4 de set de 2010

Saudade de Yellow Submarine

Embora seja considerado pela crítica como o disco mais fraco dos Beatles (o único a não alcançar o 1º lugar nas paradas nos EUA e no Reino Unido) é um dos que mais gosto da melhor banda de todos os tempos. Título do filme do mesmo nome, o álbum foi gravado entre 1967 e 68.

3 de set de 2010

Os manequins do beco da poeira

As imagens, vistas aqui, são raras, no mundo da moda. Fotografei esses manequins enfileirados, no beco da poeira- Centro de Fortaleza...

E do jeito que foram criados, esculpidos e moldados em plástico. Algo assim, do jeito que nasceram pelas mãos do escultor...

Sem maquiagens, despidas, as peças estão lá aguardando serem compradas, vestidas para promover estilos, atrair clientes e vender peças, naquele shopping a céu aberto.

Contraste e pudor

Olhando de uma certa distância dá pra notar que ali funciona um motel (na esquina entre as ruas Pedro I e General Sampaio, no Centro de Fortaleza), independente da placa: a pintura caliente (vermelho) envolve todo prédio...

com ilustrações de pinturas eróticas. Um monumento ao romantismo carnal...

O outro lado, o do pudor. A entrada do Motel Diplomata é um primor de discrição: entre a porta e a rua um pano estendido disfarça, um pouco, a chegada e a saída daqueles ávidos de amor.

Em tempos de eleições um éden sempre é prometido, de quatro em quatro anos. Só gogó. Digo daqui que ainda não apareceu um candidato para denunciar o estado de abandono em que está o principal cartão postal de Fortaleza...

e ícone do patrimônio histórico e patrimonial cearense: a Praça do Ferreira.O relógio da Coluna da Hora parado há meses. A fonte luminosa quebrada, a imundície tomando conta dos tanques...

...e os peixinhos morrendo.



Estreia

A nova aposta em filão da cultura transcendental estréia hoje. O filme Nosso Lar, baseado na obra de Chico Xavier faz parte da safra sobre a vida do famoso médium, iniciada com a cinebiografia dele vista até agora por mais de 3 milhões de pessoas. Baseado no livro homônimo que o médium Chico Xavier (1910-2002) psicografou do espírito André Luiz e que já vendeu mais de 2 milhões de exemplares, Nosso Lar custou R$ 20 milhões.

2 de set de 2010

Sai pra lá com essa preguiça...


SBT é condenado a pagar

R$ 1,4 milhão ao autor do

jingle Sílvio Santos vem aí

Caras e caros internautas que comparecem por aqui de quando e vez: vocês sabiam que aquela musiquinha que começa com o lá-lá-lá, cantada todos os domingos na abertura do programa Sílvio Santos, está valendo R$ 1,4 milhão?

O que acontece é o seguinte: em 1965 o publicitário Archimedes Messina criou o jingle encomendado por Sílvio Santos, que não ainda não era o Silvio Santos, e à época locutor da Rádio Nacional. Sílvio queria algo para anunciar sua entrada no ar. Messina não ganhou nem um tostão, pois era funcionário da rádio. E a musiquinha acompanha o maior comunicador de massa até hoje. Só que Sílvio nunca pagou um centavo a Massina pelos direitos autorais. O publicitário entrou na Justiça e ganhou a causa com o SBT condenado a pagar a indenização de R$ 1,4 milhão ao autor do jingle. Para chegar à quantia, a Justiça levou em conta o custo da publicidade no Programa Sílvio Santos, nos últimos 20 anos.


Fórum Autran Nunes realiza
exposição histórica

O antigo prédio da Fênix Caixeiral, localizado no Centro da Capital cearense, abrigou as primeiras instalações da Justiça do Trabalho no Ceará, em 1941. A imagem iconográfica faz parte do acervo de fotos da exposição “A Justiça do Trabalho na Ambientação da Fortaleza Antiga”, que vai até o próximo dia nove (dia 27) no hall de entrada do Fórum Autran Nunes - edifício Dom Hélder (Rua Pedro I esquina com a Av. Tristão Gonçalves).
Além do registro sobre o passado da Justiça Trabalhista, a mostra apresenta preciosidades documentais da Fortaleza do início e meados do século XX. Peculiaridades como a Rua Formosa (hoje Barão do Rio Branco), em 1910, povoada de carroças e bondes de tração animal; a fase áurea da Praça do Ferreira, em 1934, apresentando a antiga Coluna da Hora, o Cine Moderno, o Edifício Majestic; o gasômetro (depósito de gás carbônico), que alimentava a iluminação da cidade nas primeiras décadas do século passado. E outras fotografias pertencentes à memória da Capital.

1 de set de 2010

A última charge de Ique mostra a pressa da candidata Dilma em ocupar o lugar do presidente operário, que ainda não é seu, revelando toda a arrogância petista

A última charge

Depois de 27 anos de casa, deixa o Jornal do Brasil o chargista Ique, e seu último trabalho foi publicado ontem, juntamente com a última edição, impressa em papel, daquele jornal fundado em 1891. A partir de hoje, restará aos leitores apenas a opção da edição digital, via internet, mediante uma assinatura mensal de R$ 9,90.

Vencedor de dois Prêmios Esso de Jornalismo (1990/1991), o artista gráfico explica em seu blog (Blique – o blog do Ique) as razões que o levaram a pedir demissão. Segundo ele foi uma “decisão pragmática e baseada nas informações anunciadas pelo comando da empresa, acerca do audacioso projeto, que não se encaixou em minhas expectativas pessoais para este momento profissional”.

Prefeitura de Barcelona

admite multar Shakira

Imagens do novo videoclip da cantora colombiana, aquela que cantou a música oficial da Copa do Mundo, para a canção Loca, gravada em Barcelona, na semana passada, vazaram na internet. Nos trechos disponíveis na web, a artista tem comportamento condizente do o título da música. Ela aparece se banhando de biquíni em um chafariz público, patinando em local proibido e andando de moto sem capacete. Tudo que as autoridade locais tentam coibir. A prefeitura ficou muito incomodada com a repercussão das imagens e, como represália, a cantora e sua equipe terão que pagar multa, ainda sem valor estipulado, pelo mau exemplo que deram.
Vejam aí o que loira espevitada aprontou em Barcelona:


31 de ago de 2010

Help!!!!!!



A japonesa Yoko Ono, viúva de John Lennon e considerada por muitos como responsável pelo fim da maior banda de rock de todos os tempos, está em temporada no MoMA (Museu de Arte Moderna de Nova Iorque) apresentando seus questionáveis atributos de cantora e artista plástica vanguardista numa demonstração do que ela mesma chamou de “poema conceitual”.

Eu, por outro lado, prefiro acompanhar quem registrou a performance e chamar de “mais longo, fingido e constrangedor orgasmo de todos os tempos”.

Assistam (se conseguirem) e vejam quem está certo.

Deu no Kibeloco

Luzes da cidade

O cidadão que aparece na foto é como a Copa do Mundo e a classe política: só acontecem para o povo de quatro em quatro anos. No período eleitoral, ele enfeita sua carroça com tudo que é propaganda de candidatos e sai pelas ruas e alamêdas da cidade 2.000, aqui em Fortaleza, alegre e faceiro, curtindo as eleições. Diz ele que não cobra cachê de candidatos para fazer a divulgação no seu outdoor móvel. Só tem um porém: são tantos cartazes amontoados que fica complicado distinguir as mensagens dos postulantes.

Pelo jeito, ele não está nem aí, pois quer mesmo é aproveitar a folia eleitoral.



Tiririca X Mercadante
Passando o tempo...

30 de ago de 2010

Capas históricas

De olhos abertos, um guerrilheiro abatido, morto, na selva da Bolívia. Foi a foto de Che Guevara exibida na edição do dia 11 de outubro de 1967

"Fechou os olhos D.Pedro 2", assim começava a notícia sobre o morte do último imperador do "Brazil", no dia 6 de dezembro de 1891, 8 meses após a criação do jornal

A capa do AI-5, de dezembro de 1969, trazia a seguinte previsão: "Tempo negro. Temperatura sufocante. O ar está irrespirável. O país está sendo varrido por fortes ventos"

A conquista do Tri, no México, em junho de 1970

Símbolo da imprensa, JB chega às

bancas pela última vez nesta terça

Nesta terça-feira, 31 de agosto, um dos maiores símbolos históricos da imprensa nacional, o Jornal do Brasil, terá a última edição em seu formato tradicional, o papel. A partir de 1º de setembro, o JB vai poder ser lido exclusivamente em sua versão digital, pela internet. sta terça-feira, 31 de agosto, um dos maiores símbolos históricos da imprensa nacional, o Jornal do Brasil, terá a última edição em seu formato tradicional, o papel.

A última edição não deve ser especial, porque o jornal não quer dar a idéia de término, apenas de mudança e renovação. O jb.com.br, que se apresenta como “O primeiro jornal brasileiro na internet”, será a continuação virtual do produto jornalístico do grupo.


O motivo da mudança é a crise financeira enfrentada pelo diário desde os anos 90, que levou a dívidas, considerável queda de vendas, perda de credibilidade e demissões em série de jornalistas. Hoje, a redação tem apenas 60 integrantes. O iG antecipou em 30 de junho a informação sobre a suspensão da versão impressa.

Sem o mesmo prestígio e influência, o JB foi descredenciado do IVC (Instituto Verificador de Circulação), órgão responsável por auditar o número de exemplares vendidos das publicações brasileiras, e hoje se estima que a circulação seja de 17 mil exemplares durante a semana, em um momento que os jornais brasileiros crescem 2% em vendas.

Jornal do Brazil, com "z"

Fundado em 9 de abril de 1891 como Jornal do Brazil, o diário só deixou de testemunhar os primeiros 15 meses da Era Republicana e cobriu os mandatos de todos os presidentes do País. Teve seu auge entre os anos 50 e 80, quando ditou tendências e reunia alguns dos melhores profissionais da imprensa brasileira.

A partir dos anos 90, a crise o atingiu fortemente. A situação financeira do grupo é crítica. O passivo está próximo de R$ 1 bilhão, e parte das receitas está frequentemente bloqueada para o pagamento de dívidas trabalhistas e fiscais.

Ao colunista do iG Guilherme Barros, o controlador do Jornal do Brasil, Nelson Tanure, afirmou que nunca conseguiu fechar o diário no azul, desde que o assumiu, em 2001, assim como a Gazeta Mercantil, que também fechou. Para Tanure, este é seu último lance na mídia, porque “é muito difícil um jornal sério dar lucro, principalmente no Brasil”.

Desperdício

O Jornal do Brasil justifica que a migração do papel para o meio eletrônico é a tendência no mundo e procura se apresentar como pioneiro e inovador nessa transição. “Qualidade. Praticidade. Alinhamento com o futuro. Respeito à ecologia, inovação” é o novo slogan.

Oficialmente, alega também motivos ecológicos para o fim do papel. “Para cada 100 mil jornais que são impressos, 60 mil são vendidos e 40 mil são jogados fora. É um desperdício fantástico”, afirmou Tanure, a Guilherme de Barros, do iG.

De acordo com nota do JB na mesma linha, em anúncio, “os custos econômicos e ambientais do papel são insustentáveis”. “Mais que isso, são desnecessários: uma única edição de domingo do JB corresponde a cerca de 200 árvores, que levam anos para crescer e ocupam 40 mil metros quadrados de florestas. Isso equivale a quatro campos e meio de futebol. Em um ano, com a versão digital, são preservadas áreas florestais correspondentes a mais de 1.200 Maracanãs.”


No mesmo anúncio publicado em página dupla na semana passada, o Jornal do Brasil anunciou que será, “a partir de 1º de setembro, o primeiro jornal 100% digital do Brasil”. “A nova fase do JB usará atraentes plataformas multimídias em computadores e aparelhos móveis de qualquer tipo: laptops, desktops, iPhones, Blackberries ou os modernos leitores digitais iPad, Kindle, Nook, Mix, etc.”, diz o texto.

Fonte: IG

Erro de filmagem

O filme Perfume de Mulher é esplêndido com show de interpretação de Al Pacino, no papel do tenente-coronel Frank Slade, um cego que viaja para Nova York acompanhado pelo jovem Charlie Simms (Chris O’Donnell), com quem resolve ter um final de semana inesquecível. Só um detalhe: na cena da dança do tango foi cometido um erro de filmagem. A companheira de Frank está com um brinco bem grande, e quando os dois rodopiam e viram, ela já está sem o brinco (de 1:37 a 1:41 minutos). Na cena seguinte o brinco reaparece.


Após mudança na lei eleitoral,

CQC vai reeditar cobertura

DE SÃO PAULO

Com a queda do artigo 45 da lei eleitoral, que até então proibia trucagens e sátiras a candidatos na TV, o CQC"vai "rever" sua cobertura das eleições.

A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Audrey Furlaneto e publicada na Folha desta segunda-feira (30). A íntegra da coluna está disponível para assinantes do jornal e do UOL.

Leia-se: tudo o que estava proibido será visto no programa que vai ao ar hoje, às 22h20, na Band.

Recursos de arte e pós-produção sobre as imagens dos candidatos -como um nariz de palhaço aplicado sobre o rosto de um político, por exemplo- serão usados numa espécie de retrospectiva do que foi feito até agora.

A liminar que derruba o artigo 45, concedida após ação ajuizada pela Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV), libera os humoristas para sátiras explícitas que haviam sumido dos programas.

O humorístico Casseta & Planeta, que vai ao ar na Globo, por exemplo, optou por fazer ficção, criando personagens-candidatos.

"O Brasil não merece entrar no século 21 com palhaços sendo tratados com seriedade e truculência e políticos fazendo piada no horário eleitoral", disse Marcelo Tas, apresentador do "CQC", à coluna.

"A sensatez do ministro Ayres [Brito, que concedeu a liminar] me emocionou talvez por ser o bom senso algo raro como os meus cabelos na história do Brasil", completou Tas.

Charge - Amarildo

29 de ago de 2010

Morre o criado da série
O Vigilante Rodoviário

Morreu na manhã deste domingo (29), em São Paulo, o cineasta Ary Fernandes, criador da série de TV O Vigilante Rodoviário. Ary tinha 79 anos e desde 2005 enfrentava problemas de saúde em decorrência de um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Casado com Ignez Peixoto Fernandes desde 1958, o diretor deixa também dois filhos, Fernando e Vânia Fernandes. Segundo o biógrafo do diretor, Antonio Leão, o velório e o enterro, ainda sem horário definido, devem acontecer entre hoje e segunda-feira (30) no Cemitério Municipal Chora Menino, localizado em Santana, zona norte de São Paulo.
Nascido na capital paulistana em 31 de Março de 1931, o diretor começou a carreira no rádio como locutor e ator. Com especial interesse pela parte técnica do cinema, começou a trabalhar na Companhia Cinematográfica Maristela. Em 1952, o diretor de cinema Alberto Cavalvanti deu a primeira grande oportunidade a Ary como assistente de direção nos filmes O Canto do Mar e Mulher de Verdade.
Já em 1958, junto com o cineasta Alfredo Palácios, criou o pioneiro seriado brasileiro O Vigilante Rodoviário, exibido na década de 1960 pela TV Tupi. Em 1967 produziu mais um seriado, Águias de Fogo, que não obteve muito sucesso. A partir de então, passou a se dedicar ao cinema atuando como produtor e diretor em filmes como Uma Pistola Para Djeca (1969) e Orgia das Libertinas (1980). Em sua vida no cinematográfica, constam mais de 100 filmes sob sua direção e produção.



Passando o tempo com
o cachorrinho guloso

Bombou na web
nesta semana

Mary Bale, uma bancária britânica de 45 anos, tornou-se uma das mulheres mais odiadas da internet. Ela aparece num vídeo, gravado por uma câmera de segurança em Coventry, no Reino Unido, jogando uma gata viva na lixeira. Lola passou 16 horas presa dentro do cesto. Mary foi identificada após a criação de uma comunidade no Facebook, que reuniu mais de 18 mil membros. Ela disse que prendeu a gata porque achou que seria engraçado. Falou que não entendeu tamanha repercussão. Afinal, “era apenas uma gata”.




O blog Não Salvo mostrou o drama do garoto Enzo. Ele aparece num vídeo logo depois de ter tomado uma picada de abelha na boca. Com os lábios e as bochechas bastante inchados, ele dá um depoimento comovente para uma câmera sobre sua dor. Enzo estava tomando um refrigerante no clube. Ele se distraiu e mordeu uma abelha que estava no canudo.



As câmeras de um carro de polícia nos Estados Unidos flagraram um acidente impressionante. Um jovem de 19 anos que dirigia um carro a 160 quilômetros por hora numa estrada de Ohio saiu voando da pista, subiu a 6 metros de altura e arrebentou-se num viaduto. O jovem Brennan Éden, que fugia da polícia, foi socorrido e internado num hospital em estado grave.



O motorista de uma escavadeira atingiu o nível máximo de dificuldade na prova de balizas. Um vídeo, gravado em um país oriental, mostra como o operador de uma máquina que pesa toneladas passa com facilidade de um píer para uma balsa ancorada no cais. E depois ainda sai
remando a balsa até seu destino.



Fonte: revista Época

Sorriso desvendado?

Cientistas franceses dizem ter descoberto a técnica usada por Leonardo Da Vinci para compor o enigma da Mona Lisa, sua obra mais conhecida. Olhando de frente, o discreto sorriso quase desaparece. Da Vinci, dizem os cientistas, teria obtido esse efeito ao aplicar até 40 camadas de esmalte sobre a tela. Misturadas com outro pigmentos, criam leves distorções e sombras nos lábios de Mona Lisa que fazem o sorriso “mudar” de acordo com a posição de que se vê o quadro.


“Pior do que tá não fica”

Já dizia o filósofo Tiririca, candidato a deputado federal: “O que é que faz um deputado federal ? Na realidade eu não sei. Mas vote em mim que eu te conto. Vote no Tiririca. Pior do que tá não fica”.

Realmente com essa turma aí a coisa pode até piorar, mas por enquanto a eleição já está bem hilária e bizarra. Veja o vídeo: