11 de dez de 2010

NATAL - Comercial antigo

NATAL – O Jingle Bells do balé




O Quebra-Nozes, com música de P.I Tchaikovsky, é o Jingle Bells do balé. Em todo Natal, os principais teatros do mundo exibem o espetáculo.  Há  118 anos, desde que estreou na Rússia que a  história de garota órfã chamada Clara encanta multidões. Conforme está no Wikipédia, Clara tem um irmão e seu avô. Na festa de natal sua tia lhe dá de presente um quebra-nozes de madeira que ganha vida e tenta salvar a casa de Clara dos soldados do Rei Rato, mas este último lhe encanta com um feitiço e a faz ficar bem pequena. Clara e o quebra-nozes partem numa jornada em busca da princesa Caramelo (a única que pode ajudar Clara)...
No Brasil, a temporada da Cisne Negro Cia começou no último dia nove e vai até o próximo dia 20, no Teatro Alfa, SP. 

CINE SINGULAR – O  curta do dia
Visita íntima

Sinopse
O que faz uma mulher livre escolher um presidiário para desenvolver um relacionamento amoroso? Visita Íntima é um filme sobre amor nesta condição especial. Entre as personagens, algumas conheceram o companheiro na penitenciária, outras visitam o marido há décadas. Elas sentem-se valorizadas por eles e dizem-se bem amadas. São mulheres que insistem num relacionamento cheio de constrangimentos e privações, mesmo sofrendo no dia a dia várias conseqüências desta opção. Neste filme o universo carcerário está presente quase que exclusivamente no relato das mulheres, e nunca sob o ponto de vista dos maridos.
Gênero: Documentário
Diretora: Joana Nin
Ano: 2005
Duração: 15 min
Local de Produção: RJ
 Ficha Técnica
Produção: Sheylli Caleffi e Sandra Nodari
 Fotografia: Luciano Coelho
 Roteiro: Joana Nin
 Som Direto: Silvio Da-rin
 Empresa produtora: Sambaqui Cultural Cine e Video
 Assistente de Câmera: Tiago Borges
 Assistente de Produção: Bruno Brasil, Marilise Donini e Inês Nin
 Assistente de edição:  Eva Randolph
 Finalização: Felipe Ribeiro
 Fotografia still: Lauro Borges
 Pesquisa: Joana Nin e Sandra Nodari
 Microfonista: Luis Cláudio Da-Rin
 Montagem: Jordana Berg   

 Prêmios
Melhor Documentário no Cine PE 2005
Prêmio aquisição Canal Brasil no Cine PE 2005
Melhor Curta brasileiro no É Tudo Verdade - Festival Internacional de Documentários 2006
Prêmio Especial do Júri no Festival de Gramado 2005
Melhor Curta - Jurí Oficial no Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte 2005
Menção Honrosa no Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte 2005
Prêmio Crítica e Público no Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte 2005
Menção Honrosa no Goiânia Mostra Curtas 2005
Prêmio Especial do Júri no Vitória Cine Vídeo 2005
Melhor Filme no Festival Guarnicê de Cinema do Maranhão 2005   

 Festivais
Curta Cinema 2005
Femina - Festival Internacional de Cinema Feminino 2005
Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual 2006
Festival de Cinema de Belém 2005
Festival do Rio 2005
Mostra Internacional do Filme Etnográfico/RJ 2005
FAM - Florianópolis 2005
Festival de Cinema Luso-Brasileiro 2005
Tabor Film Festival 2006
Tampere Film Festival 2006 



NATAL - Outras dimensões


A banda North Point iBand é um pouco diferente das que estamos acostumados a ver por aí. Eles tocam músicas natalinas apenas com iGadgets, como iPad e iPhone.(Uol)

10 de dez de 2010

Capa da Bravo! deste mês


Filme de cineasta cearense está entre os melhores do século 21 (até agora)
Entre os dez melhores filmes brasileiros dos últimos dez anos está o filme Viajo porque preciso, volto porque te amo,  do cearense Karim Aïnouz em parceria com o pernambucano Marcelo Gomes. A seleção foi realizada pela revista Bravo! e está publicada na edição deste mês  de dezembro.

Vejam a sinopse e o trailer de Viajo porque preciso, volto porque tem amo:
 Recém-separado da mulher, o geólogo José Renato ( vivido pelo ator Irandhir Santos, ou melhor, por sua voz, já que não aparece na tela). é enviado para realizar uma pesquisa de campo em que terá que atravessar todo o sertão nordestino. O objetivo é avaliar o possível percurso de um canal que será construído a partir do desvio das águas do único rio caudaloso da região. Para muitos dos habitantes, o canal será uma solução, uma possibilidade de futuro e esperança. Mas para aqueles que moram próximo ao novo canal, ele significa desapropriação, partida, perda. Muitos lugares por onde José Renato passa serão submersos; muitas famílias que ele encontra serão removidas. O geólogo começa a se identificar com o vazio, o abandono e o isolamento.



CINE SINGULAR – Curta do Dia

Uma História de Futebol   

Sinopse:
 O curta conta histórias da infância do Rei do futebol. Zuza, companheiro de pelada, relembra as façanhas do menino Pelé nos campos de terra de Bauru.
Gênero: Ficção
 Diretor: Paulo Machline
  Elenco: Andréa Di Maio, Anselmo Stocco, Eduardo Santos, Frederico Betcher, José Rubens Chachá, Magda Miranda, Marcos Leonardo Delfino e Tina Rinaldi
 Ano: 1998
 Duração: 21 min
 Local de Produção: SP
  Ficha Técnica
 Produção : Paulo Machline e Tony Gil
 Fotografia: Lito Mendes da Rocha
 Roteiro: José Roberto Torero, Paulo Machline e Maurício Arruda
 Edição: Mark DeRossi
 Som Direto: Renato e Valéria Calaça
 Direção de Arte: Victor Lema Riqué
 Trilha original: Marcelo Zarvos Empresa produtora Um Filmes
 Cenografia: Victor Lema Riqué
Figurino: Patrícia Vieira Produção
Executiva: Tony Gil   
 Prêmios
 Melhor Curta - Júri Popular no Festival de Brasília 1998
Melhor Música no Festival de Brasília 1998
Prêmio Especial do Júri no Festival de Gramado 1999
Melhor Curta no Festival de Ourense (Espanha) 1999
Melhor Ator no Vitória Cine Vídeo 1998
Melhor Filme de Ficção no Vitória Cine Vídeo 1998
Melhor Diretor no Festival de Fortaleza 1999
Melhor Fotografia no Festival de Fortaleza 1999
Melhor Curta no NY Intl Short FilmFest 1999
Melhor Curta no Silver Elephant 1999   
  Festivais
 Oscar 2001


9 de dez de 2010

Natal na Confraria Bigodeana (I)

O cover sempre é visto de soslaio e com ironia, pois é aquele que imita ou se faz de sósia de alguém, geralmente de artistas famosos. Com o Roberto Arruda, cover do Roberto Carlos, acontece algo diferente. O nosso “Roberto Carlos” está cantando com muito mais alma do que o “rei”. E explico: todas as vezes que escuto o Arruda, nos shows que realiza pelos bares, me vem à memória a comparação que faço do Roberto Carlos, de alguns anos para cá com o RC, principalmente da década de 70 do século passado. O “rei”, mesmo nas músicas de ritmos mais compassados, tinha uma voz maviosa, branda, mas ao mesmo tempo vibrante. Ultimamente, a voz surge arrastada, sem alma. Talvez, com o compromisso profissional de só cantar. Ou, para não ser cruel como o meu antigo ídolo: a decadência se instalando.

Ontem, na festa da Confraria Bigodeana, o nosso Arruda empolgou a distinta plateia que lotou o largo do Bigode. A cada música, Arruda com todo gás,  esbanjando o sentimento que há muito tempo sumiu no "rei": emoção.
Vejam aí um pouco do show do Arruda:

Natal da Confraria Bigodeana (II)

Vídeo, simplesmente genial



CINE SINGULAR – Curta do dia

Meow   

Sinopse Um gato esfomeado fica sem leite, e é convencido a tomar um certo refrigerante. Será ele mais uma vítima da globalização? Terá ele salvação?
Gênero: Animação
Diretor :Marcos Magalhães
Ano :1981
Duração: 8 min
 Local de Produção: RJ
 Ficha Técnica
 Animação: Marcos Magalhães   
  Prêmios
 Melhor Filme - Júri Popular no Festival de Brasília 1981
Melhor Roteiro no Festival de Brasília 1981
Prêmio Especial do Júri no Festival Internacional de Cannes 1982   
 Festivais
 Festival Internacional de Curtas de São Paulo 1995

8 de dez de 2010

Cem anos do Poeta da Vila
Ele morreu muito novo (aos 26 anos) mas deixou um legado extraordinário para a Música Popular Brasileira. Autor de canções ( Conversa de botequim, Feitio de oração, Quem dá mais. Não tem tradução, gago apaixonado...) moráveis e eternas no cancioneiro nacional, se estivesse vivo Noel estaria comemorando, no próximo sábado, (dia 11)  cem anos.
E relembrando o Poeta da Vila, escutem a belíssima voz de Maysa e os improvisos do talentoso Rildo Hora, interpretando a mais bela composição de Noel (na minha opinião): Último desejo.



CINE SINGULAR - O Curta do dia


Cartas da Mãe   
Sinopse
 Cartas da mãe é uma crônica sobre o Brasil dos últimos 30 anos contada através das cartas que o cartunista Henfil (1944/1988) escreveu para sua mãe, Dona Maria. Estas cartas, publicadas em livros e jornais, são lidas pelo ator e diretor Antônio Abujamra enquanto desfilam imagens do Brasil contemporâneo. Política, cultura, amigos e amor são alguns dos temas que elas evocam, criando um diálogo entre o passado recente do Brasil e nossa situação atual. Artistas, políticos e amigos de Henfil, entre eles o atual Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, o escritor Luis Fernando Veríssimo, os cartunistas Angeli e Laerte e o jornalista Zuenir Ventura, falam sobre a trajetória do cartunista dos anos da ditadura militar até sua morte. Animações inéditas de seus cartuns complementam o documentário.
Gênero: Documentário
Diretores: Fernando Kinas e Marina Willer
 Ano: 2003
Duração: 28 min
Local de Produção: SP
 Ficha Técnica
 Co-produção: Gabriela Hahn Roteiro Fernando Kinas e Marina Willer
 Edição: Fernando Kinas, Marina Willer e Luis Mattos
 Som Direto Chico: Borôro, Renato Callaça
 Direção de Arte: Marina Willer
 Animação Laurent Cardon:
Trilha original: André Abujamra
Edição de som: Armando Torres Júnior e Alexandre Sobral
 Narração: Antonio Abujamra
 Direção de produção: Paula Madureira
 Produção Executiva: Carla Schertel
 Direção de Fotografia: Heloísa Passos
 Categoria: Retratos
 Depoimentos :Luis Fernando Veríssimo, Angeli, Frei Betto, Gilse Cosenza, Iza Guerra, Laerte, Luiz Inácio Lula da Silva, Zuenir Ventura e Ivan Cosenza de Souza
 Realização: Fernando Kinas, Marina Willer, Trattoria Di Frame
Produtora :Associada Maquina Produções   
  Prêmios
 Prêmio aquisição Canal Brasil no Festival de Brasília 2003
Melhor Curta - Júri Popular no Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2003
Prêmio Especial do Júri no Festival Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira 2003   
  Festivais
 Festival do Rio BR 2003
Goiânia Mostra Curtas 2003
Brasil Documenta 2003
Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte 2003
International Short Film Festival Évora 2003
Mostra BR de Cinema de São Paulo 2003
 

7 de dez de 2010

Ô RATO MACHO!!!!

O pombo, a vidraça e eu...
Inicialmente, bati a foto de longe para não
espantar o pombo...

Fui chegando mais próximo, e cliquei de novo..

Finalmente, bati a foto que queria, bem de pertinho do
danado. Agora, confessar é preciso: as coisas foram
facilitadas porque existia uma vidraça ente ele e eu. E no escuro.
CINE SINGULAR – Curta do dia

Naiá e a Lua

Sinopse
Uma jovem índia de nome Naiá se apaixona pela lua ao ouvir da anciã de sua aldeia a história do surgimento das estrelas no céu.

Gênero: Ficção
Diretor: Leandro Tadashi
Elenco: Liviane Arã Mirim de Lima
Ano: 2010
Duração: 13 min
Local de Produção: SP

Ficha Técnica
Co-produção: Luciana Pilon e Leandro Tadashi
Fotografia: Thaisa Oliveira
Roteiro: Leandro Tadashi
Edição: Ines Cardoso
Direção de Arte: Arieli Marcondes
Animação: Leandro Tadashi
Montagem :Thaís Bologna
Interpretação musical: Vitor Kisil

Festivais
Curta Cinema - Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro 2010

6 de dez de 2010

MAIS UMA BATIDA NA CURVA DO PERIGO
Como o motorista não conhecia os perigos do trecho, não fez a curva, passou direto  e arrancou  blocos de gelos baianos. Aconteceu hoje à noite. 
Lá na rua Andrade Furtado, logo na curva que dá acesso à Cidade 2.000, está um caso sério. Quase todos os dias acontecem batidas de veículos, derrubando os gelos baianos. O trecho tem uma iluminação precaríssima, uma sinalização pior, o que vem provocando acidentes.  E o pior: os moradores no entorno da tal curva não estão nem aí para o tal desmando e sequer denunciam às autoridades, ditas competentes, sobre os perigos que, aliás,  eles mesmos estão expostos.  



Versão cômica do clássico
As Viagens de Gulliver

Saiu o primeiro trailer do filme As Viagens de Gulliver (Gulliver’s Travels 2010) a comédia será lançada nos cinemas,  no próximo dia 22.
Sinpose
Versão cômica do clássico As viagens de Gulliver, de Jonatha Swift. No filme, o atorJack Black viverá o escritor Lemuel Gulliver, que sai em missão às Bermudas e acaba na ilha de Liliput, habitada por uma raça de seres minúsculos.

Elenco do Filme
Jack Black como Lemuel Gulliver
Emily Blunt como Princess of Lilliput
Jason Segel como Horatio
Catherine Tate como Queen of Lilliput
Billy Connolly como King of Lilliput
LUZES DA CIDADE
Na parte externa do prédio os arabesco, em forma geométrica, embelezam a fachada

A decoração (importada)
do  Excelsior Hotel
Os elevadores ainda são os originais

Já escrevi aqui sobre o Excelsior Hotel, uma das joias do patrimônio artístico cearense, localizado na praça do Ferreira, na esquina entre as ruas Guilherme Rocha e Major Facundo, para acabar com aquela conversa fiada. Segundo a qual  a edificação é o “maior prédio do mundo”, construído em alvenaria. Segundo o meu amigo Nirez, pesquisador de primeira linha da nossa história, o proprietário, o rico comerciante Plácido de Carvalho, queria realmente construir um prédio (nove pavimentos) só de alvenaria, mas foi aconselhado por um engenheiro de que a estrutura não ia aguentar tanto peso. A construção foi mesmo de cimento armado,  inspirada num edifício existente em Milão, na Itália, começando em 1928, inaugurada três anos depois.

E tem outro detalhe: a decoração. A ambientação interna do prédio, principalmente a entrada, até hoje está do jeito que foi idealizada, lá na sua inauguração. A ideia foi da italiana Pierina Rossi, mulher de Plácido de Carvalho,  que mandou buscar na Itália todos os apetrechos necessários à decoração do novo hotel que estava surgindo na cidade, em meados do século XX.

Detalhes dos candelabros



Passando o tempo com os sons da chuva


Sugestão (excelente) da minha amiga Bruna Pellegrini.
CINE SINGULAR - Curta do dia

Cine Holiúdy - o artista contra o caba do mal


Sinopse
Francisgleydson, o proprietário do Cine Holiúdi, humilde cinema no interior do Ceará nos anos 70... Primeiro filme inteiramente falado em cearencês!
Gênero: Ficção
Diretor: Halder Gomes
Elenco: Amadeu Maia, Chato, Edmilson Filho, Francysgleydson, Haroldo Guimarães e Ling
Ano: 2004
Duração: 15 min
Local de Produção: CE
Ficha Técnica
Fotografia: Roberto Iuri
Roteiro: Halder Gomes, Micheline Helena e Thiago Daniel
Som Direto: Alfredo Guerra
Direção de Arte: Yukio Satto
Empresa produtora: Cia de imagem, ATC Entretenimentos
Edição de som: Beto Ferraz, Helena Duarte
Direção de produção: Tito Almeijeiras
Produção Executiva: Halder Gomes
Montagem: Helgi Thor
Música: Daniel Lopes, Marcio Rocha
Prêmios
Melhor Ator no Festival de Cinema de Maringá 2005
Melhor Cenografia no Festival de Cinema de Maringá 2005
Melhor Música no Festival de Cinema de Maringá 2005
Melhor Filme - Júri Oficial no Festival de Curtas de Natal 2005
Prêmio da ABD&C no Festival do Rio BR 2004
Melhor Roteiro no Festival Latino Americano de Curtas de Canoa Quebrada 2005
Melhor Direção de Arte no Festival Mercosul 2005
Melhor Filme 35mm - Juri Eletrobras no Festival Mercosul 2005
Melhor Filme - Júri Oficial no Mostra do Filme Livre 2005
Melhor Filme - Júri Popular no Amazonas Film Festival 2005
Melhor Filme - Júri Oficial no Festival de Cinema de Campo Grande 2005
Melhor Roteiro no Festival de Cinema e Vídeo de Curitiba 2005
Menção Especial do Juri no Festival de Goiania 2004
Festivais
Cine Ceará 2005
Festival América do Sul 2005
Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2004
Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema 2004
London Latin Film Festival 2005
Mostra Brasil Plural 2005
Mostra de Cinema de Tiradentes 2004
Anonimul International Film Festival 2005
Araribóia Cine 2005
CINEPORT - Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa 2005
FAM - Florianópolis Audiovisual Mercosul 2005
Festival Internacional de São Luis 2005
Mostra Nordestina de Curtas 2005
Tirana International Film Festival 2005
Festival de Varginha 2005

5 de dez de 2010

Bombou na web nesta semana

É assustador. O vídeo ja está com mais de 30 mil visualizações e boa parte dos comentários é de gente revoltada. Ele entrou hoje cedo na home principal do YouTube, na categoria “Música”. Bom, que essas ideias fiquem apenas no plano musical mesmo.




“São muitos disparos, jornalistas de todas as emissoras correm por toda a rua procurando abrigo!”, disse René Silva, de 17 anos, em seu perfil no Twitter. O jovem, morador do conjunto de favelas do Alemão, no Rio de Janeiro, ganhou fama depois de contar, ao vivo e in loco, o drama dos moradores durante a guerra entre policiais e bandidos. O canal que administra, @vozdacomunidade, com outros colaboradores – todos adolescentes –, saiu de 150 seguidores para mais de 30 mil e virou uma das principais referências durante a ação policial.

Cerca de 300 mil pessoas viram um garoto de 8 anos com apelido LilDemon dar uma aula de break – a dança inspirada no som do rap, nos anos 80 – a um adulto, Milky, durante um desafio do estilo. Milky foi bem, mas cada rodopio do garoto pelo chão era exaltado pela plateia.



Numa partida da terceira divisão do Campeonato Espanhol, os (poucos) torcedores tiveram a criativa ideia de brincar de mímica, imitando o bandeirinha. Para onde ele ia, eles iam atrás, copiando seus movimentos.
DICA

Vencedor de mais de 50 prêmios nacionais e internacionais, o fotógrafo Araquém Alcântara  lançará na próxima quarta-feira, na Livraria da Vila dos  Jardins (São Paulo), o livro Retratos da nação, reeditado com outras temas diversificados. A obra traz 81 imagens que o profissional fez durante 40 anos em viagens  pelo país.
Editora TerraBrasil, 169 páginas, R$ 120.
Vejam algumas imagens registradas  por Araquém Alcântara: 










CINE SINGULAR

Minhocas   

 Gênero: Animação
 Diretor: Paolo Conti
 Ano: 2006
Duração: 15 min
Sinopse
 Quando a criança está pronta para perguntar, os adultos podem não estar preparados para responder. O dilema do questionamento, enfrentado por pais e filhos, é o assunto dessa família de minhocas, na qual o Júnior está crescendo e ainda não conseguiu do pai, da mãe e do avô nenhuma resposta convincente para uma questão que não pára de intrigá-lo: por que é proibido cavar para cima?
 Ficha Técnica
Produção: Joana Lúcia Bocchini
 Fotografia: Paulo de Tarso Roteiro Paulo de Tarso
 Edição: Arthur Medeiros Nunes
 Direção de Arte Policarpo Graciano
 Animação: Paolo Conti
 Som: Fuego Sonoro
 Cenografia: Policarpo Graciano
 Co-direção: Arthur Medeiros Nunes Storyboard Laurent Cardon e Paolo Conti   

 Prêmios
 Melhor Curta Infantil no Anima Mundi 2006
Melhor Animação - Júri Popular no Curta-se - Festival Luso-Brasileiro de Curtas Metragens de Sergipe 2006
Melhor Vídeo pelo Júri Popular no Curta-se - Festival Luso-Brasileiro de Curtas Metragens de Sergipe 2006
Melhor Animação no Granimado Festival Brasileiro de Animação 2006
Excelência no JVC Tokyo Video Festival 2006
Melhor Animação no Festival de Varginha 2006   

 Festivais
 Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2006