16 de out de 2010

História para ouvir e guardar

O primeiro disco reúne Caetano Veloso, Gilberto  Gil, Os Mutantes, Tom Zé, Gal Costa e Nara Leão

Segundo notícia do jornal O Estado de São Paulo, a partir de amanhã  chega às bancas a coleção Grande Discoteca Brasileira Estadão. Ao todo serão 25 volumes, cada um com um CD acompanhado de um livreto com média de 60 páginas, incluindo fotos inéditas e informações técnicas sobre discos de grandes intérpretes e compositores da música brasileira.
Um volume será lançado a cada domingo até o início de abril. Artistas que escreveram a história do cancioneiro nacional terão seus álbuns antológicos (veja a relação completa e comentada abaixo) chegando novamente às mãos do público. Os assinantes do jornal terão um preço especial, ganhando os cinco primeiros discos gratuitamente. Para este grupo, o preço da coleção completa será de R$ 298 ou cinco parcelas de R$ 59,60. Para não-assinantes, custará R$ 372, 50, também pagos em cinco vezes. O público também poderá comprar cada edição separada nas bancas por R$ 14,90. Os discos poderão ser adquiridos pelo site www.discotecaestadao.com.br ou pelo telefone 0800-7702166, de segunda a sexta, das 8 h às 20 h, e aos sábados e domingos, das 8 h às 14 h.

A relação dos CDs:
1º CD. TROPICÁLIA OU PANIS ET CIRCENSES
2º CD. MEUS CAROS AMIGOS
DOMINGO, 24 OUT
3º CD. IDEOLOGIA
DOMINGO, 31 OUT
4º CD. CLUBE DA ESQUINA
DOMINGO, 07 NOV
5º CD. CINEMA TRANSCENDENTAL
DOMINGO, 14 NOV
6º CD. ACABOU CHORARE
DOMINGO, 21 NOV
7º CD. SECOS & MOLHADOS
DOMINGO, 28 NOV
8º CD. CABEÇA DINOSSAURO
DOMINGO, 05 DEZ
9º CD. A TÁBUA DE ESMERALDA
DOMINGO, 12 DEZ
10º CD. FRUTO PROIBIDO
DOMINGO, 19 DEZ
11º CD. EXPRESSO 2222
DOMINGO, 26 DEZ
12º CD. TUDO AZUL
DOMINGO, 02 JAN
13º CD. A DIVINA COMÉDIA OU ANDO MEIO DESLIGADO
DOMINGO, 09 JAN
14º CD. FALSO BRILHANTE
DOMINGO, 16 JAN
15º CD. PÉROLA NEGRA
DOMINGO, 23 JAN
16º CD. A VOZ E O VIOLÃO DE DJAVAN
DOMINGO, 30 JAN
17º CD. AS AVENTURAS DA BLITZ
DOMINGO, 06 FEV
18º CD. GONZAGUINHA DA VIDA
DOMINGO, 13 FEV
19º CD. SELVAGEM?
DOMINGO, 20 FEV
20º CD. A DANÇA DA SOLIDÃO
DOMINGO, 27 FEV
21º CD. SOMOS TODOS IGUAIS NESTA NOITE
DOMINGO, 06 MAR
22º CD. CAÇA À RAPOSA
DOMINGO, 13 MAR
23º CD. CAVALO DE PAU
DOMINGO, 20 MAR
24º CD. CANTAR
DOMINGO, 27 MAR
25º CD. ZÉ RAMALHO
DOMINGO, 03 ABR
Comentário meu:  só tem um problema para nós leitores compradores em bancas de jornais e revistas:  poucas bancas, aqui em Fortaleza, recebem o produto para venda.  Como aconteceu com outras coleções (sobre música e cinema, por exemplo) as distribuidoras locais só receberam a mercadoria com uma semana de atraso. E a quantidade de exemplares sempre foi limitada.
 Por isso, cara ou caro internauta, se estiver com vontade de fazer a coleção, via banca, vá logo, logo à banca e reserve seu exemplar.
 Desejo boa sorte.

15 de out de 2010

Luzes da Cidade

Viva o Trepinha!


 

Conheço o paraibano, mais cearense do que  nunca, o cidadão José Gomes de Souza, há mais de trinta anos, pois já fiz várias matérias sobre sua  vida profissional, e convivi com ele em eventos artístico-culturais que eu organizava no jornal O Povo. Como é conhecido por todo mundo pelo apelido,  Trepinha comemorou,  nesta quinta-feira, os seus 83 de vida, do jeito que gosta: no picadeiro.
 Ele é o mais antigo palhaço em atividade no Ceará (62 anos), e mesmo já aposentado do serviço público estadual, vai todos os dias ao Theatro José de Alencar.
 E para festejar o aniversário do artista foi armado o Circo Trepinha, na Praça de Alencar, com apresentações, nesta semana, para alunos de colégios fortalezenses.
Vida longa, Trepinha!


O Circo Trepinha armado em frente ao Theatro José de Alencar

A nudez e dois mineiros

E  sobre a temática nudez,  circula na internet  uma piadinha sobre o assunto:

Dois cumpadre de Itapecerica de Minas tavam bem sossegadim fumando seus respectivo cigarrim de paia e proseano.
Conversa vai, conversa vem, eis que a certa altura um deles pergunta pro outro:
- Cumpadre, u quê quiocê acha desse negóço de nudez?
- No que o outro respondeu:
- Acho bão, sô!
O outro ficou assim, pensativo, meditativo...e perguntou de novo:
- Ocê acha bão purcaus diquê, cumpadre?
E o outro:
- Uai! É mió nudês do que nunosso, né messs?


Zé, o craque


Do noticiário esportivo do futebol cearense, uma das colunas que acompanho diariamente é a do Tom Barros (o Fidalgo, como diz o Alan Neto), e em especial a seção  Recordando. Embora o colunista, de quando em vez, omita nomes de personagens fotografados, o espaço conta, um pouco, da história do futebol cearense.
Recentemente foi publicada uma foto que me fez recuar pelas paredes das recordações. A imagem acima é a do jogador Santos, que aparece vestindo a camisa do Tiradentes, timaço da Polícia Militar do Piauí  e que brilhou no Nordeste, na década de 70 do século passado.
Ele, o Zé,  é meu contemporâneo de infância, das peladas pelos campinhos do bairro Monte Castelo. Naquele tempo, ele já era um craque (aquele que na hora do par ou ímpar para escolher os times, era sempre o primeiro a ser chamado). E eu: um esforçado jogador de defesa.
 Depois, cada um seguiu o seu caminho: ele foi para o futebol profissional (no auge foi até sondado para ir jogar no Corinthians) e eu estudante de Comunicação Social.
 Os tempos passaram.
 Hoje, ele ainda continua batendo bola, jogando em times suburbanos e eu seguindo a vidinha de jornalista.
 Quando a gente se encontra, a conversa  cheira a saudade da  bola, rolando pelas areias das antigas esquinas...

14 de out de 2010

Processado por Xuxa, Google afirma que não vai interferir nas buscas do site



Deu no Comunique-se

O Google Brasil emitiu um comunicado, nesta quarta-feira (13/10), que afirma não ter sido notificado sobre o processo movido por Xuxa Meneghel contra a própria empresa. A apresentadora da TV Globo acionou a Justiça para que o site de buscas ignore pesquisas relacionadas a fotos ou vídeos dela nua. Em 1982, Xuxa posou para a Playboy e estrelou o filme Amor Estranho Amor.
"A respeito de nota publicada sobre uma decisão judicial contra o Google, tudo indica que se trata de uma decisão liminar - preliminar e provisória -, obtida por meio de ação movida por Xuxa contra a empresa, e não de um processo já julgado", informou o Google.
O Google Brasil também afirmou que o site não pode ser responsabilizado pelo resultado obtido nas pesquisas e que esse mecanismo, a busca, serve apenas como "reflexo do conteúdo e das informações que estão disponíveis na internet".
"O Google não produz, altera, edita, monitora ou interfere nas informações indexadas pelo buscador. Usuários que desejam que alguma informação seja alterada ou removida da Internet podem entrar em contato com o webmaster da página em questão para saber mais sobre sua política de retirada de conteúdo", argumentou a empresa, em resposta ao processo movido por Xuxa.

Comentário meu: A Xuxa me fez lembrar a Joana Prado que, há algumas meses, deu entrevista ao programa do João Inácio Jr., e botou o maior barraco, quando o apresentador disse que ia mostrar algumas cenas dela (à época famosa como “Feiticeira”), rebolando o farto bumbum, no antigo programa do Luciano Hulk, na Band. A mulher ficou exaltadíssima, dizendo que aquelas cenas não tinham nada a ver com a vida atual dela (hoje a artista e o marido, um lutador de box, são evangélicos). Do presente, claro que não. Mas, foi graças a participação como dançarina que ela ficou famosa e ganhou boas boladas de dinheiro. Agora, a  “rainha dos baixinhos” está tentando apagar o passado da sua vida, só que o passado da gente é imutável, não acaba.
Vejam imagens da Xuxa, no início de carreira. Mais uma besteira da Xuxa censurar a própria vida. Hoje em dia, ela tem mais é que se preocupar com os baixos índices de audiências dos seus programas na Globo.Antes que a censura chegue, vejam aí


Amor estranho Amor (1982). Esse filme erótico conta à história de um menino chamado Hugo que vai morar com sua mãe em uma casa grande, na verdade é um bordel e sua mãe é uma das prostitutas. Anos mais tarde, Hugo, agora um político velho, retorna a casa para reviver o que aconteceu lá. Xuxa vive uma prostituta que para seus clientes é uma virgem alemã. Faz strip-tease para seduzir o garoto Hugo.

13 de out de 2010

Norma Bengell e os soldadinhos do Toddy

Eu era menino e essa propaganda (esse foi o primeiro comercial televisivo da logomarca Toddy transmitido em 1958, e feito pela atriz Norma Bengell e por uma cantora da época) não me saía da cabeça. Só que era por outro motivo: dentro da lata de Toddy, vinham uns soldadinhos de plástico. E antes de consumir o achocolatado, eu o  derramava na mesa em busca dos tais bonecos...coisas que o tempo levou.

As “pegadinhas” visuais de Escher

Para uma temporada de exposições de trabalhos de Escher, no Brasil, começa ,hoje, em Brasília, depois no Rio de Janeiro e posteriormente em São Paulo – pena que não vai passar por aqui). O alemão Maurits Cornelis Escher, mais conhecido como M.C. Escher(1898-1972), foi um grande artista gráfico do século XX que explorava a imagem de uma maneira muito peculiar. As obras de Escher são verdadeiras “pegadinhas” visuais que enganam o cérebro e podem ser vistas por diversos ângulos diferentes, criando ilusões óticas fantásticas.
Vejam alguns trabalhos do mestre do ilusionismo pictórico:

12 de out de 2010



Passando o tempo com três fofinhos

A TV no ônibus


Desde que saiu no jornal Diário do Nordeste (Caderno Zoeira, edição do dia 26 de setembro último) a matéria Diário Bus na TV, que fiquei de olho quando estou rodando em transporte coletivo. A matéria levanta a bola dizendo  que é a “TV Diário, levando lazer, alegria, músicas e informações para os usuários de ônibus” e coisa e tal.
E  sempre que eu pegava ônibus, já com a minha câmera fotográfica engatilhada, ia em busca da televisão instalada para os usuários. E nada de Bus na TV. Ontem, no Terminal do Papicu, depois de passar  um bom tempo vagando de veículo em veículo, buscando o novo equipamento informativo, finalmente encontrei. Só tem um problema: os passageiros, segundo constatei, não estavam nem aí para a programação na telinha.
Estou contando todo esse leriado para fazer uma constatação sobre o meio de comunicação chamado  televisão. A TV é um veículo que tem a peculiaridade de exigir completa sintonia do espectador:  ouvir e ver, e de preferência em ambiente fechado. 
Ora, não deu certo aparelho de TV em táxi, caminhões... por conta desses motivos.
 A televisão não é como o rádio que  pode ser ligado em qualquer lugar, pois exige do receptor da mensagem, no caso o ouvinte, apenas a audição. Por isso é que o velho rádio  jamais desaparecerá, pois pode ser  adaptado às mais diversas circunstâncias.
Estrela da Manhã

Hoje, acordei cedinho, feriado, com o tempo mais generoso para buscas na internet. E,aproveitando a excelente dica do meu amigo Ricardo Madeira (www.drzem.blogspot.com) fui consultar o blog http://papopoetico.blogspot.com, do ex-ator da Globo, Eduardo Tornaghi. Ele dá uma aula de interpretação ao recitar poemas seus e de outros escritores brasileiros. Entre os quais, versos de Manuel Bandeira e o precioso Estrela da Manhã.
Outra coisa, segundo o Ricardo, Tornaghi hoje em dia é professor de teatro, em comunidades de baixa renda do Rio de Janeiro.

11 de out de 2010

Manet, mestre do impressionismo



Por algum tempo exerci no jornal O Povo a função de crítico de artes  plásticas e das escolas pictóricas que marcaram a história, fiquei admirador do impressionismo francês, no século XIX.
Sobre assunto, o professor de história da Universidade de Campinas, Jorge Coli, está lançando o livro O Corpo da Liberdade: Reflexões sobre a Pintura do Século XX.  O autor reserva dois capítulos para o para o parisiense Édouard  Manet, impressionista e um dos pioneiros da produção moderna.
A revista Bravo! deste mês publica matéria sobre o livro e reproduz alguma telas de Manet,com os respectivos comentários do autor:


PONTOS E LINHAS. Música nas Tulherias, de 1862. Na tela, à esquerda, é possível o próprio Manet, de pé, com sua barba castanha e sua bengala, e o filósofo francês Charles Baudelaire, logo atrás do chapéu azul da figura feminina em primeiro plano. A cor negra pontua a composição. Na obra de Manet, o tom possui um princípio unificador. Está presente nos fraques e nas cartolas dos cavalheiros, assim como no tronco das ároves.


CLARO-ESCURO. Lola de Valência, de 1862. O quadro entusiasmou Baudelaire, que dedicou a ele os quatro versos do 15º poema das Flores do Mal. Na tela, chama a atenção a vestimenta colorida da personagem, mas é importante notar como a cor negra é realmente a tonalidade principal. Manet é conhecido por usar infinitas variações de preto.





JOGO DE ESPELHO. Um Bar nas Folies-Bergères, de 1881. No reflexo, Manet deixa as pessoas embaraçadas. Já a garçonete, no balcão, apresenta-se mais definida. O espectador, tal como em  As Meninas de Velázquez (1599-1660), está incluído na composição. Só que em vez de ocupar o lugar do rei, aqui é um cliente anônimo. 


CONFINAMENTO. O Baile de Máscaras, de 1873. Em vez de pintar um grande salão com as pessoas dançando, Manet optou por mostrar a multidão enclausurada entre as linhas horizontais e verticais da arquitetura do espaço. Não há na tela um sentido de perspectiva. As cartolas pretas inclinadas  para lados distintos  dão ritmo à composição.


A primeira vez a gente não esquece

Olha aí a minha rubrica no computador de mão
O sábado que passou  entrou para a minha vida. Motivo: pela primeira vez respondi, em casa, a um  questionário de pesquisa, e foi para o censo do  IBGE.  Carlos Stefano, munido de computador de mão, fez aquelas perguntas básicas: sexo, idade, cor  ou raça, grau de escolaridade... só teve em que ele se enrolou. Como eu já havia dito que morava só, no apartamento,  há mais de cinco anos, era dispensável ele perguntar, logo em seguida,  se entre 2009 e agosto deste ano, falecera alguém que morasse comigo.  

10 de out de 2010

Tem vídeo que faz bem. Um momento de arte...tranquilidade...

Bombou na web
nesta semana

A companhia aérea CebuPacificAir, das Filipinas, tem um modo diferente de apresentar as instruções de segurança antes das decolagens. Em vez da chata ladainha decorada, as aeromoças dançam, com música alto ao fundo. O vídeo da apresentação, aplaudida no fim, teve mais de 7 milhões de acessos.



No You Tube, fez sucesso o vídeo de uma menina chamada Isabela, aparentando 3 anos, revoltada porque o pai fechou a porta e ela não podia mais “brincar lá fora”. Entre o que deu para entender, ela diz, de forma definitiva: “Não fecha a porta, tá? Pode ser?. E, para garantir que a mensagem foi captada pelo pai, ainda pergunta: “Tranquilo?”. Teve quase 300 mil acessos.



No campeonato alemão de futebol, o jogador Peter Niemeyer, do Hertha Berlin, Foi cumprimentar a árbitra da partida, Bibiana Steinhaus, com um tapinha nas costas. O problema é que o “tapinha” pegou no seio dela. Em vez do cartão vermelho pelo imprudência , Peter ganhou um sorriso constrangido de Bibiana. O vídeo teve quase 3 milhões de acessos.



Deu em música a atrapalhada participação de Weslian Roriz no debate da TV Globo entre os candidatos ao governo do Distrito federal. Afinadas pelo programa Auto-Tune, as palavras da mulher de Joaquim Roriz, como o refrão “Eu quero defender toda aquela corrupção”, renderam mais de 150 mil visitas.
(Fonte: revista Época)