26 de jun de 2010

Copa do Mundo

Nando Pax, o brasileiro

que emplacou a maior

diversão no twitter

O enfant terrible por trás do Cala Boca Galvão! se chama Fernando Motolese, conhecido no twitter como @Nando Pax, tem 27 anos, é produtor musical há 10 anos. Nando varou a madrugada até a hora de publicar o video no You Tube, foram mais de 12 horas de trabalho. Um tweet, que ele viu ás 2 horas da manhã, do jornalista André Conti, que trabalha na Companhia das Letras, foi a origem de tudo. André nos contou que a frase inspiradora não era dele, já estava rolando no twitter, na boca dos norte-americanos. Ele apenas retuitou.




A maior diversão da web: vídeo da campanha Save Galvao Birds


Criação colaborativa

Antes de virar o terror da TV Globo e de Galvão Bueno – que acabou gostando da brincadeira – Nando Pax já incomodava muita gente pelo seu web ativismo. Hoje recebe propostas variadas, de políticos a programas de humor na TV.

Assume que o video Save Galvao Birds foi uma criação coletiva, que viralizou graças a ajuda de muita gente, especialmente, o pessoal do site NãoSalvo.com.br que seleciona o melhor e o pior da internet.





A receita para ir parar no Trending Topics

Para Nando, o importante é usar referências de idéias que já estão na crista da onda e que já foram viralizadas.

Ele convoca agora os criativos a usar a imaginação e criar videos e músicas sobre herois brasileiros. os melhores serão selecionados por uma gravadora que irá produzir o single Brazilian Heroes, espécie de We are the World.

E pra quem pensa que a boataria ficou por aí, ledo engano:
portais na internet tiveram de desmentir nos últimos dias, que o seriado Os Simpsons iria aderir ao Cala Boca Galvao! para salvar os pássaros brasileiros.

Brazilian Heroes, espécie de We are the World

Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho de Nando Pax como produtor musical, veja aqui a paródia feita a partir do clip Baby do cantor teen Justin Bieber.

Autora do texto : Mona Dorf do portal Ig






24 de jun de 2010


Copa do Mundo

Porta celular especial

A modelo Larissa Riquelme vibrou em Assunção com a classificação do Paraguai para as oitavas-de-final. Parece que o que não vibrou mesmo foi seu celular muito bem guardado no meio da aglomeração de torcedores na capital do país.

(Fonte: Uol)



Traseiros célebres

Neste mês, a editora alemã Taschen lança no Brasil o livro The Big Butt Book, algo assim como O Grande Livro das Bundas. Nas 372 páginas da publicação estão os bumbuns mais avantajados do mundo. Foram convidadas mulheres de várias partes do mundo, perfazendo mais de 400 fotos de belíssimos traseiros, satisfazendo aos amantes das poposudas. De acordo com os editores o livro explora a fascinação perene com a bunda feminina – de pequena e certinha a grande e suntuosa. A representante brasileira é a Mulher Melancia que fez pose na boleia de um caminhão. Sem dúvida, o Brasil está muito bem representado em termos de retaguarda. E por falar em Mulher Melancia, ela Renata Frisson anunciou que irá disputar uma vaga de deputada estadual, pelo Rio de Janeiro. A fruta ainda não tem partido, mas declarou que irá lutar pela causa dos taxistas. Na verdade, os taxistas é que lutam para que Melão seja eleita, pois já já detém o título de "musa da categoria" dos motoristas cariocas por toda sua fartura.

23 de jun de 2010



Copa do Mundo

Dunga/TV Globo

Gosto muito de futebol e sempre acompanhei, pela imprensa, as coisas do esporte mais praticado no Brasil. E, agora na Copa do Mundo, especialmente. Extra campo, um dos assuntos mais comentados é a postura do treinador Dunga diante da cobertura jornalística da seleção brasileira. Com o seu jeitão de xerife ele disciplinou as entrevistas e reportagens sobre o selecionado. E deu estocada, principalmente na TV Globo. Desde o começo da Copa até então não tinha visto um comentário tão abalizado como o escrito, hoje, pelo valente jornalista Hélio Fernandes em seu jornal Tribuna da Imprensa, e que transcrevo:

Apesar de dar o “caso” por encerrado, a Globo não esquece Dunga, sabe que agora perdeu. No início de 2008, Dunga venceu, depois perdeu no final de 2008 com Galvão Bueno. Ricardo Teixeira não ganhou antes ou depois, não combateu

É uma luta constante, aberta ou escondida, gravada ou ao vivo, mas com direito a ida e volta ou até reviravolta. E péssima análise. Com isso, pedido de trégua. No domingo, editorial no Fantástico (não há Jornal Nacional nesse dia) –vejam o vídeo acima -, mas os inspiradores e até redatores, do alto escalão.

Só que acreditavam se esconder por trás do repórter Alex Escobar, insultado por Dunga na véspera, e obter a audiência recorde de 44 pontos. (Como aconteceu no jogo Brasil-Coreia do Norte, dados do Ibope).

Mas como o Ibope dá resultados contra e a favor, logo comunicava à Globo: “O editorial contra Dunga repercutiu muito mal, quem estava contra ele, ficou a favor”. Começaram a se assustar e entraram em “pânico na TV”, quando receberam o resto da informação: “A opinião pública concluiu que a Organização Globo está contra a seleção”.

Sabendo que não podiam lutar contra isso, mudaram totalmente de posição, “o episódio está encerrado”. E complementando com as ORDENS INTERNAS NESSE SENTIDO, publicamente fizeram autocrítica, chorando aos pés da Procissão: “Sempre fizemos tudo pela seleção, corremos até o risco de trocar o jornalismo pela TORCIDA, mas foi sempre o que fizemos”.

Não acaba aqui, porque nada começou aqui.

A Globo quer dominar tudo, e não apenas o futebol. Com a Organização, as potências jamais andam na rua, se escondem para dominarem com vigor e efervescência. (É essa palavra mesmo). Com treinadores que trocam abençoadamente a independência pela exibição, a Globo não perdeu nenhuma luta, nem sequer um round.

Só que Dunga “enganou” muito bem os analistas de plantão da Globo, assumiram que “o atual treinador é dócil como os outros”, e foram dormir saciados. Só que se equivocaram totalmente. Deviam ter concluído, que não podia ser por acaso que o treinador era conhecido pelo apelido (seria pseudônimo?) da fábula.

A luta vem de longe, pois Dunga, ao contrário de outros, com muito mais nome (tipo Leão e Luxemburgo, na época), está há quatro anos à frente da seleção. Veio “por mares nunca dantes navegados”, sem naufragar, mesmo enfrentando turbulências da poderosa nau platinada.

Vou contar apenas dois episódios marcantes da luta pelo “cinturão”, entre Dunga e a Globo. Os dois em 2008, o primeiro, estocada de Dunga, vitorioso. O segundo, revide da Globo, que era para ser demolidor e arrasar Dunga, mas que ele recebeu, não revidou e ganhou.

1 – Dunga comunicou à Globo que “gostaria muito que Mario Jorge Guimarães deixasse se ser o elemento de ligação com ele”. Dunga sabia que fazia aposta que só mesmo Lloyd’s de Londres bancaria.

Bancou e ganhou. Mario Jorge Guimarães, homem fortíssimo da Organização, ficou surpreendido ao ser “promovido” a Executivo BEM ALTO do SporTV. E Dunga também surpreendido com a vitória. Só que não sabia que a Globo acertara com Ricardo Teixeira um esquema para derrubar Dunga.

Nesse esquema, entrava o seguinte. A Globo, representada por Galvão Bueno. a CBF e Ricardo Teixeira pelo assessor de cavalaria. E o instrumento seria o programa “Bem, amigos”, do próprio Galvão.

Uma irresponsabilidade jornalística (?) total. O programa, com toda sua equipe de estrelas, só tinha um objetivo: revelar à opinião pública e comentar a SUBSTITUIÇÃO DE DUNGA por Muricy Ramalho.

***

PS – Para maior grandiosidade, o próprio Muricy estava presente, endeusado, engrandecido e aplaudido, rindo a noite toda. O programa levou duas horas e 20 minutos, só se tratou disso.

PS2 – Para justificar a “informação”, disseram candidamente que ela vinha de alguém “que circulava em torno de Ricardo Teixeira”. Ha!Ha!Ha!

PS3 – Acabou a palhaçada, todos satisfeitos e vitoriosos, foram jantar depois do programa, (como fazem habitualmente) tinham como certo que Dunga procuraria a CBF para se render à Globo.

PS4 – O treinador foi ganhando, acumulando vitórias esportivas e fazendo o tempo correr a seu favor.

PS5 – Teixeira, seu assessor de coudelaria e a Globo, esperando tranquilos a derrocada de Dunga. Mas este foi ganhando, o tempo passando e tornando impossível sua demissão.

PS6 – Chegou a época da Copa, a Copa uma realidade, não entenderam nada. Tiveram a audácia de ir pedir a Dunga uma “entrevista exclusiva”. Levaram um safanão, jogaram a culpa em cima do mau humor do treinador.

PS7 – Agora, não tem mais solução: se a seleção VENCER, a vitória é do Dunga. Se for DERROTADA, é a Globo. A própria Organização PASSOU RECIBO".


Copa do Mundo

Na base da galhofa

Depois do maior auê da brincadeira brasileira que virou hit viral e recordista de acessos no mundo (a campanha Cala Boca Galvão, no Twitter – com imagens bem produzidas e narradas por um locutor inglês, a peça publicitária falsa explica que Galvão é um papagaio, da Amazônia, ameaçado de extinção e que cada mensagem postada, no Twitter geraria 1 cent para salvar o pássaro) a peça ganhou uma proporção tal que até o próprio Galvão Bueno acabou aderindo à brincadeira.

Agora é a vez do técnico da seleção brasileira, Dunga, que entrou na roda da galhofa brasileira, por conta do seu estilo nada educado de tratar juiz de futebol e, principalmente jornalistas. É uma paródia de cena do filme “Um dia de fúria” com Michael Douglas, no caso, o técnico Dunga, depois do arranca-rabo com jornalistas da Globo. O vídeo, sobre “tudo o que a TV não mostrou” do episódio, reproduz o estilo “macho pacas” do gaúcho invocado, com direito a muitos palavrões. Ou seja, é proibido para menores, ouvidos (e opiniões) sensíveis. Vejam embaixo:


an>

22 de jun de 2010

Copa do Mundo

A Copa do Mundo está em todos os cantos da internet, e um dos vídeos mais divertidos sobre o tema é de um grupo de fanáticos que simulam os melhores momentos do Mundial usando bonecos Lego. O mais visto é a partida entre Estados Unidos e Inglaterra.

(Fonte: Bombounaweb)































Copa do Mundo

Se seu vizinho estiver assistindo ao jogo,

via radinho de pilha,

vai gritar gol do Brasil

primeiro do que você


Ronaldo, o Fenômeno, pentacampeão, em 2002, postou no seu micro-blog, além de comentários sobre o jogo do Brasil, colocou uma reclamação: “Minha TV está cinco segundos mais lenta. A galera da Viaboim (praça de Higienópolis –São Paulo) vibra antes de passar o gol aqui em casa”. Realmente está sendo uma das grandes chateações para quem está assistindo aos jogos do Brasil, via TV a cabo (digital).

E o problema chama-se delay (que traduzindo para o Português seria atraso). Na realidade o tempo que o sinal da transmissão percorre para que os dados subam e desçam do espaço à Terra. No delay analógico o sinal demora cerca de um quarto de segundo para ir até o satélite e outro para voltar até a base, no máximo. Ou seja, se a transmissão for enviada para todo o País, o sinal ainda precisa fazer outra viagem de ida e volta até chegar às telinhas, o que pode acrescentar um pouco mais de atraso.

Mesmo com toda tecnologia de geração e de captação de imagens (atualmente chegando ao 3D) a transmissão ainda é o maior problema. A tecnologia analógica é a que demora menos tempo para executar todo o processo que é necessário para à transmissão digital, a mesma oferecida pela maioria das operadoras de TV a Cabo.

O caminho é longo. O sinal sai da geração (estádio de futebol, mesa de corte ou suíte de imagens, por exemplo), depois vai ao satélite. Após ser rebatido pelo satélite, o sinal tem que ser codificado, comprimido e transformado em formato digital. Parte desse processo é desnecessário no sistema analógico. Mesmo assim, há espaço suficiente para alocar vídeo e som de boa qualidade, mesmo em transmissão ao vivo. Em contrapartida, para assistir a uma programação em melhor resolução, o usuário tem mesmo que aguardar, em média, cinco segundos a mais para que a transmissão chegue ao seu televisor, seja ele de que formato for.

A promessa das operadoras de TV a Cabo é que isso acabe quando o modelo analógico não for mais maioria. Assim, segundo eles, o delay será reduzido a padrões semelhantes ao do rádio. Esta será a primeira Copa do Mundo com transmissão digital em grande escala. Esse processo começou em 2006. Hoje, cerca de 30% da base de assinantes têm sinal digital. Pelo andar da carruagem o fim do problema ainda demora mais alguns anos ou talvez mais uma Copa do Mundo.

As empresas se justificam dizendo que mesmo com atraso vale a pena acompanhar um jogo de futebol pela tevê com imagens nítidas e boa resolução com o som surround de 5.1 e com toda a sensação de estar em um estádio. Mas eu acredito que não é bem isso que a maioria deseja, pois eu mesmo não gostaria de ver uma imagem linda, um som maravilhoso e ser interrompido no meu deleite audiovisual pelos gritos esbaforidos do meu vizinho comemorando um gol que eu ainda não vi. Ou seja - estou pagando para assistir a um videotape de alta qualidade onde, mesmo sendo ao vivo, o que não importa é a instantaneidade da informação. Questão de gosto.

Esse delay não é apenas privilégio de eventos como a Copa do Mundo, mas em treinos de corridas de Formula 1 e Fórmula Indy, por exemplo, o problema é ainda mais grave. A pessoa que está em casa assistindo às 500 Milhas de Indianápolis não vê nem o treino e nem a corrida ao vivo, pois o delay é de oito segundos. Oito segundos é aproximadamente 1/5 do tempo que viraram os mais rápidos pilotos do Carb Day durante o treino final que antecedeu a corrida deste ano.

A Sky explicou alguns pontos sobre o problema. Segundo eles quanto maior a qualidade da imagem maior será o delay, pois "trata-se de uma característica de qualquer sistema de TV digital". É estranho, mas o delay é ocasionado por uma 'eficiência...' e isto é o que você perde por ter que comprimir um sinal com maior qualidade. Mas ainda tem outra: uma das maiores causas de delay é a entrega do sinal, desde a programadora, até o centro de transmissão da SKY.

O cálculo da SKY é um pouco diferente do que a gente consegue perceber na vida real. Segundo eles afirmam, um processamento MPEG2 provoca de 2 até 5 segundos de delay, o caminho do centro de transmissão até o satélite e deste até o assinante provoca mais 250ms de delay (1/4 de segundo). Essa é a parte que eu não concordo: "Se for feita uma comparação entre o delay de uma TV por assinatura via satélite e uma por cabo, considerando que o canal chegue ao centro de transmissão com o mesmo delay e considerando a mesma eficiência de processamento para compressão, o delay da operação via satélite seria apenas 250ms maior que o do cabo", finalizam. Pois é, e considerando que meu rádio e minha TV analógica não estão "malucos" eu não posso concordar com isso e nem com essa conta.

Minha sugestão: compre um radinho e faça este teste em casa. Se o seu vizinho estiver assistindo o jogo pela TV analógica, você, com a sua arma secreta (o rádio) vai gritar gol antes dele. Assim, não fica tão feio você ter gasto uma grana alta comprando uma TV Digital e uma assinatura de TV a Cabo. Lembre-se, para que isso acabe ainda será necessário que a quantidade de TVs analógicas seja inferior à de TVs de formato digital. Como vai demorar ainda alguns anos, então, quando for assistir aos jogos, leve seu radinho de pilha.

(Fonte: Portal Terra)

21 de jun de 2010

Passando tempo com o Super Mario Bros,
"bailando" ao som de violino







Copa do Mundo

A magia do Hino

De quatro em quatro anos, nos jogos do Brasil, na Copa do Mundo, tem um momento muito sublime e que emociona a todos, plateia e jogadores: a execução do Hino Nacional Brasileiro. Tal e qual os jogadores, muitos torcedores se perfilam diante da TV, com a mão direita espalmada sobre o coração. Embora com uma letra complicadíssima (lábaro estrelado, dos raios fúlgidos...), o nosso Hino encanta pela musicalidade, pela emoção, pelo vigor, na obra de Francisco Manuel, criada em 1822, uma das composições mais bem-sucedidas na história da Música Brasileira. Muitos anos depois, o grande compositor americano Louis Gottschalk, em 1869, e que morava no Brasil, homenageou o compositor brasileiro, escrevendo a celebrada Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro.

Há alguns anos, ouvi o magistral Arthur Moreira Lima executar a Fantasia, aqui, em Fortaleza, no Parque do Cocó. Naquela ocasião, Arthur Moreira Lima viajava pelo Brasil, em seu caminhão, difundindo a sua arte pianística. Belo exemplo.

Vejam a execução de Athur Moreira Lima:

20 de jun de 2010

Bombou na web
nesta semana
A imagem edificante da semana é de duas tartarugas. No vídeo, uma delas aparece virada de cabeça para baixo. Como nunca conseguiria se virar sozinha, estava fadada a fritar até a morte dentro do casco. Fritaria, não fosse a ajuda da segunda tartaruga, que fez força com a cabeça e ajudou a colega a ficar na posição correta. Tudo, é claro com muita calma. O vídeo foi visto mais de 100 mil vezes.



O site Huffington Post divulgou nesta quinta-feira (17) o vídeo de um bebê brasileiro que nasceu com a alma de um dançarino de axé. O garotinho é quase um Xandy em miniatura. Os movimentos do menino são tão perfeitos que já tem gente achando que é montagem.



A música chama-se Whoomp! (There It is), da banda americana Tag Team, e foi um rap de muito sucesso no começo dos anos 90. Inclusive no Brasil. Foi a origem do grito de torcida “u, tererê”, recorrente nas arquibancadas brasileiras. Quase 20 anos depois, o clipe da música voltou a fazer sucesso por causa de um figurante que, segundo rumores, seria ninguém menos que o presidente americano, Barack Obama. O burburinho foi tanto que jornalistas procuraram a Casa Branca para um pronunciamento. Obama é sabidamente fã de hip-hop, afinal. O presidente não comentou, mas a banda Tag Team declarou que se trata de um sósia (dê seu veredito – ele aparece no primeiro minuto do vídeo). A boataria rendeu mais de 1 milhão de novos acessos ao clipe.



Fonte: revista Época

Passando o tempo, ouvindo
Carlos Drummond de Andrade


Pense numa mulher cricri









Copa do Mundo

Um ensaio da revista norte-americana Sport Illustrated reuniu mulheres e namoradas de jogadores com as camisetas das seleções pintadas sobre a pele. Levando em conta seus parceiros, a escalação na foto acima é: Bastian Schweinsteiger, Peter Crouch, Clint Dempsey e Cristian Vieri (opa, este último já está muito veterano para a Copa, mas não para as mulheres). Confira abaixo os bastidores da pintura da senhora Dempsey (UOL).