2 de jun de 2012

Decadência do rádio

Ontem, foi a última audição do "Forrozão da Verdinha", programa comandado pelo meu amigo Carneiro Portela, há 26 anos, na rádio Verdes Mares. O poeta era o último guerreiro do rádio cearense que lutava contra o baixo nível musical que impera na radiofonia com composições de duplo sentido. Tinha zelo pelo cancioneiro popular, pois só tocava os verdadeiros intérpretes como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Trio Nordestino, Marinês e sua Gente.
Profundamente lamentável. É a decadência do rádio.

Passando o tempo com o gatinho carente/ perturbador

"Escuta Essa!"

Deu até calcinha na TV Senado

1 de jun de 2012

Lúcio Flávio ganha o prêrmio Herzog


O jornalista paraense Lúcio Flávio Pinto, que foi destaque na mais recente edição da revista Singular,  recebeu nesta semana,  a informação de que é o ganhador da 34ª edição do Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, ao lado de Alberto Dinis.
“Esse prêmio tem quatro pontos que devem ser destacados. O primeiro é que as pessoas não se escrevem. O segundo, é que normalmente eles concedem por uma matéria e no meu caso foi com base nos meus 46 anos de profissão. O terceiro, é que pela primeira vez foi concedido para duas pessoas. E o quarto, é que as escolhas foram decisões unânimes entre as 11 instituições”, ressaltou Lúcio Flávio Pinto.
O jornalista também ressaltou que a escolha de Alberto Dinis, que está completando 80 anos, foi de extrema importância.
A premiação será no dia 23 de outubro, no Teatro da Universidade Católica (Tucá), em São Paulo.
No comunicado, a curadora do prêmio, Ana Luisa Zaniboni, atesta que a “trajetória corajosa de Lúcio é motivo de orgulho para todos os jornalistas brasileiros”.
Prêmio
O prêmio é concedido pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, desde 1979, a profissionais e veículos de comunicação que se destacaram na defesa da cidadania e dos direitos humanos e sociais.
Na Singular
Sob o título "Jornalista Luta contra empreiteiros e justiça", a Singular entrevistou Lúcio Flávio. À frente do seu jornal, O Jornal Pessoal, o jornalista paraense vem denunciando os desmandos que empreiteiros vem cometendo em terras amazônicas. Já tentaram-no calar e sufocá-lo com 33 processos, desde 1999. Sua principal denúncia é contra o empresário Cecílio do Rego Almeida, que se dizia dono de uma área de 4,7 milhões de hectares (equivalente a um terço da extensão do Ceará). A matéria completa está na edição virtual da Singular.  Para acessá-la basta clicar duas vezes na capa da revista que está no alto deste blog.

Cine Singular - o curta do dia

Pra eu Dormir Tranquilo
Sinopse
 A babá de Luís faleceu há poucas semanas. Quando ela reaparece escondida no armário, Luís precisa de grandes esforços para saciar a fome dela.
Gênero: Ficção
Diretor: Juliana Rojas
Elenco: David Navarro, Gaia Pimenta Salerno, Gilda Nomacce, Júlio Machado, Maristela Chelala e Sabrina Greve

Local de Produção: SP
Ficha Técnica
Co-produção: Adriano Kakazu
Fotografia: Fernanda Tanaka
Roteiro: Juliana Rojas
Edição: Gabriela Cunha
Direção de Arte: Dicezar Leandro
Empresa(s) produtora(s): Artefício Filmes e Filmes do Caixote
Edição de som: Daniel Turini e  Fernando Henna
Produção Executiva: Marcelo Toledo, Paolo Gregori
Montagem: Juliana Rojas
Interpretação musical: Juliana Rojas, Marco Dutra
 Prêmios
Prêmio Cachaça Cinema Clube no Cachaça Cinema Clube em 2011

Prêmio CTAV no Festival Internacional de Curtas de São Paulo em 2011

31 de mai de 2012

Nara Leão e Carlos Drummond de Andrade

Completou no último dia  27,  46 anos que o poeta, Carlos Drummond de Andrade publicou o poema “Não deixe que prendam Nara Leão”. A cantora estava ameaçada por causa de entrevista em que criticara a ditadura, então chefiada pelo marechal Castelo Branco, em 1966 . A irmã de Danuza Leão e musa da Bossa Nova dera entrevista para os jornais na qual fez críticas aos militares, autores do golpe de 1964, que mudou pela força o sistema político brasileiro. Temendo a prisão de Nara, o poeta fez esse primor de apelo:

Vejam o apelo de Drummond:
Não deixe que prendam Nara Leão
“Meu honrado marechal
dirigente da nação,
venho fazer-lhe um apelo:
não prenda Nara Leão (…)
A menina disse coisas
de causar estremeção?
Pois a voz de uma garota
abala a Revolução?
Narinha quis separar
o civil do capitão?
Em nossa ordem social
lançar desagregação?
Será que ela tem na fala,
mais do que charme, canhão?
Ou pensam que, pelo nome,
em vez de Nara, é leão? (…)
Que disse a mocinha, enfim,
De inspirado pelo Cão?
Que é pela paz e amor
e contra a destruição?
Deu seu palpite em política,
favorável à eleição
de um bom paisano – isso é crime,
acaso, de alta traição?
E depois, se não há preso
político, na ocasião,
por que fazer da menina
uma única exceção? (…)
Nara é pássaro, sabia?
E nem adianta prisão
para a voz que, pelos ares,
espalha sua canção.
Meu ilustre marechal
dirigente da nação,
não deixe, nem de brinquedo,
que prendam Nara Leão.”

30 de mai de 2012

Imprensa: violação dos direitos humanos

O coluio da reportagem policial com a polícia muitas vezes ultrapassa os limites da ética, da dignidade e do profissionalismo de ambas as partes. O caso da repórter Mirella Cunha, do programa Brasil, da TV Bandeirantes, fere todos os direitos humanos. A reportagem com um rapaz suspeita de crime sexual causou indignação em diversos setores da sociedade. A repórter (chega vai fundo na degradação da profissão de jornalista, quando acusa e humilha o jovem de ter tentado estuprar uma pessoa e faz piadas com o fato de o detido ter confundido exame de corpo de delito com exame de próstata, além de debochar dos erros de português do acusado. Enquanto a jornalista conversa com o preso, embaixo da tela aparece a frase “Chororô na delegacia: acusado de estupro alega inocência”.
A coordenação do Núcleo de Criminal do Ministério Público Federal da Bahia apresentou na quarta-feira (23/5) uma representação pedindo a investigação do caso e a tomada de medidas cabíveis. Já o Ministério das Comunicações eximiu-se da responsabilidade de punir a Bandeirantes.

Na mira da lei
Abuso de autoridade, de ofensa a direitos da personalidade e violação de direitos constitucionais de um preso. Esses são os indícios encontrados pelo procurador da República Vladimir Aras na entrevista feita pela repórter Mirella Cunha, do programa Brasil Urgente Bahia.  aiana, Segundo a imprensa bAras encaminhou denúncia à Procuradoria-Geral de Justiça do Estado da Bahia; à 2ª Câmara de Coordenação e Revisão da Procuradoria Geral da República (PGR), em Brasília, e à Procuradoria Regional e Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC).
O procurador também solicitou que a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP/BA) informe se há, no âmbito da secretaria, algum regulamento infralegal quanto à proibição de exposição de presos a programas como o Brasil Urgente, dentro das delegacias de Polícia de Salvador/BA, e que remeta ao MPF cópia do auto de prisão em flagrante do homem entrevistado.
A representação foi encaminhada, ainda, à Defensoria Pública da União, para ciência, e eventual exercício de suas atribuições na tutela individual do hipossuficiente, no caso o entrevistado, e à produção do Brasil Urgente para que preserve a fita bruta (sem edição) do programa e a encaminhe ao MPF em cinco dias.
 A Band pretende demitiu a repórter Mirella Cunha, do programa “Brasil Urgente Bahia”.
 A emissora suspendeu a funcionária por tempo indeterminado e diz repudiar a atitude da jornalista. O mesmo deverá ocorrer com outros eventuais responsáveis pela reportagem ter sido levada ao ar na afiliada baiana da emissora.

Febre de Rato, favorito no Cine Ceará

O filme Febre de Rato, de Cláudio Assim, é um dos favoritos do próximo Cine Ceará, que acontece de 1º a 08 do próximo mêsem Fortaleza. Febre de rato é uma expressão popular típica da cidade do Recife que designa alguém quando está fora de controle, alguém que está danado. E é assim que Zizo (Irandhir Santos), um poeta inconformado e de atitude anarquista, chama um pequeno tablóide que ele publica as próprias custas. Vivendo em um mundo particular, Zizo se depara com Eneida (Nanda Costa), uma jovem de aproximadamente 18 anos, que instiga e promove a transformação do poeta. Também está no elenco Matheus Nachtergaele, no papel de Pazinho.
Vejam o trailer:

28 de mai de 2012

Futebol e conflitos são temas de documentário gravado em Israel e na Palestina

O cineastas José Menezes, o historiador Arturo Hartmann e o jornalista João Carlos Assumpção estão lançando  o documentário “Sobre Futebol e Barreiras”. O filme foi gravado em Israel e nos territórios palestinos em 2010, durante a Copa da África.  A ideia da produção cinematográfica é mostrar o cotidiano de judeus e palestinos em diferentes cidades, bem como abordar a relação deles com o futebol e os conflitos entre os dois povos.  O documentário, que já passou por alguns festivais, tem como tema central questões ligadas à identidade nacional, discutidas por personagens das duas regiões. Aequipe de diretores acompanhou o dia a dia das pessoas em momentos de torcedores, revelando que paz e esperança todas unidas no futebol, apesar dos conflitos políticos.
Vejam o trailer:

Charge: Amarildo

27 de mai de 2012

Cine Singular - o curta do dia

Zimbu
Sinopse: Uma bola de futebol aparece em uma tribo africana, isolada do mundo. Ela chega até os pés de um guerreiro africano, que descobre a magia do futebol.
Gênero: Animação
Sub-Gênero: Esporte
Diretor: Marcos Strassburger Souza
 Ano: 2012
Local de Produção: SP

AMC, gelos baianos e Cidade 2.000


A minha paciência não vai se esgotar com a AMC, por causa das minhas reclamações contra o descalabro e falta de responsabilidade daquela autarquia municipal. Já escrevi aqui que há quase dois anos cobro da AMC a sinalização adequada e a sinalização eficiente na rua Andrade Furtado com Av. Central Leste da Cidade. Várias trombadas de carros contra os "gelos baianos" já foram registradas no local. Finalmente, depois de tantas reclamações (até saiu matéria no jornal O Povo) a AMC foi lá e consertou. Só que o serviço foi feito pela metade: recolocaram apenas os "gelos bainos" e nada de sinalização e iluminação. Resultado, menos de uma semana depois aconteceu um novo acidente. Vejam foto.
 Não sei até quando vai essa pedanga. Só digo sei  que vou continuar reclamando.

Bombou na web nesta semana

Patricia Poeta falava no Jornal Nacional sobre a escalada da violência no México, quando usou a expressão "violentissississima" em vez de "violentíssima" . Na internet, a piada foi compará-la ao personagem Chaves, que também prolongava seus superlativos assim. E é mexicano.
Precisando abrir e não acha o abridor em lugar nenhum?É fácil, você só precisa de uma serra elétrica. O homem, do vídeo aí embaixo, foi filmadado abrindo sua cerveja com uma. Ele aproxima a ferramenta do gargalo com precisão e a tampinha pula. Não tente em casa.

<
Um canadense conhecido como Flippy Cat coloca no You Tube oa vídeos inscriveis que faz usando dominós. No último, ele monta  uma fileira de dominós gigantes, formados por 60 mil pequenos dominós coloridos. O barulho é ensurecedor quando tudo vem abaixo. E lindo também