Rio, marchinha de Braguinha, acompanhada pela atriz Leila Diniz.

As imagens são de um dos últimos shows da cantora, no antigo Vivará. O show aconteceu no mesmo ano em que as duas artistas faleceram, 1972: Leila em julho e Dalva no mês seguinte.
De JFK para frente, ela se tornou famosa por questionar todos os presidentes dos EUA
Ela não perdoou Bill Clinton pelo seu envolvimento com a estagiária Monica Lewinski

Obama parou uma entrevista coletiva para parabenizar Helen pelo seu aniversário


Helen Thomas, decana da Casa Branca,
retira-se após declarações
polêmicas sobre Israel

Helen Thomas, uma das primeiras mulheres a fazer jornalismo político, deixou a carreira depois de ter defendido que os judeus deviam «pôr-se a andar» do Médio Oriente.
Depois de uma vida dedicada ao jornalismo e à Casa Branca, Helen Thomas, de 89 anos, acabou a carreira ao proferir umas declarações polêmicas sobre o Médio Oriente.
Helen Thomas defendeu, recetemente, que os judeus devem ir «para casa», para a «Holanda, Alemanha ou Estados Unidos».
O porta-voz da Casa Branca considerou as declarações ofensivas e Helen Thomas pediu desculpas no seu site pessoal, mas a polêmica perseguiu-a e a empresa para a qual trabalhava anunciou a reforma da jornalista. O famoso vídeo – veja abaixo – no qual Helen fez a declaração polêmica, foi gravado pelo rabino Nesenoff. E aconteceu, por acaso. Segundo o rabino, antes de abordá-la, “tudo que eu queria era dizer ‘Olá’ e apresentá-la a dois jornalistas em início de carreira”. Nesenoff havia acabado de reativar seu modesto site e pretendia transformá-lo num canal de notícia em vídeo, com mensagens sobre tolerância e em defesa da causa israelense.
Questionada sobre o que achava do Estado israelense, Helen disparou: “Tell them to get tthe hell out of Palestine” (“Diga a eles para darem o fora da Palestina”. Surpreso, Nesenoff perguntou para onde deveria ir a população do país, ao que a jornalista replicou: “Para casa: Polônia, Alemanha, América e qualquer outro lugar...porque empurrar para fora pessoas que viveram lá por séculos?”.
E por conta disso foi encerrada, de forma melancólica, uma brilhante carreira.



Começa amanhã

a primeira turnê, no Brasil,

da banda californiana Fishbone


Comandado pelo cantor e saxofonista Dr. Madd Vibe, alcunha do músico Anglo Moore, um dos pioneiros na arte de pular sobre o público, o grupo mostra toda sua pluralidade musical. Entre os ritmos, fartas pitadas de funk, punk e ska, mistura vista também em trabalhos do Red Hot Chili Peppers.

O septeto californiano foi formado no final da década de 1970 já lançou sete discos de estúdio e teve um ligeiro sucesso em meados da década de 1990, impulsionado por turnês em conjunto com as bandas Red Hot Chili Peppers e Beastie Boys e por apresentações no festival norte-americano Lolapalooza. O septeto californiano foi formado no final da década de 1970 já lançou sete discos de estúdio e teve um ligeiro sucesso em meados da década de 1990, impulsionado por turnês em conjunto com as bandas Red Hot Chili Peppers e Beastie Boys e por apresentações no festival norte-americano Lolapalooza. A turnê traz músicas de todos os álbuns lançados, incluindo canções de sucesso como Party ar Ground Zero, Give it Up e Behind Closed Doors.
A temporada começa em Curitiba (Village Batel), amanhã; dia 24, no Rio de Janeiro (Circo Voador) dia 25 em São Paulo, no Carioca Club.

Passando o tempo com

as vacas dançarinas

O vídeo e a música acima foram feitos pelo inglês Cyriak Harris. Harris afirma usar Photoshop e After Effects para a animação e Fruity Loops para a música [ele vende a música, por 0,89 centavos de libras]. Harris escreve: Nenhuma vaca foi machucada durante a produção deste vídeo, apesar de suas perspectivas para o futuro provavelmente não serem tão otimistas. Oi?

(detalhe: surrupiei do bombounaweb)

21 de jul de 2010


Erro na Copa do Mundo
ocorre novamente

Um lance que ficou famoso (negativamente) na Copa do Mundo de 2010 foi o gol não dado à Inglaterra nas oitavas de final contra a Alemanha. Em um chute de longa distância, a bola de Lampard bateu no travessão e quicou dentro do gol. Árbitro e auxiliar nada viram. Nesta terça-feira, o mesmo ocorreu em uma partida do Mundial sub-20 feminino de futebol.

A prejudicada da vez foi a França e mais uma vez a Alemanha é quem saiu no lucro. Após cobrança de uma falta na lateral esquerda, uma jogadora francesa bateu da intermediária. A bola bateu no travessão, próxima do ângulo esquerdo, e claramente quicou dentro do gol. Sem a paralisação do árbitro, a goleira alemã pegou a bola e deu seguimento à partida, enquanto as rivais reclamavam veementemente.

Com o resultado de 4 a 1 para a Alemanha, a França foi eliminada.



Por UOL Esporte às 08h43
Uma noite em 67
Vai entrar no circuito comercial, no próximo dia 30, o filme Uma Noite em 67, que foi mostrado na última segunda-feira, no III Paulínia Festival de Cinema foi de contrastes. O documentário de Ricardo Calil e Renato Terra revive um momento importante na música brasileira: 21 de outubro de 1967, quando acontece a final do III Festival de Música Popular Brasileira da TV Record. A plateia daquele festival há 43 anos, empolgada, chegava a urrar quando seus ídolos subiam ao palco. O público do cinema em Paulínia, ainda que em menor escala, também vibrou muito com o filme.
Esse dia 21 de outubro de 1967 foi a data do famoso episódio envolvendo o músico e compositor Sergio Ricardo que, de tão nervoso com o público que não parava de vaiar, quebrou um violão ao sair do palco, sem conseguir se apresentar. Nessa mesma noite, Caetano Veloso conquistou a mesma plateia com suas guitarras elétricas em Alegria, Alegria.
Conforme matéria do portal UOL, durante a coletiva de imprensa, na manhã de terça, os diretores confessaram que não foi fácil montar o filme, pois possuíam vasto material de arquivo e de entrevistas. “Foi um processo longo, cerca de seis meses, montando e remontando. Tínhamos uma proposta radical, queríamos depoimentos em primeira pessoa, de quem realmente esteve presente naquela noite de premiação”, explicou Terra.
Para Calil, que também é crítico de cinema, o documentário consegue comunicar-se não apenas com as pessoas que na época acompanhavam os festivais de música na televisão, mas também com os jovens. “Pela reação do público [na sessão da noite anterior e em festivais de cinema, como o É Tudo Verdade, em abril passado], notamos que existe uma demanda, uma curiosidade sobre o período dos festivais. Nossa esperança é de que o filme desperte ainda mais interesse pelo período”.
Entre os entrevistados do longa estão Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque de Holanda, o próprio Sérgio Ricardo e Edu Lobo – cuja canção “Ponteio” venceu o festival de 1967. Apesar de todos serem muito receptivos, alguns deles exigiram um pouco mais. “Para falar com o Roberto houve algumas especificidades. Quem conduziu a entrevista foi o crítico e musicólogo Zuza Homem de Mello, amigo dele. Mas nós estávamos presentes e também pudemos fazer perguntas. Depois, o cantor quis ver o filme pronto para liberar o uso de sua imagem”, contou Calil.
Vejam depoimento de Roberto Carlos:

20 de jul de 2010



Como funciona o Teatrokê

No Teatrokê, o palco

é também da plateia

Conheço algumas experiências teatrais que permitem a interatividade mais próxima do espectador com o espetáculo mostrado no palco, tirando assim a plateia da posição de passividade diante do exibido. O diretor paulista José Celso Martinez Corrêa, do Grupo Oficina, é um dos pioneiros, pois até participei de encenação coletiva de peça Pequenos Burgueses, de Máximo Gorki, lá pelos anos sessenta do século passado, numa encenação histórica, na quadra do Sesc-Senac, em plena ebulição daquela geração libertária de 1968.

Essa participação direta público/atores também passa por constrangimentos, quando o ator desce do palco e vai até à platéia com a finalidade de provocar “diálogos” com pessoas presentes. É forçar a barra: não vale. Outras fórmulas, mais recentes, incluem julgar as ações dos personagens em votações a respeito do destino de personagens...

Mas o que eu quero falar mesmo pra vocês é sobre uma experiência teatral que está fazendo o maior sucesso em São Paulo: o Teatrokê, sob a direção do Ricardo Karman. É uma nova modalidade de espetáculo em que o público interpreta personagens de improviso.

Essa encenação é o maior barato. E o texto, da melhor qualidade:


Amelia circulando pelo centro da Capital cearense

Foto de Fortaleza feita pela aviadora

Amelia Earhart:

uma mulher à frente
do seu tempo

Depois de 73 anos que esteve em Fortaleza, a aviadora Amelia Earhart é comentada na Capital cearense, agora como personagem do filme sobre sua vida - em cartaz nos cinemas locais. Ela fez escala na cidade, em 1937, quando realizou voo ao redor do mundo e fez fotos de Fortaleza. No mês seguinte, ela morreu, em condições misteriosas, quando sobrevoava o Pacífico. Enquanto o mistério não é esclarecido, dezenas de teorias continuam dominando. Uma das mais difundidas é que Amelia teria sido enviada como espiã do governo americano e foi capturada e morta pelos japoneses. Outra diz que ela teria voltado, com identidade falsa, para os Estados Unidos. A mais famosa aviadora de todos os tempos foi também líder na luta pelos direitos femininos, empresária, designer de moda e amante anticonvencional. Agora, a mulher-lenda alça voo no cinema, num filme estrelado por Hillary Swank.

Sinopse do filme

De Mira Nair. Com Ewan McGregor, Hilary Swank, Mia Wasikowska, Richard Gere, Christopher Eccleston, Joe Anderson.Hilary Swank interpreta a aviadora, Amelia Earhart, símbolo da liberdade americana, que tem como parceiro George Putnam, seu editor e amante, com quem mantém um relacionamento tempestuoso, movido pela ambição, e por um grande amor, cujo vínculo não consegue ser quebrado nem mesmo por um breve romance apaixonado entre Amelia e Gene Vidal. Drama. 115 minutos. 12 anos. | UCI Iguatemi 07: 19h30.


O homem que desmentiu

Vinicius de Moraes


Ele via a cidade grande com olhar e linguagem de caipira

O poeta Vinicius de Moraes cometeu uma grande besteira quando afirmou que São Paulo era “o túmulo do samba”. Festeja-se, no próximo mês (ele nasceu no dia 6/1910 e faleceu em 1982), o centenário de nascimento do homem que, ao lado de Paulo Vanzolini, desmentiu, categoricamente o poetinha: o cidadão nascido com o nome de João Rubinato, mais conhecido como Adoniran Barbosa.

São dele clássicos atemporais como Trem das onze, Saudosa maloca, Samba do Arnesto, As mariposas, Tiro ao Álvaro e tantos outros que passaram para a galeria da Música Popular Brasileira.



Encontro antológico: Elis Regina e Adoniran

19 de jul de 2010


O Alquimista vai virar
história em quadrinhos

O livro O Alquimista, de Paulo Coelho, vai ser transformado em história em quadrinhos. A publicação, lançada há mais de 20 anos, já ultrapassou 30 milhões de cópias vendidas mundo afora com tradução para mais de 60 idiomas. A versão em quadrinhos deve sair em dezembro, nos EUA, com desenhos de Daniel Sampere (“Vampirella”) e capa do designer Vitor Ishimura. O romance também deve ganhar uma adaptação para o cinema, produzida pelos irmãos Weinstein e dirigida por Lawrence Fishburne.

Paulo Coelho revelou em seu blog oficial que o romance O Alquimista irá ganhar uma versão em quadrinhos no mês de setembro.

O livro está sendo adaptado por Daniel Sampere, criador da série Vampirella. O Alquimista será lançado no mercado norte-americano pelo selo Sea Lion Books, em parceria com a editora Harper Collins Publishers.

Em seu blog, o escritor brasileiro comentou que a HQ é fiel à história original, e divulgou algumas páginas dos quadrinhos (veja na galeria ao lado). Derek Ruiz, vice-presidente do Sea Lion, declarou que o objetivo da adaptação é fazer com que a obra de Paulo Coelho chegue a um tipo de público que normalmente não se interessaria pelo escritor.

O Alquimista foi lançado em 1988 e vendeu mais de 30 milhões de cópias em todo o mundo. O livro também deve dar origem a um filme.

Ainda não foram divulgadas informações sobre um possível lançamento dos quadrinhos de O Alquimista em português.


Passando o tempo com a tartaruga Timid Timmy (Timmy Tímido) que foi rejeitada pelas demais em um criadouro na Inglaterra e acabou isolada. Então ganhou dos criadores um boneco em forma de tartaruga para fazer-lhe companhia. Funcionou. Timmy se afeiçoou tanto ao boneco que até divide suas folhas de alface com ele.

18 de jul de 2010


A verdade sobre o caso

entre Marilyn Monroe e

John Kennedy

Dentre as histórias explosivas e lendas sexuais mais fascinantes do século passado, certamente o relacionamente entre o presidente dos Estados Unidos, John Fitzgerald Kennedy (1917-1963) e a atriz Marilyn Monroe (1926-1962), é um dos mais festejados. Quanto durou o caso entre o maior símbolo sexual dos Estados Unidos com JFK? Muitos escritores, entre os quais o romancista e crítico de cinema francês François Forestier, que destrinchou a vida de ambos no livro Marilyn e JFK, conta que o caso durou seis anos. Errado.

Estou lendo o livro A Vida Secreta de Marilyn Monroe, no qual o autor, J. Randy Taraborreli, remexe a história da atriz e explora documentos da FBI. Ele destrinchou boatos e concluiu que os dois foram para a cama, no máximo, duas vezes.

Vejam um trecho do livro:

“Realmente, ao contrário de décadas de relatos especulativos sobre um longo relacionamento da artista com o presidente Kennedy, foi talvez duas noites de paixão. Segundo um agente de segurança do presidente, que pediu o anonimato, declarou: “Se houvesse existido um envolvimento, eu saberia. Foi só um final de semana, só isso”. Outro agente declarou :”Na época (1962), todos nós sabíamos sobre o final de semana. Foi só quando ela e o presidente já estavam mortos que as pessoas começaram a falar sobre um romance. Ninguém falava nisso em 1962”.

Outra parte do livro interessante é o relato do autor sobre a célebre noite, no aniversário do presidente, quando Marilyn canta 'Happy Birthday, Mr. President (vejam vídeo), no Madison Square Garden, em Nova York, no dia 19 de maio de 1962.

O autor conta detalhes.

Vestido: O estilista Jean Louis desenhou um vestido que, segundo ele “só Marilyn pudesse vestir. Então, desenhei um vestido aparentemente desguarnecido, o mais desguarnecido de todos, e depois aliviei a transparência com lantejolas e contas”. O vestido não era forrado, e Marilyn não usava roupas de baixo. O vestido foi vendido em um leilão, em 2007, por 1,27 milhão de dólares).

A apresentação

Naquela noite, o palco esta tomado por muitos artistas famosos reunidos para comemorar o aniversário de JFK. Frank Sinatra, Ella Fitzgerald, Jack Benny, Henry Fonda...

Cada um deles subia ao palco para se apresentar depois de ser chamado, de maneira digna e respeitosa pelo mestre de cerimônia, o ator britânico Peter Lawford.

Quando Marilyn foi apresentada, o holofote buscava a lateral do palco e então...nada. Ela não aparecia. Todos riram. Afinal tornara-se piada nem tão reservada o fato da atriz ser uma mulher com quem ninguém podia contar. Quando ela, enfim, subiu ao palco o teatro explodiu de aplausos.

Peter Lauwford a viu caminhar insinuante em sua direção, os passos restritos pelo corte do vestido justo. Depois de fazer um último comentário para arrematar a piada da noite- “Senhor presidente, a atrasada Marilyn Monroe”.

E ela começou a murmurar com voz sexy : “Parabéns a você. Parabéns...senhor..pre-si-den-te. Ela levou as mãos à testa para proteger os olhos da luz brilhante , esperando ver mais claramente o homenageado. E iniciou o canto. Terminado o primeiro verso , fez um sinal para a plateia acompanhá-la em coro. “Todo mundo! Parabéns para você...” A plateia respondia ao convite, cantando e tentando acompanhá-la em sua regência meio errática com os braços .

Quando ela terminou a apresentação, um homem se aproximou de Marilyn por trás. Enquanto as câmeras cortavam para um bolo de aniversário que era levado ao centro do palco. E ela era retirada para fora da área e para longe do momento do qual tanto desejava: beijar o presidente. Mas, muitos pensavam que ela estava imprevisível e instável demais naquela noite. Kennedy, nos bastidores, expressou sua gratidão à ela, dizendo: “Agora posso me aposentar da vida política, depois de ouvir você cantar Parabéns a você, em minha homenagem naquela voz tão doce e pungente”.

Detalhe: a primeira dama Jackie Kennedy não compareceu. Várias fontes relataram que Jackie deixou claro para JFK sua insatisfação sobre o seu relacionamento com Marilyn.