22 de mai de 2010

Bombou na web
nesta semana

Seguindo a linha “me engana que eu gosto”, outro sucesso na rede foi um grupo de atores que estrelam “documentário” sobre um novo tipo de esporte: andar na água. Mesmo com a clara intenção de fazer humor, muita gente acreditou na performance. O vídeo aproxima-se de incríveis 2 milhões de acessos.






Também difícil de acreditar é o novo cobertor que isola o odor dos, digamos, flatos noturnos, “silenciosos, mas mortais!”. O cobertor seria feito com um tecido especial usado pelo Exército americano para evitar a contaminação dos soldados por armas químicas. Mais uma vez, a discussão foi entre os que acreditam na oferta e os que apenas riram dela como uma piada. Foi visto por 1,3 milhão de internautas.




Isso que é por pouco.







Fonte: revista Época

21 de mai de 2010


Google homenageia o

Pac-Man nos seus 30 anos

Quem abrir a home do Google.com, a página mais acessada do mundo, não vai encontrar, hoje, a logomarca do tradicional centro de buscas, mas uma versão online do game Pac-Man. A mudança é uma referência ao 30º aniversário da criação do clássico game, originalmente chamado de Pakkuman por seu criador, o japonês Tohru Iwatani.

O programador Iwatani criou o game há exatas três décadas (no dia 22 de maio), quando trabalhava para a Namco.

O jogo chegou aos Estados Unidos após ser licenciado para Midway, responsável por massificar o acesso ao game no mundo e torná-lo um dos jogos mais populares de todos os tempos.

Pac-Man tornou-se uma febre nos anos 80, quando foi licenciado para várias plataformas. Uma das versões mais conhecidas do game é a distribuída para Ataris, na mesma década.

O logo exibido hoje pelo Google permite jogar o game usando as setas do teclado do PC. Sons são reproduzidos normalmente e e dá para jogar em dois no Pac-Man do Google, clicando uma segunda vez em Insert Coin. O primeiro jogador movimenta o Pac-Man com as teclas direcionais ou com o mouse, o segundo com as letras WASD.

Já postei, já faz um tempão, um dos vídeos mais engraçados criados e produzidos por Rémi GAILLARD. O trabalho é uma homenagem bem-humorada ao Pac-Man:

Google anuncia sistema que une TV e internet

O Google anunciou nesta quinta-feira (20/05), durante o evento I/O, em São Francisco, o sistema Google TV, que une a internet com a televisão. A empresa já trabalha em conjunto com a Sony e a Logitech para colocar o aplicativo nos aparelhos. De acordo com o gerente do produto, Salahuddin Choudhary, os equipamentos devem chegar ao mercado americano ainda este ano.

A ferramenta, que trabalha em conjunto com o navegador Google Chrome, permite que o usuário acesse sites pela TV e alterne entre a programação televisiva e a internet.

“Com toda a internet na sua sala, a TV torna-se mais do que uma TV – pode ser um visualizador de fotos, um console de games, um leitor de músicas e muito mais”, escreveu Choudhary no blog da companhia.

O sistema roda no Android e promete facilitar a busca por programas de televisão. O usuário apenas digita o nome da atração que deseja assistir que o Google TV a encontra. “Se preferir navegar em vez de fazer uma busca, você pode usar o seu guia de programação padrão, o DVR ou o a tela inicial do Google TV, que permite acesso rápido a seus conteúdos preferidos”, explicou Choudhary.

Deu no Comunique-se

20 de mai de 2010

A censura de Dilma

A assessoria da candidata Dilma Rousseff, disse ao presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkoski, que não seria tolerada a exibição, durante participação da candidata em evento da entidade ontem, do vídeo sobre a peregrinação e um prefeito por gabinetes de Brasília em busca de verbas para sua cidade. O vídeo está aí embaixo:



A falta que uma implosão faz

Moro no bairro do Papicu há quase vinte anos e quando cheguei por aqui vivíamos numa traquilidade, sem medo, sem criminalidade. Passear na lagoa, ver jogo de futebol, sentar num banquinho na calçada... e caminhar pelas ruas bucólicas do bairro. Tempos bons aqueles. Hoje em dia tudo mudou: as pessoas estão com medo. Assaltos a toda hora. Terrível.

E essa minha conversa toda é para dizer que o bairro está badaladíssimo no You Tube, com vários vídeos, tudo por conta da implosão do prédio da Brahma, ocorrido no último domingo. E naquele dia, pratiquei um exercício que há tempos não fazia no bairro: caminhar pelas margens da lagoa do Papicu, tranquilo e sem temor de ser abordado por bandidos. Uma delícia, aquela manhã. E nem a implosão vi, tal era o meu contentamento em sentir, bem pertinho, a beleza da lagoa, apesar daquela obra da natureza esteja tão maltratada pelos esgotos que para lá são canalizados.

Motivo de tanta paz: todas as ruas no entorno da Brahma estavam repletas de policiais civis, do Ronda do Quarteirão, guardas da AMC e da Prefeitura, e também do Corpo de Bombeiros. Segurança máxima para a população. Os ladrões não pintaram no pedaço, como acontece todos os dias.

E eu fico cá a imaginar: que bom seria que todos os domingos acontecesse uma implosão por aqui. Certamente estaríamos seguros para passear pelas ruas, sem medo.

19 de mai de 2010

Talento na publicidade

A publicidade para vender cerveja, por aqui no Brasil, é apelativa e sempre usa o corpo da mulher para persuadir os consumidores. Vi esse viral e fiquei encantado com a criatividade de peça publicitária.

De primeira categoria.

Vejam:


Foto vencedora no Prêmio Abril de Jornalimo 2010 na categoria “fotojornalismo”. Feita pelo fotógrafo Alexandre Battibugli e publicada na revista Placar em junho de 2009. Para conferir a relação dos outros premiados e os finalistas clique aqui.

18 de mai de 2010

Sem título, sem legenda, sem texto (da minha parte)


Tem maluco pra tudo. O americano Mike passou 2 anos se fotografando todos os dias. Vejam como ficou engraçado.



Artifício para enganar o goleiro virou mania no Brasil

Fifa faz restrições ao uso da paradinha

Foi Pelé quem inventou a paradinha na cobrança de pênalti, quando ele jogava pelo Santos, nos anos 60 do século passado. Só que o rei do futebol enganava o goleiro quando ele partia rumo à bola e dava um rápida parada, e correndo. Hoje em dia, os caras dão uma paradona, deixam o goleiro escolher o canto e batem o penal. Uma covardia.

Finalmente a Fifa deu um basta nesse abuso.

Em uma reunião da International Board realizada nesta terça-feira, 18, em Zurique (SUI), a Fifa proibiu a paradinha em cobranças de pênalti. O estilo virou moda no Brasil, e muitos cobradores batiam desta maneira para enganar os goleiros.

O que poderá acontecer agora é apenas uma paradinha na corrida para a bola, e não fingir chutá-la, como os jogadores faziam.

A nova emenda da Regra 14 - do pênalti - diz: "fintar o goleiro durante corrida em direção a bola é permitido, no entanto, fingir chutar a bola uma vez que o jogador completou a corrida é considerado ilegal de acordo com a regra 14 e a atitude antidesportiva fará o jogador ser punido".

Outra decisão foi permitir que federações e confederações tenham o direito de testar árbitros auxiliares de área em partidas durante dois anos. Durante o Campeonato Carioca e a Liga Europa, o sistema foi testado.

Todas as mudanças na reunião passam a valer no dia 1ª de junho de 2010, ou seja na Copa do Mundo já não poderão acontecer. Caso o jogador faça a paradinha, ele levará o cartão amarelo.

Lancepress!



Sucesso do humor nerd

Ele tem os cabelos desarrumados, óculos de aro grosso e é estrábico. Desde de fevereiro último, quando ele estreou na net com o seu Mas Poxa Vida, PC Siqueira já recebeu mais de 5,5 milhões de visitas no endereço do You Tube. Ele tem mais de 40 mil seguidores no twitter e a maioria de seus espectadores é jovem, na faixa dos 20 anos.

Qual a forma para tanto sucesso virtual?

PC senta-se em uma poltrona, liga a câmera e sai falando o que vem à cabeça, e dizer o que muita gente pensa mas não fala, nem assume, em público. O sucesso do jovem profissional em quadrinhos, de 24 anos, também está ligado aos seus comentários sarcásticos sobre, por exemplo, mendigo, legalização da maconha etc.

Momento de emoção para Chico Buarque, quando encontrou Pagão, em 1985 - o compositor com a camiseta do Politheama e o jogador com uma de seu antigo time, o Santos. Em um especial para a TV Bandeirantes, Chico encontrou Pagão e essa foi uma das poucas vezes que não assinou, na súmula, o nome do ídolo. Pagão morreu em 1991, aos 56 anos

O ídolo de Chico Buarque

Mesmo sendo torcedor assumidíssimo do Fluminense, Chico Buarque de Holanda idolatra um atleta que nunca jogou pelo tricolor carioca: Pagão, artilheiro do Santos Futebol Clube, na década de 50 do século passado e que Chico o viu jogando várias vezes. Até música, o autor de A Banda fez exaltando o jogador, e Chico só entra em campo por seu time, o Politheama, com a camisa 9 e assina a “súmula” do jogo com o nome de Pagão. Chico certa vez disse que “ele era demais em campo. Era de uma leveza admirável. Eu adorava quando ele pegava a bola no ar e, com a parte de fora do pé, vindo de trás, chapelava o adversário”.

Na canção O Futebol Chico faz uma devoção ao seu ídolo. E reparem na letra que o compositor também cita o ponta-esquerda Canhoteiro, do São Paulo e da seleção brasileira e que antes de ir para a Capital paulista, passou pelo futebol cearense, jogando pelo América Futebol Clube:

“Parábola do homem comum
Roçando o céu
Um
Senhor chapéu
Para delírio das gerais
No coliseu
Mas
Que rei sou eu
Para anular a natural catimba
Do cantor
Paralisando esta canção capenga, nega
Para captar o visual
De um chute a gol
E a emoção
Da idéia quando ginga

(Para Mané para Didi para Mané, Mané para Didi para Mané para Didi para
Pagão para Pelé e Canhoteiro)”.

Nos vídeos, primeira e segunda partes do documentário Samba no Pé, Chico fala sobre uma de suas grandes paixões, o futebol:



17 de mai de 2010

Um dos piores filmes do

cinema brasileiro

O portal da revista Veja selecionou os 10 piores do cinema brasileiro. O primeiro da lista é Cinderela Baiana (1998), estrelado por é Carla Perez. Dizem que a própria protagonista, mais de uma vez, disse que “como atriz” se arrepende do filme. Tudo já começou errado, quando alguém pensou que uma dançarina de axé, por melhor que fosse, mereceria uma cinebiografia. Sim, o filme conta a trajetória da loira, que venceu uma infância pobre para ganhar fama e sucesso na dança. Mas tudo é contado, claro, de uma forma muito mais “épica”. Foi um fiasco de bilheteria nos cinemas – não há números oficiais, talvez pela dúvida de que alguém tenha realmente assistido -, mas é um grande sucesso no YouTube entre os fãs de fitas “trash”. No apoteótico final, Carla desce de seu super carro indignada – mesmo que a expressão facial não retrate isso – ao ver pequenos pedintes na beira da estrada, faz um discurso criticando o trabalho infantil e dança alegre ao lado das crianças

Vejam a "obra":


Passando o tempo...
Com Caetano Veloso e Jorge Mautner cantando Tarado..