25 de jun de 2011

Motos, pilotos e piruetas
Em Magny-Cours, durante uma rodada do Campeonato promosport, dois  pilotos e suas motos se enrolaram. Detalhe: as motos ficaram fazendo piruetas no chão, dançando.A cena ficou mais engraçada com a gesticulação e o inconformismo de um dos pilotos.


CINE SINGULAR – O  curta do dia
Bailão
Sinopse
A memória de uma geração visitada por seus personagens. O cenário é o centro de uma grande cidade; o enredo a urgência da vida. E o Bailão o ponto de convergência dessas histórias.
Gênero: Documentario
 Diretor; Marcelo Caetano
 Elenco: Armando Nunes, Cacá Munhoz, Ivan Santos e Mozá Pinho
 Local de Produção: SP
 Ficha Técnica
Co-produção Jurandir Muller, Marcelo Caetano e Flora Lahuerta Fotografia Julia Zakia Roteiro Marcelo Caetano Direção de Arte Maíra Mesquita Empresa(s) produtora(s) PaleoTV e Desbun Filmes Depoimentos Ricardo Rocha Aguieiras Montagem Guile Martins   
  Prêmios
Prêmio Cidadania e Diversidade no APOGLBT-SP 2010
Melhor Curta 35mm no Cine PE 2010
Melhor Montagem no Festival de Brasília 2009
Melhor Montagem no Festival de Cuiabá 2010
Melhor Trilha Adaptada no Festival de Guarnicê 2010
Prêmio ABD no Festival de Guarnicê 2010
10 Melhores Curtas Brasileiros do Público no Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2010
Menção Honrosa no Janela Internacional de Cinema do Recife 2010
Melhor Documentário no Vitória Cine Vídeo 2010
Prêmio OCIC-SIGNIS no Vitória Cine Vídeo 2010
Melhor Curta no Festival de Triunfo 2010
Menção Honrosa pela FEPEC no Festival de Triunfo 2010
Melhor Diretor no Festival Mix Brasil 2010
Prêmio aquisição Canal Brasil no Festival Mix Brasil 2010
2º lugar na mostra competitiva nacional no Vale Curtas 2010
Melhor Documentário no Vale Curtas 2010   
 Festivais
 Curta Cinema - Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro 2010
FAM - Florianópolis 2010
FancineGay - Festival de Cine Gay y Lésbico de Extremadura 2010
Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual 2011
Festival de Cinema de Huesca 2010
Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte 2010
Goiânia Mostra Curtas 2010
Llamale H - Festival Internacional de Cine sobre Diversidad Sexual y de Género 2010
Mostra de Cinema de Ouro Preto 2010
Mostra de Cinema de Tiradentes 2010
Mostra do Audiovisual Paulista 2010
Panorama Internacional Coisa de Cinema 2010
Amazonas Film Festival 2010
Brasil en Corto 2010
Festival CineMúsica 2010
Festival do Juri Popular 2011
Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul 2010
Mostra Londrina de Cinema 2010
San Diego Latino Film Festival 2011
Semana dos Realizadores 2010
Bangalore Queer Film Festival 2011
Cinema Mostra Aids 2010
Festival Brasiliano 2011
Festival de Documentário de Cachoeira - CachoeiraDoc 2010
Mostra Cinema Conquista 2010
Mostra Faróis do Cinema 2010
RIFF - Roma Independent Film Festival 2011
Vues d´en face - Festival International du Film Gay et Lesbien de Grenoble 2011

Livro sobre Maria Bethânia
será reeditado

O poeta e jornalista Reynaldo Jardim, falecido no início deste ano, tinha Maria Bethânia como uma de suas musas e até fez um livro inspirado na cantora baiana. Como à época era véspera do AI-5 (1968) a obra foi considerada subversiva, a partir do título Maria Bethânia Guerreira Guerilha. O livro foi apreendido, o autor processado e Bethânia intimada para depor no DOPS, órgão de repressão da ditadura. A obra será relançada no próximo mês de outubro, no Rio de Janeiro.  

24 de jun de 2011

Cara de cocô
Campanha "mexeu" com os "caras de cocô" lá da pracinha

Pois não é que os cartazes (Cara de Cocô)  que preguei na praça, onde caminho, surtiram algum efeito.            Nos dias seguintes, percebi várias pessoas (sem cachorros) comentando e concordando com as mensagens. Também notei que quase todos os cartazes foram arrancadas, certamente por alguém que vestiu a carapuça, um  cara de cocô.  
A idéia original está no Facebook "Cara de cocô" (facebook:com/ cara_de_coco, que pretende tornar a cidade mais limpa, constrangendo os incivilizados que não recolhem o que seus cachorros deixam pela rua.
Vejam o cartaz da campanha:

Nudez camuflada
Artista inventa cada coisa. A norte-americana Miru Kim tem fascínio pelo maior órgão do corpo: a pele. E tem mais: só gosta de posar nua, em locais os mais insólitos possíveis, como deitada ao lado de porcos, num abatedouro. Ela retrata-se em zonas sombrias das metrópoles.
A revista Bravo! deste mês reúne imagens que compõem duas séries de Miru Kim.
Vejam:

FACHOS DE LUZ. Freedom Tunnel (Túnel da Liberdade), de 2007. Construído na década de 1930 em Nova York e logo abandonado, o túnel serviu de casa para centenas de pessoas até voltar a ser usado como ferrovia. Seu nome é uma referência ao grafiteiro Freedom (Liberdade) que criou grandes murais em homenagem aos antigos moradores.
TOPO DO MUNDO.

Manhattan Bridg (Ponte de Manhattan), de 2009. “Eu admirei esta ponte por anos até que finalmente me permiti escalar um dos seus pontos mais inacessíveis”, conta a artista. “De lá, pude apreciar a beleza da cidade e senti a estrutura metálica vibrar quando o metrô passou logo abaixo”

FUSÃO.

 The Pig Therefire I Am ( O Porco que Portanto, EU sou) de 2010. Deitada ao lado de porcos numa abatedouro dos Estados Unidos, Miru Kim afirma: “Corpos humanos e de animais podem se juntar momentaneamente pelo contato entre as peles. (...) As fronteiras que separam  uns dos outros se tornam obscuras”.

22 de jun de 2011

DICAS
DVDs do MÊS (Já nas locadoras)
Cisne negro 
Beth MacIntyre (Winona Ryder), a primeira bailarina de uma companhia, está prestes a se aposentar. O posto fica com Nina (Natalie Portman), mas ela possui sérios problemas interiores, especialmente com sua mãe (Barbara Hershey). Pressionada por Thomas Leroy (Vincent Cassel), um exigente diretor artístico, ela passa a enxergar uma concorrência desleal vindo de suas colegas, em especial Lilly (Mila Kunis).

Bravura indômita
O pai de Mattie Ross (Hailee Steinfeld), de apenas 14 anos, foi assassinado a sangue frio por Tom Shaney (Josh Brolin). Em busca de vingança, ela resolve contratar um xerife beberrão, Reuben J. Cogburn (Jeff Bridges), para ir atrás dele. Inicialmente ele recusa a oferta, mas como precisa de dinheiro acaba aceitando. Mattie exige ir junto com Reuben, o que não lhe agrada. Para capturar Shaney eles precisam entrar em território indígena e encontrá-lo antes de La Boeuf (Matt Damon), um policial do Texas que está à sua procura devido ao assassinato de outro homem.


O discurso do rei
Desde os 4 anos, George (Colin Firth) é gago. Este é um sério problema para um integrante da realiza britânica, que frequentemente precisa fazer discursos. George procurou diversos médicos, mas nenhum deles trouxe resultados eficazes. Quando sua esposa, Elizabeth (Helena Bonham Carter), o leva até Lionel Logue (Geoffrey Rush), um terapeuta de fala de método pouco convencional, George está desesperançoso. Lionel se coloca de igual para igual com George e atua também como seu psicólogo, de forma a tornar-se seu amigo. Seus exercícios e métodos fazem com que George adquira autoconfiança para cumprir o maior de seus desafios: assumir a coroa, após a abdicação de seu irmão David (Guy Pearce).

O leopardo
Sicília, durante o período do "Risorgimento", o conturbado processo de unificação italiana. O príncipe Don Fabrizio Salina (Burt Lancaster) testemunha a decadência da nobreza e a ascensão da burguesia, lutando para manter seus valores em meio a fortes contradições políticas.



21 de jun de 2011

Marvel  vai matar o Homem-Aranha amanhã

Editora lança revista em que versão do personagem morre nesta quarta (22), nos EUA

Muitos duvidaram quando o roteirista Brian Michael Bendis anunciou que acabaria com a versão Ultimate do Homem-Aranha - fato que será consumado amanhã nos Estados Unidos com o lançamento de "Ultimate Spider-Man" 160.
A história, batizada de "A Morte do Homem-Aranha", mostra a batalha final entre o herói e um de seus inimigos mais emblemáticos, o Duende Verde. E desta vez, para tristeza dos habitantes de Nova York, o herói aracnídeo não sobrevive.
"Enquanto escrevia essas páginas eu chorei como um bebê", revelou o autor em entrevista ao jornal USA Today. "Cheguei para minha mulher e disse que estava muito envergonhado, pois chorei por aproximadamente 45 minutos. Muitas coisas aconteceram na minha vida e eu não chorei, e choro por causa disso."
Orgulhoso de seu trabalho, o autor revelou que a morte do herói só foi possível porque o Universo Ultimate permite esse tipo de abordagem - em outras revistas dessa linha heróis passaram por momentos únicos, caso de Wolverine, que foi partido ao meio e quase devorado numa briga com Hulk na minissérie "Ultimate Wolverine vs. Hulk".
"Me ocorreu que se Peter morresse tentando salvar a tia May, ele poderia se tornar o tio Ben de um novo Homem-Aranha, o que garantiria a continuidade das histórias do herói", explicou Bendis, ressaltando que depois de sua morte o personagem continuará impactando a vida de outras pessoas na minissérie "Ultimate Comics Fallout", em que moradores e heróis de Nova York terão de aprender a conviver com a perda do aracnídeo.
Criado em 2000, o Universo Ultimate tem como premissa atualizar os principais personagens da editora para as novas gerações, recontando suas origens e reapresentando cada um deles em versões mais realistas.
O sucesso da série foi tanto que inspirou o roteiro de adaptações cinematográficas como "Homem de Ferro", "Thor" e os ainda inéditos "Capitão América" e "Vingadores".
(Deu no IG)

CINE SINGULAR – O curta do dia
Eh Pagu, eh! 
Sinopse 
O filme conta um pouco da vida e da obra de Patrícia Galvão, a Pagu. Casada com Oswald de Andrade, participou do Movimento Antropofágico. Jornalista, escritora e tradutora, entre outras coisas, ficou presa por quase cinco anos durante a ditadura Vargas por ser militante do PCB.
Gênero: Documentário
 Diretor: Ivo Branco
 Elenco: Aldo Bueno, Clodomiro Bacellar, Edith Siqueira e Julio Calasso
 Ano: 1982
 Local de Produção: SP
 Ficha Técnica
Produção Rebeca Mc Mello Fotografia José Roberto Sadek Roteiro Ivo Branco Som Direto Guga Bandeira Direção de Arte Adão Pinheiro Câmera José Roberto Sadek Narração Ivo Branco, Raul Cortez, Ênio Gonçalves e Julia Pascale Assistente de Produção Claudia Andrea Fajuri e Cristina Winter Pesquisa Fotográfica Ivo Branco, Vladimir Sachetta e Paulo César de Azevedo Montagem Francisco Magaldi   
 Prêmios
Melhor Curta no Festival de Brasília 1982
Melhor Roteiro de Curta no Festival de Brasília 1982
Prêmio Estímulo no Secretaria de Estado da Cultura/SP 1982
DICA
Em um sanatório francês onde se internou por vontade própria, em 1889, o holandês Vicent van Gogh (1853-1890)  passava por uma de suas costumeiras noites de insônia quando abriu a janela e viu o céu estrelado que cobria um campo da cidadezinha de Saint-Rémy de Provence. A paisagem inspirou uma tela fundamental da arte moderna: A noite estrelada, hoje pertencente ao acervo do Museu de Arte Moderna da Nova York.
A história dos maiores pintores e a gênese de suas obras-primas são apresentadas de forma acessível e acurada na coleção Grandes Mestres, que a Editora Abril  coloca nas bancas. O renascentista Leornardo da Vinci é o primeiro da série que inclui também o impressionista Claude Manet e o modernista Pablo Picasso. São 25 volumes, cada um deles dedicado a um gênio da pintura, com reproduções de alta qualidade de seus maiores quadros.
(Coleção Grandes Mestres; 19,90 reais por volume- primeiro número com preço promocional de 9,90)
Passando o tempo com
o cãozinho dançarino
O detalhe: os dois têm os olhos verdes

Sacanagem na net envolve
Chico Buarque e
 governador de Pernambuco
Sacanagem das grandes está rolando na rede social porque um mau caráter espalhou num blog que o governador Eduardo Campos, de Pernambuco, seria filho do cantor e compositor Chico Buarque. Segundo o boato, o Chico, numa excursão pelo Nordeste, teria conhecido a mãe do político, aliás filha de  Miguel Arraes ( governador à época de Pernambuco, antes do golpe militar de 1964), e um romance muito passageiro. E, segundo a especulação, nasceu Eduardo Campos.  A  família Arraes já está processando o autor da difamação.
Entre a realidade e a ficção
Estreia no próximo dia 1 de julho o filme Falta que nos move, da diretora de teatro Christiane Jarahy e traz a experiência de cinco atores que interpretam eles mesmos, bebendo e experientando limites entre a realidade a ficção. No teatro, a peça (chamada A falta que nos move ou Todas as histórias são ficção e lançada em 2005) transitava pela fronteira onde ação e representação, real e encenação estão em jogo. A partir de uma residência com os atores que criando um processo investigativo sobre relações familiares e padrões de repetição. São 13 horas continuas de filmagens.
Vejam o trailer:

20 de jun de 2011


CINE SINGULAR -  O curta do dia
Ilha das Flores
Sinopse  
Um ácido e divertido retrato da mecânica da sociedade de consumo. Acompanhando a trajetória de um simples tomate, desde a plantação até ser jogado fora, o curta escancara o processo de geração de riqueza e as desigualdades que surgem no meio do caminho.
Gênero: Documentário, Experimental
 Diretor: Jorge Furtado
 Elenco: Ciça Reckziegel
 Ano 1989
 Local de Produção: RS
  Ficha Técnica
 Produção Mônica Schmiedt, Giba Assis Brasil e Nôra Gulart Fotografia Roberto Henkin e Sérgio Amon Roteiro Jorge Furtado Edição Giba Assis Brasil Direção de Arte Fiapo Barth Trilha original Geraldo Flach Empresa(s) produtora(s) Casa de Cinema de Porto Alegre Narração Paulo José   
  Prêmios
Urso de Prata no Festival de Berlim 1990
Prêmio Crítica e Público no Festival de Clermont-Ferrand 1991
Melhor Curta no Festival de Gramado 1989
Melhor Edição no Festival de Gramado 1989
Melhor Roteiro no Festival de Gramado 1989
Prêmio da Crítica no Festival de Gramado 1989
Prêmio do Público na Competição "No Budget" no Festival de Hamburgo 1991
Literatura de Cordel no Carnaval do Salgueiro 2012

(Recebi do meu amigo Victor Garcia, lá do Rio de Janeiro, um texto seu sobre o Cordel como temática no próximo Carnaval carioca).

Vejam:
 


“A tradicional escola de samba Acadêmicos do Salgueiro acertou em cheio ao escolher o tema do seu próximo carnaval.

A vermelha e branca tijucana vai levar para a avenida o enredo "Cordel Branco e Encarnado", de autoria de Renato Lage e Márcia Lage.
A escola pretende unir a arte dos poetas populares do Nordeste com o inconfundível batuque carioca. Sem esquecer das origens do cordel na Europa , que ressurgiu com toda a força no Nordeste em histórias que caíram no gosto popular, como "O Romance do Pavão Misterioso", obra que inspirou os carnavalescos a criarem a logomarca do enredo salgueirense.
A sinopse do enredo foi apresentada aos compositores no dia 14 de junho em reunião na quadra da Rua Silva Teles e surpreendeu a todos por ter sido escrita em forma de poema como um tradicional cordel. Tive a oportunidade de estar presente trocando informações com o carnavalesco Renato Lage, a diretoria cultural e parte da sua talentosa equipe, entre eles Gustavo Mello, Eduardo Pinto, Dudu Azevedo e Luciane Malaquias.
Como poeta popular, cordelista e membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel gostaria de parabenizar a Acadêmicos do Salgueiro por escolher um enredo que verdadeiramente aborde uma das maiores riquezas da nossa cultura popular brasileira.
E uma bela parceria está se iniciando entre estas duas academias: a do samba e a da literatura de cordel.
Confiram abaixo a sinopse na íntegra:

Salgueiro 2012
(Cheio de poesia, imaginação e encantamento)
Minha "fia", meu senhor
Deixa eu me apresentar
Sou poeta e meu valor
Vai na avenida passar
Basta imaginação
Um "cadim" de inspiração
Que eu começo a versar
Vou cantar a minha arte
Que nasceu bem lá distante
Num lugar que hoje é parte
Da nossa origem errante
Vim das bandas da Europa
Nas feiras, a boa trova
Era demais importante!
Foi assim que o mar cruzei
Na barca da encantaria
Chegou por aqui um Rei
Com bravura e poesia
Carlos Magno e o os doze pares
Desfilando pelos mares
Da mais real fidalguia
E veio toda a nobreza
Que um dia eu imaginei
Rainha, duque, princesa
E até quem eu não chamei:
Um medonho de um dragão
Irreal assombração
Dessa corte que eu sonhei

Também tem causo famoso
Que nasceu lá no Oriente
De um tal misterioso
Pavão alado imponente
Que cruza o céu de relance
Dois jovens, e um só romance
Vencendo o Conde inclemente
Todas essas histórias
Renasceram no sertão
Onde vive na memória
O eterno Lampião
E não houve um brasileiro
Que de Antônio Conselheiro
Não tivesse informação
Pra viajar no meu verso
É preciso ter "corage"
Vai que um bicho perverso
Surge que nem "visage"?
Nas matas sertão afora
Lobisomem, caipora
Que medo dessas "image"!!
Pra findar esse rebuliço
Rezar é a solução!
Valei-me meu "padim" Ciço!
Vá de retro, tentação!
Nossa Senhora eu não quero
(Tô sendo muito sincero)
Cair nas garras do cão!
E não é que meu santo é forte?
Cheguei ao céu divinal
É tamanha a minha sorte
A minha vitória afinal
É cantar com alegria
Fazer verso todo dia
Na terra do carnaval
Ao ver chegar a tal hora
Da minha "alegre" partida
Saudade, palavra agora
Tem posição garantida
Mas não se avexe meu irmão
Que hoje a coroação
Acontece é na avenida

Pois eles hão de herdar
Todo esse sertão sonhado
Monarcas que vão reinar
Na corte do Sol dourado
Poetas de tradição
Recebam de coração
Um cordel Branco e Encarnado
E agora eu vou sem medo
Fazer festa "de repente"
Vai nascer um samba-enredo
Pra animar toda a gente
Afinal, não sou melhor
Muito menos sou pior
Só um poeta diferente!”

DICA

O Instituto Tom Jobim (Jobim.org) colocou em seu site toda a obra de Chico Buarque. São letras, imagens, partituras, textos e o total de suas gravações. Vale a pena ouvir clássicos como o álbum Construção, de 1971.


19 de jun de 2011

Uma cena inesquecível da belle de jour

Ainda bela, aos 67 anos, ela esteve no Brasil recentemente para divulgar seu mais recente filme, a comédia Potiche –esposa troféu. A diva do cinema francês, Catherine Deneuve.
No filme, ela vive a personagem de uma dona de casa, engajada  numa disputa eleitoral.
Mas o que importa mesmo aqui é falar sobre este ícone do cinema, uma estrela que continua muito bela e pouco ligando para o mito que é. Como francesa que se preze, não dá a menor bola para o patrulhamento contra o fumo de cigarro, e nem para os defensores dos animais e veste-se com pele.
Mas, o que quero mesmo aqui é relembrar uma cena do filme Belle de jour que conta a história de Séverine (Catherine Deneuve), jovem, rica, casada com um cirurgião de sucesso e infeliz, que procura um discreto bordel para realizar suas fantasias sexuais e conseguir o prazer que seu marido não consegue lhe dar. Curiosa, Séverine termina acostumando-se a uma vida dupla. É um drama, dirigido por Luis Buñuel, e com roteiro baseado na obra de Joseph Kessel e que tem uma cena inesquecível: a indecisão dela, Séverine, com um close sobre os pés: entra ou não no bordel.
Bombou na web
nesta semana  

O vídeo está em inglês, mas não é preciso saber a língua para entender o que se passa, porque esse homem usa a linguagem internacional da mágica para se comunicar. Não é mágica simples, dessas de coelhos na cartola. Ele usa três iPods como instrumentos em seu show, e fala sobre a arte de iludir, os bons e os maus exemplos.



Um gaiato fez uma edição especial do filme Pulp fiction, sucesso do diretor Quentin Tarantino, mas usando apenas as cenas que contêm xingamentos. São 429 ofensas em sequência. Curiosamente, acabam contando de forma satisfatória a história do filme. Foi visto por 200 mil pessoas em poucos dias.
O jornalista de uma pequena TV de Guarapari, no Espírito Santo, fazia uma reportagem sobre o abandono de uma praça local quando foi entrevistar uma senhora que, segundo ele diz, era moradora de rua e usava a praça como lar. Ela retrucou com o confuso discurso: “Não sou moradora de rua, não. Sou polícia militar, federal, civil, portadora do CPF, CNPJ estrangeiro de Hong Kong, Hiroshina...”, diz a senhora. O repórter, é claro, interrompeu constrangido. Teve 500 mil acessos.

Quem inventaria um brinquedo de criança que, quando acionado, joga crianças pelo ar?  Pois esse brinquedo existe e foi filmado em funcionamento. Parece um pião gigante, que roda e tem ganchos para que as crianças se segurem e rodem junto. O primeiro que tenta é arremessado ao chão. O vídeo do brinquedo bizarri teve quase 1 milhão de acessos.



Fonte: revista Época