2 de abr de 2011



CINE SINGULAR – O curta do dia
Lar Doce Lar   
Sinopse
Num prédio de apartamentos, é possível observar a vida das pessoas. E com certeza, uma delas já foi sua vizinha!  
Gênero: Animação
Diretores:  CLÁUDIO ROBERTO & GORDEEFF
 Ano ;2004
 Ficha: Técnica
 Roteiro, Direção de Arte,  Animação e Edição de som CLÁUDIO ROBERTO & GORDEEFF Prêmios
 Melhor Animação em Vídeo no Festival de Vídeo de Teresina 2004   

 Festivais
 Anima Mundi 2004
Cordoba Animation Festival 2004
FAM - Florianópolis 2004
Jornada da Bahia 2004
Mostra o seu que eu mostro o meu 2004
   

1 de abr de 2011

Bolsonaro no dia da mentira
Vejam a sátira que a turma do eramos6 fez para “comemorar” o Dia da Mentira. Pegaram o polêmico vídeo do deputado Bolsonaro, exibido na última segunda-feira no programa CQC, mudaram as perguntas e respostas e deu esta salada toda: 

A lulu de sempre
Depois de 15 anos ter deixado as bancas, Luluzinha, personagem criada por Marjorie Henderson em 1935, está de volta em edições mensais com histórias clássicas. A editora  Ediouro comprou os direitos de publicação após o fim do contrato da Dark Horse/Classic Media com a Devir --responsável pelo lançamento de oito livros dedicados à turma entre 2004 e 2010, em preto e branco. O alvo certo neste retorno às bancas: colecionadores e admiradores da Lulu de sempre. 
Flamboyant demora a florar

De tão massacrado pela poluição ambiental, pois está encravado numa praça (na Cidade 2.000) toda tomada por feirantes, cercado por churrascarias e restaurantes  e respirando monóxido de carbono expelido pelos veículos, o vegetal flamboyant tem a sua floração seriamente prejudicada.  Pois, o normal é que as flores de cor vermelho-alaranjado desabrochem entre os meses de outubro e dezembro. Considerada uma das árvores mais bonitas do mundo, devido ao colorido intenso de suas flores, o flamboyant, que vejo constantemente, só bem recente começou a florir. E  sua copa, geralmente muito ampla, em forma de guarda-chuva, vem perdendo galhos.
Registrei as variações da árvore, a partir do mês de outubro quando ela já deveria começar a produzir muitas folhas e as primeiras flores:
Em outubro, do ano passado: pouco sinal de folhas e nenhuma flor
















Começo deste  ano 
















Só a partir do mês passado é que as flores começaram a preencher a copa

A primeira estação
A antiga sala de espera, outrora movimentadíssima
Pouca movimentação de trens (apenas uma linha Fortaleza/Caucaia com pouco mais 20 quilômetros) as locomotivas sucateadas, um transporte coletivo em degradação. Triste. Só o monumental prédio da Estação João Felipe, construído ainda no tempo do Império, se mantém soberano na história da ferrovia cearense. Passei ontem por lá e enquanto batia fotos, voltavam lembranças  mis. Muitas como aquelas das viagens de trem para Sobral, Crato, Juazeiro do Norte...Quando eu ia participar de comissões julgadores de festivais de música, dispensava viajar de ônibus ou de automóvel, só para me deleitar na janela do trem.  
Placa inaugural encabeçada pelo nome de  D. Pedro II

O ruge-ruge de gente correndo para pegar o trem. As paradas em cada estação...o apito avisando a partida... a cerveja (quente) acondicionada na mesa, dentro do buraco protetor e os copos  sincronizados com o bamboleio do trem, bailando de chegar às bocas sedentas. Retalhos de memórias.
O belíssimo painel pintado em pastilha, possívelmente  pelo artista Pamplona, pois não tem assinatura   


31 de mar de 2011

A preocupação do pai de
Chico Xavier


Invento cearense
Hoje, eu estava pesquisando sobre uma empresa fornecedora de energia elétrica que existiu aqui em Fortaleza, no século passado, a  inglesa Ceará Tramways Light, conhecida como Light, e que também cuidava dos bondes que circulavam pela cidade. E descobri uma charge sobre a capacidade de invenção do cearense. A história é a seguinte: os bondes andavam muito devagar e um cronista local sugeriu uma engenhoca montada sobre os burros e ser acoplada  aos bondes elétricos para aumentar a velocidade dos citados transportes coletivos. O tal protótipo estapafúrdio foi batizado de “sopramento mecânico dos burros”. A imagem acima, que trata da engenhoca animal foi reproduzida, com gozação, na revista carioca O Malho (ano XI, nº 522, pág. 46, arquivo do Instituto de Estudos Brasileiros, S.Paulo/SP).   
Se for cavalgar, não beba

30 de mar de 2011

Mino Carta afirma que jornais
 imploraram pelo golpe militar
O jornalista Mino Carta afirmou em entrevista ao programa Provocações, da TV Cultura, que os donos de veículo de comunicação do País apoiaram o golpe militar de 1964. Em conversa com o apresentador Antônio Abujamra, na atração que foi exibida na noite desta terça-feira (29/3), o criador e diretor de redação da revista Carta Capital afirmou que a mídia imprensa apoiou o golpe militar de 1964.
“A imprensa nativa no fim de 1963 implorando pelo golpe de 64, que é uma das grandes desgraças brasileiras. Acho que a maior desgraça é a escravidão, três séculos de escravidão, mas essa é uma desgraça muito grande. Eles (donos dos veículos de comunicação) queriam que os ‘milicos’ chegassem e assumissem o poder, em nome deles”, disse Mino.
Ao ser questionado por Abujamra que, depois de implantada a ditadura militar no Brasil, a “censura entrou” na imprensa, o diretor da Carta Capital declarou que “todos os jornais queriam o golpe e conseguiram”. Mino ainda comentou que o único veiculo impresso que chegou a ser censurado foi O Estado de S. Paulo, mas de forma “branda”.
“O Estadão passou a sofrer censura, mas uma censura muito branda. Uma censura que autorizava o Estadão a publicar versos de Camões (...) ou então, as receitas de bolo no Jornal da Tarde. Os demais jornais não foram censurados”, declarou o fundador da revista Carta Capital.
Para Mino, dizer que os jornais brasileiros foram censurados durante o período de ditadura militar “é uma piada, uma mentira. Uma mentira grossa”.
Fonte: Comunique-se





E o Ricardo Gama?



CINE SINGULAR – O curta do dia
O Quintal dos Guerrilheiros   
Sinopse
Durante o governo militar, três amigos se reunem no quintal de uma casa para destruir livros e discos suspeitos.
Gênero: Ficção
 Diretor: João Massarolo
 Elenco: Caio Blat, Cynthia Falabella e Rafael Primo
 Ano: 2005
 Local de Produção: SP
 Ficha Técnica
Fotografia Jacob Solitrenick Roteiro João Massarolo e José Saffioti Filho Som Direto Gabriela Cunha Direção de Arte Dárida Rodrigues Empresa produtora Glaz Cinema Edição de som Luiz Adelmo Produção Executiva Paulo Boccato e Mayra Lucas Montagem Milton Bíscaro e Verônica Sáenz Música Martin Eikmeier Informações cedidas por Kinoforum Adaptação de obra de José Saffioti Filho   
 Festival
 Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2005


Recebi da jornalista Joanice Sampaio

Festival de Cinema Digital e novas mídias

A organização do II FestCine Maracanaú -  Festival de Cinema Digital e Novas Mídias, recebe até  o dia 15 de maio de 2011, inscrições para as mostras competitivas de longas e curtas metragens, Mostra Rodolfo Teófilo e Mostra Novas Mídias.
Podem ser inscritos filmes e vídeos de qualquer país, estado brasileiro e de cidades do Ceará, produzidos a partir de 2009, finalizados no formato digital. Para a Mostra Rodolfo Teófilo, podem ser inscritos filmes e vídeos de realizadores da Região Metropolitana de Fortaleza, com duração de até 20 minutos. Na Mostra Novas Mídias, produções de até 05 minutos, realizadas em mídias digitais - câmeras fotográficas, celular, web cam, dentre outros.  
A  ficha de inscrição e regulamento estão no site www.festcinemaracanau.com.br
Para a primeira edição realizada em dezembro de 2010, a organização do festival recebeu mais de 500 inscrições de produções tanto nacionais quanto internacionais, oriundas de países como Argentina, México, Venezuela, Uruguai, Portugal e Chile, entre curtas e longas metragens e ainda produções em novas mídias, realizadas em celular, câmera digital e outros suportes. Destas foram selecionadas exibidas cerca de 80 produções.
O II Festcinemaracanaú é realizado pela Abraham Filmes Digitais e co-produzido pela Mungango Produções, sob a direção geral de Afonso Celso e produção executiva de Erivaldo Casimiro. Patrocínio da Coelce e Banco do Nordeste. Parceria do Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Cultura (Secult) e Governo Federal -  Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, Prefeitura Municipal de Maracanaú, Fundação Cultural de Maracanaú. 
Ficou devendo
Quase canonizado em vida, José Alencar morreu recusando o gesto que se espera de todo homem que não é canalha: fazer exame de DNA em ação de reconhecimento de paternidade. Renegou a filha mais velha e insinuou que a mãe, enfermeira de Caratinga, era “prostituta”.
(Coluna do Cláudio Humberto)
Deputado pede abertura
de processo contra Bolsonaro

O ex-ministro de Igualdade Racial e deputado Edson Santos (PT-RJ) apresentou há pouco ao presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), pedido de abertura de processo, por quebra de decoro, contra o colega Jair Bolsonaro (PP-RJ).
Segundo Santos, Marco Maia disse que dará prosseguimento ao processo encaminhando o caso à Corregedoria.
O pedido de Santos foi feito com base nas declarações do colega ao programa CQC, que foi ao ar, no último dia 28.
Ao ser questionado pela cantora Preta Gil se ele aceitaria que um filho se casasse com uma negra, Bolsonaro disse:
“Não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Não corro esse risco porque os meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu.”
Após a repercussão do episódio, Bolsonaro alegou ter entendido mal a pergunta. E que achava que se tratava de uma questão de um eventual namoro do filho com um gay.
Para o ex-ministro de Igualdade Social, os argumentos do colega não convenceram.
“A entrevista é muito clara.  A pergunta é muito clara. O deputado respondeu com muita segurança e de forma muito agressiva. Ou o deputado está tendo um ato de covardia ou precisa passar por um teste para verificar o grau de alfabetização”, disparou Santos.
Minutos antes de Santos apresentar o pedido de abertura de processo ao presidente Marco Maia, Bolsonaro se antecipou e entrou com um pedido no Conselho de Ética para que ele fosse ouvido sobre o episódio.
(Deu no blog do Noblat)
Caras é impedida de publicar
textos de atriz morta e fala
em “censura militar”

A Justiça obrigou a revista Caras a retirar de seu site os textos escritos pela atriz Cibele Dorsa, que morreu na madrugada de sábado (26/3), após cair da janela do prédio em que morava no bairro Real Parque, em São Paulo. A Polícia Civil registrou o caso como suicídio consumado. Em nota publicada em sua página oficial, a direção da revista compara a decisão judicial com as “épocas de censura da ditadura militar”.
"A edição impressa circulará esta semana tarjada como em épocas de censura militar, devido ao fato de que todo o material se encontrava em processo de impressão quando o mandado judicial chegou à editora", informa o comunicado, revelando que a edição impressa também não poderá citar as mensagens da atriz morta em São Paulo.
Conforme a ordem do judiciário, as mensagens envidas pela artista com exclusividade ao site de Caras, segundo informa a equipe do veículo, tiveram que ser retiradas da internet até às 8h desta terça-feira (29/3). O comunicado da revista ainda informa que os textos de Cibele foram enviados à redação “minutos antes de seu trágico final”.
“Informamos que Caras, por acreditar na plena liberdade de expressão contida na Constituição Federal desse país, e em respeito a seus leitores e internautas, perseguirá a liberação dos textos e nomes que foi obrigada a aqui retirar e impedida na sua edição impressa de mencionar, apresentando os recursos cabíveis”, informa a nota publicada no site da revista Caras.A reportagem tentou contato com a revista Caras, para saber o motivo da ação judicial, mas a direção do veículo não foi localizada.
(Fonte: Comunique-se)

29 de mar de 2011

Contra Bolsonaro, Preta Gil vai  ao MP, 
à âmara e pede indenização
Marcela Rocha do Terra
A cantora Preta Gil entrará com uma representação junto ao Ministério Público contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), pedindo que apurem crime de intolerância racial e homofobia. Em entrevista para o programa CQC, ao responder se aprovaria o relacionamento de seu filho com uma negra, o parlamentar disse que "não corria o risco" por que eles foram "muito bem educados" e não viveram num ambiente "como lamentavelmente" era o dela. 
Já na manhã desta terça-feira (29), menos de 12 horas após veiculada a entrevista, o deputado retificou suas afirmações, dizendo que não tinha entendido a pergunta.
Eu entendi que ela me perguntou o que eu faria se meu filho namorasse um gay (...) Se eu tivesse entendido assim (da forma como a pergunta foi feita), eu diria: 'meu filho pode namorar qualquer uma, desde que não seja uma com o teu comportamento'. Se eu fosse racista, eu não seria maluco de declarar isso numa televisão - afirmou para Terra Magazine.
Segundo o advogado da cantora, Ricardo Brajterman, pretendem entrar também com uma ação por danos morais. O valor será afixado pelo juiz, que vai levar em conta o potencial ofensivo. No entender de Brajterman, o potencial foi "de grande conta". A indenização também leva o caráter pedagógico punitivo, para que desestimule o agressor a cometer esse tipo de conduta.
- Quando ela viu a matéria, chorou, ficou perplexa. Abalou bastante, porque ela defende os negros, e sempre tentou enaltecer a posição do negro na sociedade. Quando ela viu um parlamentar com esse tipo de postura, chocou porque vai contra todo o trabalho que ela, o pai dela e o restante da família, sempre fizeram.
Além das medidas críminais e cíveis, Preta Gil pretende notificar a Câmara dos Deputados, tanto a Comissão de Direitos Humanos quanto a de Ética, para que interpelem o deputado e apurem falta de decoro. "Foi uma atitude incondizente com a de um parlamentar dentro de um país democrático, onde o princípio maior é dignidade humana", diz o advogado.
Veja a entrevista polêmica: 



CINE SINGULAR – O  curta do dia
Fiat Lux
Sinopse
  O que é aquilo ali? A imaginação pode pregar peças quando se está desprotegido. Como os seus temores podem forçá-lo a soluções inesperadas.
Gênero: Animação
 Diretores: Claudio Roberto e Gordeeff
 Ano: 2000
 Local de Produção: RJ
 Ficha Técnica
 Produção, Roteiro e  Animação Claudio Roberto e Gordeeff Edição de som Claudio Roberto   
  Festivais
Anima Mundi 2000
CineSul 2002
Festival Internacional de Animação de Seul 2002
Animanit- Festival de Animação de Niterói 2003
FAM - Florianópolis Audiovisual Mercosul 2001
Festival online Shorts-Welcome 2002
Jornada de Cinema da Bahia 2000
Mostra Cine 8 2001
Mostra Animatron 2001

Defendendo a irmã, Caetano Veloso
diz que Veja  aderiu ao “linchamento” 
de Maria Bethânia

Da Redação do Comunique-se
O cantor e compositor Caetano Veloso atacou a imprensa pela polêmica envolvendo sua irmã Maria Bethânia que no começo do mês foi criticada por ter recebido autorização do Ministério da Cultura para captar R$ 1,3 milhão na criação de um blog com 365 vídeos em que interpretaria poesias.
“Aliás, a 'Veja' (não, Reinaldo, não danço com você nem morta!) aderiu ao linchamento de Bethânia com a mesma gana (...) A 'Veja' logo pôs que Bethânia tinha ganho R$ 1,3 milhão quando sabe-se que a equipe que a aconselhou a estender à internet o trabalho que vem fazendo apenas conseguiu aprovação do MinC para tentar captar, tendo esse valor como teto. Os editores da revista e do jornal sabem que estão enganando os leitores”, disse em sua coluna no jornal O Globo, publicada neste domingo (27/3).
Além da Veja, Caetano também criticou a Folha de S. Paulo, que divulgou a notícia em primeira mão. "A 'Folha' disparou, maliciosamente, o caso. E o tratou com mais malícia do que se esperaria de um jornal que - embora seu dono e editor tenha dito à revista "Imprensa", faz décadas, que seu modelo era a "Veja" - se vende como isento e aberto ao debate em nome do esclarecimento geral”.
Caetano citou os jornalistas Ricardo Noblat e Mônica Bergamo, que também divulgaram a polêmica de Bethânia. “Certos jornalistas precisam sentir na pele os danos que causam com suas leviandades. Toda a grita veio com o corinho que repete o epíteto 'máfia do dendê', expressão cunhada por um tal Tognolli, que escreveu o livro de Lobão, pois este é incapaz de redigir (não é todo cantor de rádio que escreve um 'Verdade tropical'). Pensam o quê? Que eu vou ser discreto e sóbrio? Não. Comigo não, violão”, contestou.

Exemplo japonês

Os japoneses começam a se recuperar dos estragos que o terremoto causou no país. Uma foto mostra o antes e depois de uma estrada que liga Tóquio às cidades que sofreram com o tremor. Em apenas seis dias foram reconstruídos 150 metros de rodovia.
Enquanto isso na Fortaleza Bela...



Do Português para o Espanhol

Dica do  leitor Leonardo C., publicado no blog Não salvo
Blog da Bethânia ainda em cartaz
Vejam aí como o  intrépido comediante Bruno Motta em seu  StandUp  comenta a história do blog de 1,3 milhão de reais da cantora Maria Bethânia.

28 de mar de 2011

Bombou na web
na semana passada

Uma das brincadeiras favoritas na internet brasileira é sacanear a banda de rock teen Restart. Agora foi a vez do grupo de humoristas Galo Frito, de Santa Catarina, sucesso no YouTube. Os atores se fantasiaram com calças curtas e coloridas e cantaram a paródia de um dos maiores sucessos dos meninos, “Recomeçar”. “Eu não sou gay, mas beijo rapaz/Porque assim vai vender mais/CD para o público teen”, cantam os humoristas na canção “Aviadar”. A brincadeira rendeu 300 mil acessos.



Um atirador russo conhecido como Dmitri teve quase 3 milhões de acessos em três dias com um vídeo em que mostra sua habilidade com armas de fogo. O alvo em questão foi um console Xbox que, segundo Dmitri, estava defeituoso e o irritava. Os primeiros disparos foram com revólver. Depois, alguns tiros de escopeta. A massa disforme de metal restante foi explodida com uma bomba. No fim do vídeo, como sempre faz, o russo recomenda: “Tenham um bom dia”.


 Os evangélicos membros da Assembleia de Deus, uma das mais antigas congregações pentecostais do Brasil, agora podem se encontrar virtualmente em uma rede social semelhante ao Facebook, com direito a chat ao vivo e perfil com fotos e vídeos. A Comunidade AD só recebe pessoas que provam vínculo com a igreja e o serviço só pode ser aproveitado em sua totalidade mediante o pagamento: R$ 14,95 por mês.



Um vídeo feito durante uma das muitas enxurradas provocadas pela chuva em São Paulo mostra uma jovem sendo carregada pelas águas e sendo salva com a ajuda de moradores. Ela chocou-se contra um carro e foi resgatada depois de escorregar por mais de 100 metros de água. Segundo o autor do vídeo, sofreu apenas escoriações e passa bem. Teve 250 mil acessos.



Cerca de 1 milhão de internautas assistiram a uma patética briga entre mulheres no metrô de Nova York. O motivo: uma delas estava comendo macarrão dentro do vagão e a outra achou um nojo. Os tapas e puxões de cabelo foram interrompidos por outros usuários.

Fonte: revista Época


CINE SINGULAR – O curta do dia
Eh Pagu, eh!  
Sinopse
O filme conta um pouco da vida e da obra de Patrícia Galvão, a Pagu. Casada com Oswald de Andrade, participou do Movimento Antropofágico. Jornalista, escritora e tradutora, entre outras coisas, ficou presa por quase cinco anos durante a ditadura Vargas por ser militante do PCB.
Gênero: Documentário
 Diretor: Ivo Branco
 Elenco: Aldo Bueno, Clodomiro Bacellar, Edith Siqueira e Julio Calasso
 Ano: 1982
 Local de Produção: SP
  Ficha Técnica
Produção Rebeca Mc Mello Fotografia José Roberto Sadek Roteiro Ivo Branco Som Direto Guga Bandeira Direção de Arte Adão Pinheiro Câmera e José Roberto Sadek Narração Ivo Branco, Raul Cortez, Ênio Gonçalves e Julia Pascale Assistente de Produção Claudia Andrea Fajuri, Cristina Winter Pesquisa Fotográfica Ivo Branco, Vladimir Sachetta e Paulo César De Azevedo Montagem Francisco Magaldi 
 Prêmios
Melhor Curta no Festival de Brasília 1982
Melhor Roteiro de Curta no Festival de Brasília 1982
Prêmio Estímulo no Secretaria de Estado da Cultura/SP 1982

Segredo exposto
Na imagem, tirada na Universidade de Birmingham (Inglaterra), Fiona aparece de costas, ajeitando seu vestido em uma quadra de tênis, com bolinhas de tênis no chão

Hoje, Fiona aos 53 anos de idade

Durante a exposição Aurt on Canvas (Quadra na Tela, em português), entre os meses de maio  setembro deste ano, no Barber Institute of Fine Arts, em Birmingham, na Inglaterra, um mistério de 35 anos será revelado oficialmente: o nome da mulher que aparece na famosa foto que percorreu o mundo. Naquela época, Fiona Walker tinha 18 anos e incentivada por seu namorado Martin Elliot, a jovem decidiu participar de uma sessão de fotos. Com o boné do pai, um vestido emprestado e uma raquete, Fiona foi à quadra de tênis e compôs a clássica cena.
O namorado vendeu a foto para a maior empresa de pôsteres da Inglaterra. A tiragem e as libras passaram de 2 milhões. A personagem da foto, hoje aos 53 anos idade,  porém, nunca foi remunerada.



Praça Dia da Mentira
Autoridades fortalezenses  têm a mania de rebatizar nomes de escolas, praças, ruas, avenidas etc. Agora
a pendanga é por conta da mudança de denominação da Praça 31 de Março, na praia do Futuro. Enquanto a Prefeita fala em Praça do Futuro, o projeto de lei do vereador João Alfredo  determina mudança do nome do referido logradouro público para Praça Dom Hélder Câmara. As duas denominações querem  extirpar o 31 de março, data comemorada pelos militares, como o início da chamada revolução que derrubou o governo civil de João Goulart, em 1964. Deixando preferências ideológicas de lado, o fato é que “Praça 31 de março” já está na memória do povo, e certamente aquele logradouro continuará a ser chamado pelo nome original, independente de qualquer outro nome que venha a ter. Caso contrário é o da Av. Beira-Mar e Av. Leste-Oeste, pois ambas foram oficializadas como Av. Presidente Kennedy e Av. Presidente Castelo Branco, respectivamente. Só que o povo ignorou as determinações oficiais. O caso agora é diferente, mas na essência  são similares, vendo pelo viés da consagração do nome "31 de Março" ao longo dos anos, na boca do povo.
Grande bobagem essa discussão de trocar o nome da “31 de Março”, pois na verdade cristalina, o golpe militar não foi deflagrado naquele dia, e sim no dia seguinte: 1º de abril , conforme pesquisas de vários historiadores. Então, baseados em fatos históricos, pode-se acrescentar mais uma sugestão de mudança de denominação  para o logradouro: Praça Dia da Mentira.
Joaquim Cruz e as chances do
Brasil na próxima Olimpíada
Em entrevista à revista Veja desta semana, o mítico medalhista de ouro dos Jogos de 1984, Joaquim Cruz,  fez duras críticas sobre as possibilidades do Brasil na próxima Olimpíada, que acontecerá em 2016 , no Rio de Janeiro. Para ele, hoje morando nos Estados Unidos, as chances do Brasil na competição morreram antes mesmo de nascer. Joaquim Cruz disse que será muito difícil para as novíssimas promessas subir ao pódio nos Jogos de 2016, pois é tarde demais. “Se deixarmos de ser tão insanos e usarmos a criatividade, com muita sorte poderemos prepará-los para a Olimpíada de 2020”, vaticinou.
Vejam abaixo o feito memorável de Joaquim Cruz (com apenas 21 anos) que venceu a prova de 800 metros nos Jogos de Los Angeles, com novo recorde de 1min43s.