16 de abr de 2011

Passando o tempo
com o Keyboard Cat,no teclado, o gato mais charmoso do mundo.

Imagens fantásticas

Fotografia em movimento não é invento recente. A fotógrafa Jamie Beck deu mais um passo nessa evolução da fotografia. Ela chama as imagens (vejam a sequência abaixo) de “cinemagraphs” –animações feitas com imagens. Os posts são produzidos com todo o capricho e são imagens fantásticas:






Short URL for this post: http://tumblr.com/x8n24p9je6
NYC Photographer Jamie Beck

NYC Photographer Jamie Beck

NYC Photographer Jamie Beck

NYC Photographer Jamie Beck

NYC Photographer Jamie Beck

NYC Photographer Jamie Beck

15 de abr de 2011

Passando o tempo com a turma do IPhode


CINE SINGULAR – O curta do dia
The Big Boy Show
Sinopse
  Gravações antigas, fotografias, videografismo e depoimentos de profissionais de rádio contam a trajetória profissional do radialista Big Boy. A revolução da linguagem radiofônica, a criação do Baile da Pesada e o garimpo musical de Big Boy pelo mundo afora são exemplos do dinamismo desse personagem que, nos anos 60 e 70, viveu à frente de seu tempo.
Gênero; Documentário
 Diretores: Claudio Dager e Leandro Petersen
 Elenco: Carlos Townsend, Dr. Silvana, João Pecegueiro Do Amaral e Newton Duarte
 ano 2004
 Local de Produção: RJ
  Ficha Técnica
Produção Claudio Dager e Leandro Petersen Fotografia Tito Nogueira, Rudy Huhold Roteiro Claudio Dager e Leandro Petersen Edição Pablo Fagundes Computação gráfica Rico Vilarouca e Renato Vilarouca Seleção Musical Leandro Petersen Supervisão e Pesquisa Lúcia Duarte   
  Prêmios
"Destaque em Expressão Cultural" no Festival Brasileiro de Cinema Universitário 2004
Melhor Vídeo Não-Universitário no NÓIA - Mostra Cearense de Vídeos Universitários 2004   
 Festivais
Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema 2004
Mostra do Filme Livre 2005

Irmãos Coragem em DVD
Irmãos Coragem, o primeiro grande sucesso da Globo nas nove, exibido em 1970, é o novo lançamento em DVD (Globomarcas, 119 reais) . Irmãos Coragem, de Janete Clair, adaptada por Dias Gomes, conta a  história dos Irmãos Coragem - João, Jerônimo e Duda Irmãos Coragem é a segunda no pacote, inaugurado por Roque Santeiro, sobre a arquelogia da telenovela brasileira.

Carlitos e o Google
O rabisco que abre o Google neste  15 de abril celebra os 122 anos do nascimento de Charlie Chaplin (1889/ 1977), que ocorrerá amanhã. O logotipo do Google aparece quatro vezes na homenagem a Carlitos.

14 de abr de 2011

A música brasileira mais
tocada no mundo
 Tico Tico no Fubá, de Zequinha de Abreu, é a música brasileira mais executada no mundo.
No vídeo abaixo, o acordeonista  norte-americano Myron Floren`s faz solo, em 1955, do clássico.

Boris Casoy acusa polícia
de favorecer  Globo com
vídeo exclusivo de atirador

O jornalista da Band Boris Casoy acusou a polícia do Rio de Janeiro de favorecer a TV Globo com um vídeo exclusivo em que o atirador Wellington Menezes de Oliveira conta os motivos que o levaram a planejar o massacre que culminou na morte de 12 estudantes da escola Tasso da Silveira (Realengo, zona oeste do Rio de Janeiro), no dia 7/4. A filmagem foi exibida na noite de terça-feira (12/4) no Jornal Nacional.
"Esses vídeos de interesse público foram vazados somente para a TV Globo pela polícia do Rio. Que só agora promete investigar a discriminação cometida contra o restante da imprensa brasileira, através desse vazamento. A polícia do Rio deve explicações", protestou o apresentador do Jornal da Band. Segundo a coluna Ooops, de Ricardo Feltrin, a Band fez uma queixa formal à ouvidoria da Polícia Civil do Rio de Janeiro por causa do vazamento. De acordo com a coluna, a Record também negociava o vídeo com policiais, mas, por questão de minutos, levou furo da Globo.
Origem do vídeo
Apesar da polêmica, a própria polícia divulgou ontem (13/4) que não tinha conhecimento das imagens e que iria pedir o vídeo à Globo. "O vídeo não foi encontrado na casa do Wellington, no HD do seu computador, ou na bolsa que deixou na escola”, disse a chefe da Polícia Civil, Martha Rocha. A emissora informou que enviaria os vídeos para a polícia.
(Fonte:Comunique-se)

TRABALHADORES DO BRASIL (Como dizia o presidente Getúlio Vargas quando discursava) abram o olho!
A presidente Dilma Roussef  informou à imprensa, lá da China, na última quarta-feira, que a empresa taiwanesa Foxconn planeja investir US$ 12 bilhões (R$ 19 bilhões) no Brasil nos próximo cinco anos para produzir displays (telas de computador e tablets). E o mais preocupante para a classe trabalhadora: o projeto prevê contratação de 100 mil funcionários, mais da metade do empregado pelo setor eletrônico do Brasil.
A Foxconn é uma das empresas mais denunciadas, atualmente,  no mundo, por conta da exploração no trabalho e as deploráveis condições dos seus 900.000 empregados. Recentemente, publiquei aqui no blog que, devido a taxa de números de suicídios ser alarmante (jogando-se da janela), a empresa resolveu colocar redes  em torno de suas fábricas.

Cenas de tortura
Militares tentam censurar
novela do SBT sobre ditadura

Um abaixo-assinado criado por militares da reserva da Aeronáutica, disponível no site militares.com.br , pede a retirada do ar de Amor e revolução, novela escrita por Tiago Santiago e exibida no SBT.
O autor da mobilização, José Luiz Dalla Vecchia, alega que o folhetim pode colocar a população contra as Forças Armadas. A trama gira em torno da ditadura militar (1964-1985) no país e retrata a perseguição política contra os militantes de esquerda da época.
Até o início da manhã desta quinta-feira, a ação tinha sido assinada por aproximadamente 400 pessoas. No texto de abertura do abaixo-assinado, os reservistas insinuam que a novela parece ser um acordo firmado entre o proprietário da emissora, Silvio Santos, e o governo federal por meio da Comissão de Verdade para quitar as dívidas do Banco Panamericano que pertencia ao apresentador e foi recentemente negociado por R$ 450 milhões.
Dalla Vecchia, que é o 1º secretário da Associação Beneficente dos Militares Inativos Graduados da Aeronáutica (ABMIGAer), alega que as Forças Armadas não devem permitir, dentro da legalidade, que a novela seja exibida. Ele ressalta que os militares já se manifestaram negativamente sobre a trama.
- Qual a finalidade da novela? Será que veio para reviver essa questão? - questiona. - Todos os que participaram dessa época já estão mortos. Nós, os militares atuais, não temos nada a ver com isso. Não é justo que esse assunto venha à tona e prejudique os que estão na ativa - disse ao site do Globo.
( O globo)

13 de abr de 2011

Feliz dia do Beijo
-Vai pra puta que o pariu! Você está demitido!
- Como?
- Rua!
- O que eu fiz?
- Cala essa sua boca imunda!
- Mas Seu Alfredo…
- Seu Alfredo é o caralho! Tá ouvindo?
- O que eu fiz, porque você está…
- Você sabe muito bem o que é, seu merda!
- Jatobi…
- Shhh! Quieto! Eu não quero ouvir nenhuma palavra sua.
- Porque esse escândalo na frente de todo mundo?
- Pra todo mundo ver o que acontece quando um funcionário faz cagada aqui dentro!
- Mas que cagada?
- Não se faça de inocente, Seu Carlos, NÃO SE FAÇA DE INOCENTE!
- Tá bom, eu vou embora, mas não pense que vai ficar assim, não!
- O senhor será comunicado por e-mail, eu só estou adiantando o assunto.
- Passar bem!
- Foda-se!
Minutos depois, por e-mail.
De: Alfredo Jatobá
Para: Carlos A. Mendonca
Assunto: Demissão.
Chuchú,
Desculpe o chilique hoje no escritório, mas a Bete me avisou que ontem, quando a gente estava saindo do Motel, o Paiva (do financeiro) viu a gente. Ele comentou com a Bete que não sabia ao certo, mas desconfiou porque reconheceu o meu carro.
Achei mais seguro te demitir e dar todo aquele chilique de machão (kkkkkkk) pro pessoal não desconfiar da gente. Eu te recontrato na semana que vem, relaxa.
Passo mais tarde na sua casa. Coloca o vinho na geladeira que hoje tem!
Ah! Já ia me esquecendo. #FelizDiaDoBeijo 
Alfredo Jatobinha ; *
(Surrupiada do Jacaré Bangela)


O beijo pode ser uma das maneiras para combater a depressão. Como qualquer atividade física, ativa a liberação de endorfinas no cérebro, substância ligada às sensações de prazer como este abaixo, no vídeo:
Calcinha Preta

A juíza Lindalva Soares, da 11a Vara Cível do Rio, determinou que a banda Calcinha Preta ("Você não vale nada, mas eu gosto de você"), o empresário Gilton Andrade, a Warner e a Nordeste Digital Line indenizem em R$ 2,3 milhões o compositor Renato Terra.
A banda é acusada de utilização não autorizada da música "Meu grande amor", de autoria de Renato. O laudo pericial foi feito por Mayses Alberto Mizrahi. 'Meu Grande Amor' (da trilha sonora da novela A Viagem) . Laudo do perito Moyses Mizrahi atesta que 197.192 CDs, entre os anos de 2000 a 2006, foram vendidos sem que o compositor tivesse recebido direitos autorais. A decisão é a primeira e a guerra judicial pode ser longa.



CINE SINGULAR – O curta do dia
Som da Rua - Zé Oliveira
Sinopse
 José de Oliveira nasceu cego e aprendeu a tocar rabeca com o pai. Durante muito tempo atuaram em dupla, cantando e tocando rabeca, até a morte do pai, aos 86 anos, em 1997. Chegaram a gravar um disco juntos. Hoje em dia, eventualmente, faz dupla com um primo, também cego. Costuma apresentar-se em feiras do Nordeste, principalmente em Juazeiro do Norte (Ceará), onde vive, mas já tocou no Largo da Carioca, no Rio de Janeiro, na Praça da Sé, em São Paulo, na Praça Nosso Senhor do Bonfim, em Teresina, no Parque do Bombeiro, em Belém, na Praça José de Alencar, em Fortaleza, e em vários pontos de Salvador (Baixa do Fiscal, Baixa do Sapateiro, Praça Sete de Setembro, Terreiro de Jesus e São Joaquim).
Gênero: Documentário
 Diretor: Roberto Berliner
 Ano: 1997
 Local de Produção: RJ
 Ficha Técnica
Co-produção TvZero, TVE Brasil Edição Piu Gomes Direção de Arte Raul Mourão Som Paulo Ricardo Nunes Direção de produção Rodrigo Lamounier Assistente de Direção Andrea Roscoe Produção Executiva Renato Pereira Direção de Fotografia Jacques Cheuiche Colaboradores Especiais Paola Vieira, Danielle Hoover, Noaldo Ney e Lula Queiroga   
 Prêmios
Sol de Prata no Rio Cine 1997
Menção Especial do Juri no Mostra Internacional do Filme Etnográfico/RJ 1998  

Meu amigo Arievaldo Viana, cordelista de primeira qualidade, mandou-me e-mail, que repasso pra vocês, sobre a nova novela da Globo:

Novela Global "Cordel Encantado"
comete alguns pecados em nome
da “licença poética”
Apesar de bem-resolvida visualmente, a trama de Duca Rachid e Thelma Guedes que mistura sertão e contos de fada, poderia ter evitado alguns deslizes e valorizado mais o Romanceiro Popular Nordestino. O primeiro deslize já começa na abertura... Apesar das xilogravuras em movimento, bem no clima da Literatura de folhetos do Nordeste, a música de Gilberto Gil e Roberta Sá não se encaixa bem na proposta.
Pusessem um Alceu Valença, um Ednardo ou um Zé Ramalho para compor aquela trilha e a história seria outra. Aliás, eu vou mais longe... Para dar mais autenticidade ao folhetim, as vozes mais adequadas para aquela abertura seriam MESTRE AZULÃO ou OLIVEIRA DE PANELLAS. Estes sim, entendem de cordel, porque são do ramo e conhecem as toadas mágicas dos velhos folheteiros.
Segundo a crítica especializada, o primeiro capítulo da novela Cordel Encantado foi um dos mais bem resolvidos da atual teledramaturgia brasileira. Com a moral garantida junto à direção Globo por conta do sucesso de Cama de Gato, exibida no horário das 18h em 2010, a dupla de autoras Duca Rachid e Thelma Guedes voltou à faixa horária misturando monarquia e sertão nordestino na passagem entre os séculos 19 e 20. O pecado fica por conta dos sotaques, mas uma vez exagerados, estereotipados, distantes da realidade da maioria dos Estados da Região Nordeste. Parece que, para o povo do Sudeste, o único sotaque que prevalece é aquele do baiano preguiçoso, de fala cantada.
COISA DE CINEMA -  Outra coisa que surpreendeu foi a qualidade das imagens. Por conta da captação de 24 quadros por segundo, a novela é a primeira a ter ares de cinema. Isso ficou evidente na alta definição das imagens panorâmicas gravadas na França e no Sergipe e nos closes generosos no elenco. Mas aí, vem o segundo pecado. Enquanto o figurino do núcleo de SERÁFIA está impecável, a indumentária dos “cangaceiros” passa é longe dos trajes usados por Lampião e seu bando. Estão mais para vaqueiros desajeitados, com enormes gibões medalhados e perneiras, chapéus de sola (e não o tradicional chapéu de couro do cangaço). Pode-se dizer que é por conta da licença poética, mas quem conhece a riqueza pictórica do cangaço nordestino – as roupas e bornais bordados magistralmente por Dadá e outras cangaceiras – acha que o figurino dos cangaceiros globais está paupérrimo em termos de encantos visuais.


12 de abr de 2011

Revelações de Lauro César Muniz
Em depoimento biográfico ao escritor Hersch Basbaum,  o autor de novelas Lauro César Muniz revela, entre outros temas,  bastidores de seu trabalho na Globo. Por exemplo, em l989, na novela O Salvador da Pátria, Lauro quer que Sassá Mutema (Lima Duarte) chegue à Presidência apoiado por traficantes. Depois desmantelaria o grupo. Mas, em ano da disputa presidencial Lula x Collor, a Globo determinou que o personagem ficasse restrito na política local. Estressado, Lauro é operado às pressas a 15 dias do último capítulo. (Folha)
O livro pode ser baixado gratuitamente no site aplauso.imprensaoficial.com.br
Vejam cenas do último capítulo da novela, tirando o foco da candidatura presidencial de Sassá Mutema:

Nova novela do SBT
já causa polêmica
A nova novela do SBT, Amor e Revolução, pode até não alcançar altos índices de audiência, mas que está causando o maior trololó, não resta dúvida. Tem gente querendo ver e também tem gente tirar a novela do ar. Tudo isso, sem contar com a crítica especializada que está caindo de pau.
O folhetim que tem pano de fundo de fundo a época da ditadura militar no Brasil, é alvo, por um lado, de um abaixo-assinado,  encabeçado pela Associação Beneficente dos Militares Inativos da Aeronáutica,  solicitando ao Ministério Público Federal a derrubada da atração. Já o site http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N8746  defende o direito de assistir a novela sem censura e “como foi concebida”.
O crítico Fernando de Barros e Silva, da Folha de São Paulo, na edição do domingo passado, bate na novela sem piedade. Segundo ele, falta a Amor e Revolução, aquele mínimo de verossimilhança que a ficção com pretensão histórica deveria ter. “A novela começa com uma chacina de estudantes que articulavam a guerrilha numa chácara. Mas tudo isso se passa antes do golpe de 31 de março de 1964. Não havia tortura no Brasil. A tortura contra adversários da ditadura só seria adotada pelo regime de modo sistemático depois do AI-5, em 1968”. E conclui o crítico: “A direção de atores nos remete àqueles dramalhões mexicanos. Os diálogos são postiços, ginasianos e involuntariamente cômicos – (uma mistura de CPC (os centros culturais do catecismo socialista dos anos 60) com A Praça é Nossa.
Tirem suas conclusões:

A Crítica Radical que tem no comando Rosa da Fonsêca e Maria Luiza (duas guerreiras que defendem com fervor suas ideias) vai realizar, na próxima terça-feira, dia 19, a partir das 16 horas, na praça do Ferreira, o ato contra o mundo capitalista e defendendo a criação da Sociedade da Emancipação Humana. O problema é que todas as vezes que a Crítica Radical realiza qualquer programação emporcalha a cidade com cartazes pregados nas paredes, juntando-se  à  poluição visual dominante na Capital cearense.   
Nome e talento de artista
O jovem goiano John Lennon da Silva arrasou no programa Se ela Dança, eu Danço, que o SBT transmite às quartas-feiras. Quando entrou no palco e disse que ia dançar a morte do cisne foi debochado por uma das juradas, pois vendo aquele magrelo com tênis de skatista, calça largona, camisa estampada pra dançar um  clássico do balé até então só interpretado, na ponta dos pés, por bailarinas, não acreditou. E ainda aconselhou o jovem:” Espero que você se saia bem,  por que o figurino...”
E o que se viu no palco foi um belíssimo solo de balé clássico à dança de rua. Até o jurado João, o carrasco da banca, foi às lágrimas. John Lennon da Silva (filho de uma beatleamaníaca) ganhou o concurso e R$ 200 mil.

11 de abr de 2011

O estilo Dilma


Primeiro voo tripulado para o espaço completa 50 anos
Documentos secretos da União Soviética revelam as últimas palavras do cosmonauta Yuri Gagarin antes do lançamento
EFE e Reuters
Seu voo de 108 minutos para o espaço há 50 anos marcou um novo horizonte para a humanidade e da noite para o dia transformou um trabalhador do campo chamado Yuri Gagarin em um dos heróis do século.
Mas meio século depois de sua aventura ter incentivado a corrida espacial entre a União Soviética e os Estados Unidos, a Rússia libera agora documentos secretos contrários aos rumores de que o cosmonauta foi assassinado por ordem do governo soviético.
As mais de 700 páginas de documentos confidenciais mostram, inicialmente, a breve conversa, que entrou para os anais da história, com o pai do programa espacial soviético, Sergei Korolev, que tentava acalmar os nervos do cosmonauta.
"O importante é que temos salsichão para acompanhar aguardente", brincou Gagarin pouco antes de a nave "Vostok" ser lançada ao espaço em 12 de abril de 1961. "Aí você têm café da manhã, almoço e jantar. Embutidos, balas e chá. Ao todo, 63 peças. Vai voltar engordar", falou à época Korolev, obsessivo para que o cosmonauta tivesse alimentos suficientes antes de retornar à Terra.
A integridade de Gagarin foi tal que até teve tempo de rir dos nervosos técnicos que o acompanharam até o interior da Vostok quando, devido a uma falha hermética, tiveram de retirar e colocar cada um dos 32 parafusos que selavam a escotilha.
Logo em seguida, Gagarin pronunciou o famoso "Poyekhali!", ou "Vamos lá!", após o qual deu início a volta no planeta em 108 minutos. "Os primeiros sempre são pessoas de sorte. É preciso reconhecer que o bem-sucedido voo de Gagarin foi em grande parte uma questão de sorte", garante Anatoli Davydov, subchefe da agência espacial russa, Roscosmos.

CINE SINGULAR – O curta do dia
Precipitação
Sinopse
 Uma divertida animação, com um reggae como fundo musical, sobre as aventuras de um personagem que se cansa da rotina e resolve se "precipitar" pelo mundo afora.
Gênero: Animação
 Diretor: Marcos Magalhães
 Ano: 1991
 Local de Produção: RJ
 Ficha Técnica
Fotografia Marcos Magalhães Roteiro Marcos Magalhães Trilha original Tim Rescala  


Redes anti-suicídio
Estas imagens estão no Google

A Foxconn é a maior fabricante de componentes eletrônicos do mundo, emprega 900.000  pessoas na China. Boa parte dos trabalhadores mora na própria fábrica e são explorados, mal pagos e trabalham em deploráveis condições. A taxa de suicídios é alarmante. Numa tentativa de diminuir o número de mortes e evitar que os trabalhadores se matem jogando-se da janela, a empresa colocou redes em torno do edifício. 
Filme sobre Tancredo não contém
cenas de doação de verba por Maluf


 O filme Tancredo- A travessia, que conta a vida de Tancredo Neves, falecido em 1985, antes de assumir a presidência da república, chegará aos cinemas sem as cenas que contam que o mineiro teria recebido doações de campanha do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP). As doações teriam sido reveladas pelo sobrinho de Tancredo, o senador Francisco Dorneles (PP-RJ), que afirmou que a situação financeira apresentada a Maluf na época era grave. A produção do filme foi acompanhada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), neto de Tancredo Neves, mas seus responsáveis afirmam não ter ocorrido interferência política no corte das cenas.
(Coluna do Cláudio Humberto)

10 de abr de 2011

Álbum inédito dos Beatles
O álbum Um dia na vida dos Beatles (Cosac Naify, 144 páginas –R$ 69), reunindo 92 fotos, tiradas pelo fotógrafo Don McCullin, está sendo lançado no mercado e traz fotos inéditas do grupo. Na época em que as fotos foram feitas, o quarteto de Liverpool gravava o The White Album. O autor das fotos afirmou certa vez que não tinha orgulho do trabalho. “Fiz coisas muito melhores, de importância histórica, revelando a tragédia de uma guerra sem equilíbrio. O livro dos Beatles é sobre show-business, o mundo da música, das celebridades, coisas de que realmente não gosto. As pessoas envolvidas nesse mundo são ricas, mimadas, arrogantes e vãs. Não que os integrantes dos Beatles fossem assim. Como eu, vieram de famílias operárias, tínhamos algo em comum, e eles me trataram muito bem” - admite o fotojornalista inglês.
Sem querer o fotógrafo se tornou um dos últimos a ter retratado os quatro juntos.
Vejam algumas delas:


Esnobada pela Globo, 
Gisele Fraga 
estreia em Hollywood

Aos 41 anos, esnobada pela TV brasileira, Gisele Fraga estreia em Hollywood com o filme The river sorrow, que estreará no Festival de Cannes em maio e ainda não tem data para ser exibido por aqui. No longa-metragem, ela vive Ana, uma chef de cozinha envolvida com o personagem de Ray Liotta.

Show da Adidas
A nova campanha global da Adidas, embora não seja original pois usa a técnica de projeção mapeada em 3 d, é um espetáculo de tecnologia e criatividade. Com música do DJ Cut Killer, a Adidas fez uma projeção incrível em Marselha, na França. É uma das melhores projeções usando mapping.