27 de fev de 2010

Taí uma candidata preocupara com o desenvolvimento


Está no ar um trailer (uma versão “não-oficial” para a internet) do documentário Gretchen Filme Estrada. Dirigido por Eliane Brum e Paschoal Samora, o documentário narra a última turnê e a primeira campanha política da rainha do rebolado. Em 2008, Maria Odete Brito de Miranda, a Gretchen, foi candidata a prefeita da ilha de Itamaracá, em Pernambuco, numa coligação PPS/PV. Ao mesmo tempo, fazia a turnê de seus 30 anos carreira por circos mambembes pelo interior do Brasil. A equipe da Mixer acompanhou Gretchen para realizar um documentário que, como o trailer diz, “leva a muitos Brasis”.

Fonte: Bombounaweb.com

24 de fev de 2010

Sony anuncia finalistas de
concurso mundial de fotografia


Mustafa Ipek que mostra enterrada em uma partida de basquete é uma das finalista do concurso


O Sony World Photography Awards 2010 anunciou, ontem, as 190 fotógrafos finalistas da competição deste ano. Ao todo, foram enviadas mais de 80 mil fotografias para o concurso, que premiará as melhores fotos em 12 categorias profissionais e nove amadoras.Entre as categorias estão moda, esportes, artes plásticas, música e história natural.O comitê julgador vai anunciar, no próximo dia 22 de abril, em uma cerimônia no Palais des Festivals em Cannes, os vencedores de cada categoria e também o ganhador do prêmio L'Iris D'Or, concedido à melhor foto de toda a competição.Cada vencedor de categorias profissionais receberá US$ 25 mil e equipamento fotográfico profissional da Sony.O vencedor de categorias amadoras receberá US$ 5 mil, além do equipamento.Entre os finalistas deste ano estão fotógrafos já premiados no passado e também finalistas de edições passadas."Assim como nos anos passados, o grande número de entradas em todo o mundo nos impressionou e nos lembra de como a fotografia é uma forma universal de expressão criativa", disse a diretora criativa da World Photography Organisation, Astrid Merget."Estamos entusiasmados com a qualidade dos competidores, que melhorou mais uma vez, e ainda mais felizes com o retorno de antigos finalistas a esta lista."Neste ano, pela primeira vez, o público poderá comparecer à cerimônia de gala da premiação.
Fonte: Portal Terra


Passando o tempo como o roubolation..

23 de fev de 2010


Atleta rejeita contato com mãe biológica

Em três e-mails encaminhados ao jornal O Povo, o patinador Florent Amodio, cearense adotado por casal de franceses, rejeita contato com sua família biológica, que vive em Sobral.


O patinador Florent Amodio não quer contato com sua família biológica. Destaque na mídia brasileira desde a semana passada em virtude de ter nascido em Sobral, o atleta de 19 anos, que representou a França nas Olimpíadas de Inverno de Vancouver (Canadá), mostrou-se irritado ao saber que dois veículos de comunicação, O Povo e a Rede Record, localizaram na cidade cearense sua mãe e três irmãos. Ele deixou claro que não os considera como parentes e que não deseja reencontrá-los.
A posição foi manifestada em três e-mails encaminhados ao O Povo entre o último domingo e ontem, sendo dois deles em resposta a e-mail enviado na última quarta-feira ao endereço do atleta, disponibilizado em seu site oficial. Uma mensagem foi assinado por Florent, outra pela mãe e a terceira em conjunto pelo atleta e seus pais. No primeiro e-mail, assinado pela mãe do patinador - que não informou o nome -, ela demonstra irritação com o que vem sendo divulgado nos últimos dias pela imprensa brasileira a respeito das raízes do patinador em Sobral. ``Nós não amamos mais o Brasil``, diz a mensagem, que faz menção a uma frase que Florent disse, durante as transmissões das Olimpíadas, de que adorava o seu país de origem. A mensagem segue em tom áspero. ``Nós não queremos falar com nenhum jornal. Florent é francês. Somente francês``, enfatiza, em resposta ao pedido de entrevista. O segundo e-mail, subscrito pelo próprio patinador, reforça o tom pesado das declarações. Nele, Florent se mostra chateado com a exposição de suas origens pela mídia e adota uma postura de desconhecimento sobre o passado que ele mesmo chegou a comentar durante as Olimpíadas. ``Eu não tenho nenhuma família no Brasil. Nenhuma -mãe-``, ironiza.
Rejeição
Em seguida, ele exalta que a única mãe que considera ter na vida é a de sua criação. ``Minha mãe está aqui. Meu país é aqui. Sobral é apenas o local em que nasci. Eu não quero honras. Me deixe``, diz, dando a entender que que rejeita um reencontro com a mãe biológica. Na terceira e última mensagem, enviada para o e-mail do repórter que fica disponível nas matérias publicadas no jornal O Povo, Florent e seus pais fazem referência ao conteúdo apresentado nas reportagens das edições de sábado (``Orgulho de uma família sobralense``) e de domingo (``Sonho de um reencontro``), em que a mãe biológica do patinador, Delfina dos Santos, reclama da falta de notícias do filho nos últimos 18 anos. ``Se essa senhora (a sobralense Delfina) deseja alguma informação sobre o filho que deixou no passado, ela que procure isso de forma reservada, privada, sem mídia. Desejamos que ela localize a criança que abandonou há 18 anos``.

(Matéria assinada porBruno Balacó e publicada na edição de ontem do O Povo)


Súplica aos ladrões

O cidadão que aparece na foto é um comerciante que, cansado de ser roubado na Capital paulista, fez um apelo patético...aos ladrões. Ao mesmo tempo denuncia a ineficácia da Polícia para proteger o cidadão.
A que ponto chegamos: ter que suplicar aos bandidos.
A inspiração de Avatar
O filme Avatar, de James Cameron, campeão de bilheterias de todos os tempos, teve o seu mote (a metáfora da luta contra um povo invasor e militarmente superior), como inspiração para ativistas palestinos em um protesto na vila Bil’in, na Palestina, que limita a cidade, gritando palavras de ordem. Dezenas deles se pintaram de azul e marcharam até a barreira montada pelo Exército israelense, e foram recebidos com bombas de gás lacrimogêneo.
Vejam o vídeo:

22 de fev de 2010


A farsa da foto (1)
Os meios de comunicação sempre foram manipulados quando acontecem guerras. Os países beligerantes passam informações dos seus interesses, não importando com a veracidade dos fatos. São estratégias para levantar o moral das tropas, da população, enganar inimigos... a relação de pretextos não termina.A fotografia também foi usada para essas artimanhas, durante a II Guerra Mundial. Dois casos emblemáticos de manipulação de imagem foram descobertos depois de muitos anos do término do conflito mundial: o hasteamento da bandeira norte-americana, na batalha de Iwo Jima, no Japão, e a colocação da bandeira soviética, no topo do Parlamento alemão. Na semana passada faleceu Abdulkhakim Ismailov, soldado que participou da farsa vermelha.Vejam os dois casos:
A farsa da foto (2)
A foto mostra três soldados agitando a bandeira soviética no topo do Reichstag, o Parlamento alemão. Ismailov é o soldado no centro da imagem. Moscou só revelou que Ismailov era um dos soldados da foto em 1996, quando ele ganhou uma medalha de herói nacional. Todavia, o simbolismo foi manchado quando o fotógrafo, Yevgens Khaldei (autor da foto) , revelou que a imagem foi “armada”.

Vejam como foi a “armação”
A foto ícone da queda de Berlim foi tirada, na verdade, três dias após a tomada de Reichstag. A bandeira soviética real, na foto, foi costurada com três toalhas vermelhas de mesa. Ismailov aparece na foto real com um relógio em cada pulso. Na publicação da foto em revistas soviéticas, um dos relógios foi suprimido, para o Exército Vermelho não ser acusado de pilhagem.

A foto original foi retocada (de forma grosseira) posteriomente, pois a bandeira aparece resplandecente, com a foice e o martelo bem visíveis.


A farsa da foto (3)


Até hoje ainda tem gente que inclui entre as “12 melhores fotografias em toda a História da Humanidade”, a foto feita por Joe Rosenthal para a Associated Press, mostrando jovens estirando a bandeira dos EUA, na batalha de Iwo Jima, durante a II Guerra Mundial.Aquilo, na verdade não foi “um momento histórico para a humanidade”. Foi sim uma farsa do hasteamento da bandeira norte-americana, sem qualquer importância, para o desenrolar da guerra contra os japoneses. O governo norte-americano, mesmo sabendo da armação, aproveitou a farsa e usou a foto para obter aprovação popular e captar recursos para comprar armas.A foto pode ser considerada, isto sim, um momento triste para a história da humanidade.
Na batalha de Iwo Jima, pequena ilha ao sul de Tóquio, morreram sete mil fuzileiros navais dos Estados Unidos e 21 mil combatentes japoneses.
Mais detalhes sobre a foto, no filme A Conquista da Honra, de Clint Eastwood:

Tô dentro
O meu amigo Nirez me enviou um e-mail dando conta da audiência pública que acontecerá, na próxima sexta-feira (dia 26), a partir das 9 horas, na Câmara Municipal, para discutir a implantação da lei que regulamentará o uso do paredões de som (que tanto infernizam a vida dos cidadãos), em Fortaleza.Existe um projeto de lei do vereador Guilherme Sampaio, em tramitação na Câmara para coibir tal abuso.
Entenda a Lei do Paredão
Ø Fica condicionada à emissão de licença pelo órgão municipal competente a montagem de equipamentos de som automotivo cujos altofalantes não estejam voltados para o interior do veículo.
Ø Para conseguir esta licença, o proprietário do veículo deve enviar requerimento por escrito à autoridade competente, ao qual será anexada cópia autenticada do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo. Ele também deve comprovar a justa necessidade do equipamento de som para uso profissional.
Ø Também terão direito à licença os membros de associações de usuários de sons automotivos, que participam de competições e eventos culturais e desportivos do setor.
Ø Para conseguir a licença de que trata o tópico anterior, terão de ser atendidas as seguintes exigências: somente serão reconhecidas as associações formalmente constituídas e cadastradas no poder público municipal, na forma que dispuser regulamento desta lei e, ainda, os associados deverão passar por curso de educação ambiental, desenvolvidos por entidades reconhecidas pelo poder público municipal, com carga horária não inferior a 15 (quinze) horas.
Ø O deslocamento do equipamento licenciado deverá ser feito obrigatoriamente com o mesmo desligado e protegido com capa acústica, a qual deverá cobrir integralmente os cones dos altofalantes, sob pena de revogação da licença e aplicação de multa. Fica obrigatória a condução da licença nos veículos com equipamentos licenciados.
Ø Os donos de veículos com equipamentos sonoros já instalados em desconformidade com a presente lei, terão o prazo de 120 (cento e vinte) dias para regularizar a situação perante o órgão municipal competente, a partir das exigências e condições estabelecidas pela Lei do Paredão.
Um detalhe: os empresários do setor estão se mobilizando para derrubar o projeto.
Portanto, vamos à luta em busca do sossego!

21 de fev de 2010



Orgulho de uma família sobralense

O jornal O Povo - matéria do repórter Bruno Balacó- resgatou a história da família do patinador Florent Amodio, cearense adotado ainda bebê por um casal de franceses e que representou o país europeu nas Olimpíadas de Inverno.
Foram quase dezoito anos de vazio e ausência de qualquer informação. De repente, o nome de que todos falavam na TV e nos jornais nos últimos dias pôs fim ao silêncio. Francisco Thiago dos Santos, menino pobre nascido na maternidade da Santa Casa de Sobral, no dia 12 de maio de 1990, criado no primeiro ano de vida em uma humilde casa da periferia da cidade, ressurgiu. Agora como uma nova identidade: Florent Amodio, o jovem de 19 anos que participou das disputas da patinação artística nas Olimpíadas de Inverno de Vancouver, no Canadá, esta semana. Demorou um pouco para a ficha cair, mas o garoto comentado por todos era o filho que a sobralense Delfina Antônia dos Santos teve que abrir mão um dia. O Povo foi a Sobral, distante 250 quilômetros de Fortaleza, e resgata em primeira mão as raízes do patinador franco-brasileiro. Na cidade, encontrou a família de Florent Amodio. E a mãe relembrou o momento da difícil escolha de entregar o filho para adoção.
``Eu era mãe solteira (o pai da criança morava em Fortaleza e morreu há sete anos) que não trabalhava e que dependia da irmã. Tinha outros dois filhos. Uma ainda mamava e outro já estava mais grandinho, forte. E o Thiago era o que mais precisava de uma vida melhor. A única saída foi entregá-lo para alguém criar``, rememora Delfina, de 38 anos, que hoje trabalha como merendeira em uma distribuidora de cigarros da cidade. A irmã que ela cita, Rosa dos Santos, hoje com 50 anos, foi quem cuidou de tudo. Encontrou no fórum do município a advogada Fátima Torres, que mediou todo o processo de adoção. E o perfil de Thiago batia exatamente com o que um casal de franceses procurava: um menino com pouco mais de um ano. Depois de concluídas as apurações sobre o passado dos interessados na criança, o processo avançou até culminar na guarda provisória. Chegava então o momento mais difícil: a despedida. Momento doloroso Um momento doloroso, mas necessário. ``Foi para o bem dele. Se não tive ido hoje ele seria no máximo um balconista de loja aqui. Graças a Deus ele teve uma boa criação e é isso que todo mundo está vendo``, diz, sem arrependimentos, a mãe do atleta famoso. A tia Rosa, que ganha a vida vendendo bilhetes de loteria, também recorda esse momento. ``O Thiago não entendeu o que acontecia, mas aceitou o que a gente pediu a ele: -Vá-. Esses são os seus novos pais``, revive a tia, que hoje, assim como família, comemora a ascensão do filho ilustre de Sobral.