28 de abr de 2012

Barros Pinho, a última foto

A última foto e entrevista de Barros Pinho - Arquivo Singular

Faleceu hoje, dia 28 de abril, às 06h da manhã, em Fortaleza, o poeta José Maria Barros de Pinho. Homem público, exerceu importantes funções, tanto no âmbito Estadual como Municipal. Foi Vereador, Deputado Estadual e Prefeito Municipal de Fortaleza. Atuou principalmente na área da Cultura. Foi Secretário Estadual de Cultura e Desportos e Presidente da Fundação Cultural de Fortaleza, hoje Secultfor. Exercia, atualmente, igual cargo no Município de Maracanaú.
Poeta dos mais festejados, publicou diversos livros entre eles: Planisfério, O Circo Encantado, Natal do Castelo Azul, A Viúva do Vestido Encarnado e 70 Poemas para Orvalhar o Outono.
Era membro da Academia Cearense de Letras, entidade da qual era Vice-Presidente.
Pertencia aos quadros do Clube do Bode, do qual foi Fundador.
Deixou uma legião de amigos que lamenta sua partida.

 Barros Pinho na Singular

Barros Pinho deu a sua última entrevista e foi na edição deste mês de abril da Singular, sob o título "Da família real à virtual, os sebos continuam na vitrine", de autoria do repórter Jair Melo. Na referida matéria, o poeta dizia: "Estamos vivendo hoje a era do mundo virtual, mas o homem tem necessidade da palavra, o homem tem necessidade de ar, tem necessidade de viver".
O poeta foi profético.


Os gelos baianos da Cidade 2.000

Acidentes, como o registrado na foto acima, são comuns no local, por falta de sinalização e também de iluminação
Tudo começou quando o meu amigo, professor Eisenhower,  se achava incomodado, durante suas noites de insônias, por barulhos infernais provocados por choques de veículos  contra gelos baianos colocados na rua Andrade Furtado com  Av. Central Leste da Cidade 2.000. Possuidor de sono leve, o professor, morador no entorno do local,  sempre acordava sobressaltado e deprimido, tal era a potência dos estrondos que varavam  madrugada a dentro. Não sabendo para quem apelar, Eisenhower solicitou colaboração deste blog para documentar a área  e denunciar junto às autoridades competentes tal  desmantelo no trânsito. E assim foi feito: fotografamos, filmamos e ouvimos depoimentos de moradores da área. Em seguida, começamos a entrar em contato com órgãos da prefeitura com intuito de sanar o problema. Aí começou a via crucis. Depois de várias ligações   telefônicas, fomos informados que tal reclamação teria que ser  feita, via processo, protocolado na Secretaria Executiva Regional II - SER.  O processo, requerendo reposição de gelos baianos e sinalização horizontal,foi registrado no dia 12/11/2010, De lá, o tal processo foi parar na Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania.
Nunca mais soubemos notícias sobre o andamento do tal processo e, principalmente da execução do serviço, até que, ontem, dia 27 de abril, recebemos um ofício do presidente da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania, Fernando Faria Bezerra, respondendo o processo enviado por nós, repetindo no dia 12/11/2010, informando que a nossa solicitação estava "SEGUINDO PARA PARECER TÉCNICO". 
 E o serviço: nada.
É de lascar o cano!
Quanto ao nosso amigo, professor Eisenhower, não aguentando mais tantos vexames nas altas horas, mudou de endereço.

Grifado em negrito, o ofício determina que a solicitação, ainda vai receber o Parecer Técnico

Pense num aviso desaforado


Prédio localizado na Av. Oliveira Paiva, nas proximidades da Av. washington soares

26 de abr de 2012

PARA LER A NOVA EDIÇÃO DA SINGULAR DESTE MÊS DE ABRIL, ACIMA, BASTA CLICAR DUAS VEZES SOBRE A CAPA DA REVISTA.

Começa a CPI do cachoeira

CINE SINGULAR - O curta do dia

Bichos Urbanos
Sinopse: Estudantes de cinema apelam para o pedantismo estético e extremismo ideológico na realização de seu primeiro filme.
Gênero: Experimental
Diretor: João Mors, Karen Barros
Elenco: José Marinho
 Ano: 2002
 Local de Produção: RJ

Uma jogada como esta...o jogador jamais fará outra vez

Vejam:

25 de abr de 2012

Bem-te-vi solitário

No útimo domingo, fim de tarde, flagrei este solitário bem-te-vi, lá no Itaperi, perto da Universidade Estadual do Ceará (UECe).
Cyanide & Happiness Traduzidos

Coisa de portugues...vaidosos até demais

Frontão da Basílica de Nossa. Sra. de Nazaré - Belém (PA)
 A curiosidade é que a pintura do mural do frontão foi financiada por dois portugueses que fizeram exigência de aparecerem na pintura. E lá estão os dois, de terno e gravata, entre portugueses, colonos e índios. Os dois vaidosos são , o governador da época de inauguração (1929) do frontão, Dionísio Ausier Bentes ), o intendente, Rodrigues dos Santos. No frontão triangular, está representada a glória da “Rainha da Amazônia” com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, tendo, ao seu lado direito, a presença de índios, mestiços, negros, jesuítas e frades capuchinhos, e em seu lado esquerdo, personagens históricos como o descobridor do Brasil, Pedro Álvares Cabral, o fundador da cidade de Belém, Castelo Branco, o primeiro bispo de Belém, Dom Bartolomeu do Pilar, além de uma família de trabalhadores, do caboclo Plácido (em trajes de caçador), e do Padre Afonso di Giorgio.

24 de abr de 2012

CINE SINGULAR - O curta do dia

O Velho, o Mar e o Lago
  Sinopse: O velho somos todos nós. O mar é a vida. O lago, solidão.
Gênero: Ficção
Sub-Gênero: Drama
Diretor: Camilo Cavalcante
Elenco: Cosme Soares
Local de Produção: PE

Prêmios
 Melhor Ator no Festival de Recife em 2001
 Melhor Ator no Festival Guarnicê do Maranhão em 2001
 Melhor Ator no Jornada da Bahia em 2001
 Melhor Curta no Festival de Cuiabá em 2000
 Melhor Direção de Arte no Festival de Vitória em 2001
 Melhor Diretor no Festival de Recife em 2001
 Melhor Diretor no Festival do Ceará em 2001
 Melhor Diretor no Festival Guarnicê do Maranhão em 2001
 Melhor Diretor no Jornada da Bahia em 2001
 Melhor Ficção no Festival de Recife em 2001
 Melhor Ficção no Festival Guarnicê do Maranhão em 2001
 Melhor Filme no Festival Guarnicê do Maranhão em 2001
 Melhor Filme no Mostra Curta Cinema em 2000
 Melhor Filme de Ficção no Jornada da Bahia em 2001
 Melhor Fotografia no Festival de Recife em 2001
 Melhor Fotografia no Festival de Vitória em 2001
 Melhor Fotografia no Festival Guarnicê do Maranhão em 2001
 Melhor Fotografia no Prêmio ABC - Associação Brasileira de Cinematografia em 2001
 Melhor Montagem no Jornada da Bahia em 2001
 Prêmio do Público no Festival Brasil Plural em 2002


.

O que é quixó

Uma armadilha montada com três gravetos, uma pedra e um pedacinho de mandioca para capturar pequenos roedores no sertão nordestino. Irauçuba, Ceará.
"Como foi – A necessidade produz a solução. Muitas vezes fui ao Nordeste fazer matérias sobre o drama da seca. Em uma delas, fiz essa foto aí que bem reafirma essa máxima. Vivendo em absoluta pobreza, resta a alguns habitantes da região caçar preás e mocós para alimentar-se. Como não há equipamentos sofisticados, a solução é valer-se das condições que encontram por lá mesmo. E o quixó mostra-se eficiente. O trio de hastes é cuidadosamente colocado na ponta da rocha e, na ponta de uma delas, o chamariz de macaxeira. Quando a presa morde a isca, o movimento desmonta o artifício e a rocha desaba sobre ela. Um ardil tão simples, mas que algumas vezes representa sobrevivência para muita gente nos confins do semi-árido. Orlando Brito".(Blog do Cláudio Humberto)
Comentário meu: Quando menino, achava o maior barato armar quixós quando passava férias no sertão.

23 de abr de 2012

Caras e caros internautas que acessam este blog!!!
Estou passando por problemas técnicos terríveis em postar matérias.
Peço desculpas.
Em breve, voltaremos ao normal.
Abs
Eliézer
(Enquanto isso vejam a nova edição da Singular que teve o  lançamento da edição impressa no sábado passado). 
Basta clicar na capa acima.