26 de dez de 2009


foto foi tirada dentro do avião que os levou aos EUA
Pai e filho aparecem sorrindo, felizes
A rede de TV americana NBC divulgou imagens em que David Goldman e seu filho Sean aparecem sorrindo, aparentando felicidade pelo reencontro. As fotografias foram tiradas dentro do avião fretado pela NBC, na viagem de volta aos EUA, após uma batalha judicial com a família brasileira do garoto. Segundo a reportagem, que mostrou cenas de carinho entre o pai e o filho, Sean a princípio estava reservado, mas logo se abriu, brincou bastante e até começou uma guerra de comida dentro do avião. "É um milagre de Natal", disse David Goldman, durante a entrevista. Em outro trecho divulgado pela NBC, Goldman disse que, "com o tempo", vai permitir que a avó de Sean o visite nos Estados Unidos. Em entrevista concedida à rede de TV norte-americana NBC, que fretou o avião para levar pai e filho para os Estados Unidos, Goldman falou emocionado sobre o reencontro.
Fonte: Coluna do Cláudio Humberto

25 de dez de 2009


Finalmente o caso do garoto Sean Goldman, nove anos, foi resolvido. Depois de uma longa batalha judicial, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, determinou que a criança fosse entregue ao pai biológico, o norte-americano David Goldman. Acompanho o caso desde o ano passado, quando a imprensa brasileira, pela primeira vez, via a revista Piauí, abordou o problema que vinha se arrastando desde 2004. E o restante da mídia brasileira continuava calada, pois a questão envolvia gente poderosa (família do jurista Lins e Silva) do lado materno do garoto.
Mas, a questão é outra.
A raiz do problema está lá atrás, quando a mãe do menino foi dos Estados Unidos para Paris, em viagem de turismo, e de lá veio para o Brasil. Chegando aqui, ligou para o pai (nos Estados Unidos) dizendo que não voltaria mais. E, arranjou outro marido. Ela morreu quatro anos depois (2008).
Ora, é cristalino o direito, em caso de desaparecimento de um dos pais, a guarda do filho fica com o outro, neste caso com o pai. Só em caso, de comprovado, pela Justiça, o despreparo (por algum motivo que seja) , a guarda do menor é destinada a outros abrigos. Primeiro, os avós maternos ou paternos.
O problema, que deveria ser resolvido entre os familiares do pequeno, logo após a morte da mãe, na base do entendimento, tornou-se uma batalha jurídica e também política entre Brasil e Estados Unidos.
Finalmente, a Justiça brasileira operou com sabedoria, devolvendo a criança a quem de direito: o pai. Agora, compete à justiça norte-americana acompanhar o comportamento do pai na criação do filho. Aí, é uma outra história que começa com a convivência entre os dois.

22 de dez de 2009


Linguagem dos sinos
é considerada
patrimônio histórico
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (IPHAN) tombou, recentemente, como patrimônio imaterial a linguagem dos sinos existentes em São João Del Rei, em Minas Gerais. A linguagem dos sinos é uma curiosa tradição colonial preservada pelos moradores da cidade. Através deles, os habitantes da cidade são avisados sobre os horários das missas, os dias santos e diferentes tipos de comemorações até nascimentos, enterros e incêndios.
Há um dia na cidade em que nenhum sino toca, seja qual for o motivo. Isso ocorre na quinta-feira santa, depois do Glória da Missa de Instituição da Eucaristia até o Glória da Ressurreição. No domingo de Páscoa, são tocados os sinos de todas as igrejas, de maneira festiva.Em São João Del Rei os sinos dobram desde a fundação da cidade, no início do século 18. E, de geração de sineiros a geração posteriores, a tradição chega com força até os dias de hoje.


Marta, a melhor do mundo da Fifa
pela quarta vez seguida


Brasileira supera a alemã Prinz e torna-se a recordista de conquistas
De Rafael Maranhão, de O Globo:
Pelo quarto ano consecutivo, a craque Marta leva para casa o prêmio de melhor jogadora do mundo oferecido pela Fifa. A brasileira foi coroada em cerimônia realizada nesta sexta-feira, em Zurique, e tornou-se a recordista em número de prêmios Fifa (quatro, uma a mais que a alemã Birgit Prinz, que era uma das cinco finalistas).

21 de dez de 2009

As voltas que o mundo dá. Eu aí, entrevistando o Belchior, no auge da carreira dele, lá pelos anos 80 do século passado
Belchior desaparece, de novo

Pois é, o cantor Belchior desapareceu, de novo. Quem deu a notícia foi o ex-empresário dele Célio Silva, que trabalhou com ele em um dos momentos mais movimentados do artista cearense, entre 1997 a 2007. Em entrevista à revista Billboard, o empresário disse que a hora de Belchior voltar é agora. “Se demorar muito esfria”, conta.
Segundo ele, no dia seguinte da entrevista que o artista deu ao Fantástico, em agosto passado, quando reapareceu, o telefone não parava de tocar, em seu escritório, todo mundo querendo saber onde poderia se reencontrar com o Belchior. “Agora o complicado disso tudo é que ele desapareceu mesmo. Ele deu uma reaparecida no Uruguai, e depois sumiu. Ninguém sabe dele”.
O primeiro “desaparecimento” foi noticiado, em reportagem assinada pela jornalista Mariana Filgueiras no site Palma Louca. O texto acabou pautando no domingo seguinte, o Fantástico, da TV Globo, que espalhou pelo Brasil a notícia. Houve quem acreditasse que era tudo estratégia promocional arquitetada pelo cantor. Na entrevista à Billboard, o ex-empresário dá a entender que, se fosse armado, tal golpe não daria certo.
Segundo Célio, há cerca de dois anos, tudo mudou. “O Belchior era um cara alegre, chegava no escritório rindo, contando piadas. Ficou triste. O comportamento dele mudou. Percebi que ele queria se afastar. Ele foi mudando o celular, o e-mail...Depois queríamos marcar uma reunião para fechar o nosso ciclo de trabalho, mas nunca conseguimos. Meses depois, fiquei sabendo dessas histórias nada agradáveis que apareceram nos jornais”.
Antes de ser localizado no interior do Uruguai, Belchior teve reveladas situações pouco gloriosas. A pri meira reportagem do Fantástico tornava pública sua dívida de R$ 18 mil junto a um estabelecimento, além de acusá-lo de passar cheques sem fundos e deixar filhos, parentes e amigos sem saber do seu paradeiro.