3 de fev de 2012

CINE SINGULAR - O Curta do dia

 Novela
Sinopse
Novela é um segmento do horário sagrado em que o país inteiro espera as cenas do próximo capítulo.
Gênero: Animação
Diretor: Otto Guerra
Ano: 1992
Local de Produção: RS
Ficha Técnica
Produção Flávia Seligman Roteiro Otto Guerra e Adalgisa Luz Edição Pedro Oliveira Animação Tadao Miaqui Câmera Otto Guerra, Paulo Ferreira, Adalgisa Luz e Daniel Uriart Figurino Analisa Luz Música Geraldo Flach, Ricardo Severo e Chico Ferretti Cenários Tadao Miaque, Eloar Guazelli  e Paula Mastroberti Arte Final Marilia Pirillo, Cláudia Barbisan, Janice Cunha, Janice Calvete, Alexandre Kickhöfel e Carla Magalhães
 Prêmios
Melhor Curta - Júri Popular no Festival de Cinema de Gramado 1993
Prêmio Especial do Júri no Festival de Cinema de Gramado 1993
Prêmio de Incentivo Itaú no Festival de Guarnicê 1996
Troféu São Luís no Festival de Guarnicê 1996
2º Lugar no Festival de Havana 1993
Melhor Curta no Rio Cine 1993

Faz parte do jogo

Depois de fazer a cesta que garantiu a vitória do Pinheiros sobre o Flamengo no campeonato do NBB (Novo Basquete Brasil), o norte-americano Shamell Stallworth foi entrevistado por um repórter do Sportv que resolveu colocar em prática o que aprendeu no curso de inglês. À toa. (Kibeloco)




As melhores fotos do mundo

O concurso recebeu mais de 110 mil imagens de 171 países. Serão premiados novos profissionais e veteranos. Acima, uma tempestade se forma sobre o Parque Nacional Nadlands, em Nebraska, EUA. Foto: ©Mitch Dobrowner, Estados Unidos, Classificado Categoria Profissional - Paisagem

Em um ensaio fotográfico, Roberto Soares-Gomes mostrou os preparativos para o lançamento de uma plataforma privada para a extração de petróleo profundo do Brasil. ©Roberto Soares-Gomes, Brasil, Classificado Categoria Profissional - Campanha



Erdene Tuya, de 29 anos, leva uma ovelha até um lugar mais quente e seguro para seu rebanho, na Mongólia. A imagem faz parte da série 'Migrantes ambientais: a última ilusão'. Foto: ©Alessandro Grassani, Itália, Classificado Categoria Profissional - Assuntos Contemporâneos


2 de fev de 2012

Pedro Bó continua vivo

Antigamente quando alguém fazia perguntas bobas e imbecis, de imediato era chamado de Pedro Bó, personagem também bobão que contracenava com Chico Anísio que fazia o papel do mentiroso Pantaleão, na TV Globo. Recentemente, um repórter da Globo na cobertura da tragédia dos edifícios, no Rio de Janeiro, lembrou o antigo personagem televisivo.
Confiram:
A arma
 Luís Fernando Veríssimo
Nessa discussão sobre baixarias na TV e a má qualidade generalizada do que vai ao ar, ninguém se lembra que toda casa brasileira — pelo menos toda casa brasileira com TV — tem uma arma eficaz de autodefesa. É uma arma poderosa. Com ela se cala a boca do político embromador e do apresentador gritão, se elimina o programa que choca ou desagrada e o troca por outro, se chega até, em casos extremos, a cortar a força do aparelho ofensivo e silenciá-lo, para sempre ou por algum tempo, para aprender. E tudo isto sem sair da poltrona.
O nome da arma é Controle Remoto. É movida a pilhas e cabe na palma da mão. Não é uma invenção muito antiga. (Sim, crianças, houve um tempo em que para ligar e desligar a TV ou mudar de canal você precisava sair do sofá e ir até lá. Inconcebível, eu sei.).
Mas minha neta começou a usar o controle remoto antes de começar a andar, e pelo menos duas gerações se criaram usando-o sem se dar conta da mágica que tinham nas mãos. O poder de mover as coisas à distância e comandar o mundo sem precisar sair do lugar é uma ambição humana desde as primeiras bruxas, mas as gerações que se criaram com ele usam o CR com a inconsciência de um cachorro brincando com uma bola de césio.
Se não se dão conta do seu poder mágico, muito menos se dão conta de que o CR é uma arma. Porque o CR também representa essa outra coisa potente que temos para nos defender das agressões da TV: o livre arbítrio. A capacidade de decidir por nós mesmos. De procurar uma alternativa, outro canal, ou o silêncio. Em vez de dizer "isto deveria ser proibido" e incentivar, indiretamente, a censura, e negar o direito dos outros de gostarem de porcaria, deveríamos exercer, soberanamente, a liberdade de escolha do nosso dedão.
(Publicada hoje,quinta-feira, no blog do Ricardo Noblat)

Pra esquecer, mesmo

Comentário meu: nós cearenses tivemos um janeiro terrível, logo no começo do mês, por causa da greve dos policiais militares que provocou arrastões, comércio fechado, ruas desertas, as pessoas em casas com medo de até abrir portas...foi um janeiro para esquecer mesmo.

1 de fev de 2012

CINE SINGULAR - O curta do dia

Minhocas
Sinopse
Quando a criança está pronta para perguntar, os adultos podem não estar preparados para responder. O dilema do questionamento, enfrentado por pais e filhos, é o assunto dessa família de minhocas, na qual o Júnior está crescendo e ainda não conseguiu do pai, da mãe e do avô nenhuma resposta convincente para uma questão que não para de intrigá-lo: por que é proibido cavar para cima?
Gênero: Animação
Diretor: Paolo Conti
Ano: 2006
Local de Produção: SP
Ficha Técnica
Produção Joana Lúcia Bocchini Fotografia Paulo de Tarso Roteiro Paulo de Tarso Edição Arthur Medeiros Nunes Direção de Arte Policarpo Graciano Animação Paolo Conti Som Fuego Sonoro Cenografia Policarpo Graciano Co-direção Arthur Medeiros Nunes Storyboard Laurent Cardon, Paolo Conti  
 Prêmios
Melhor Animação - Júri Popular no Curta-se - Festival Luso-Brasileiro de Curtas Metragens de Sergipe 2006
Melhor Vídeo pelo Júri Popular no Curta-se - Festival Luso-Brasileiro de Curtas Metragens de Sergipe 2006
Melhor Curta Infantil no Anima Mundi 2006
Melhor Animação no Granimado Festival Brasileiro de Animação 2006
Excelência no JVC Tokyo Video Festival 2006
Melhor Animação no Festival de Varginha 2006  
Festival
Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2006

Calcinhas pro Wando


Fãs do Wando estão "lavando" suas calcinhas e mandando para o cantor que está com problemas cardíacos, hospitalizado num CTI, em Minas. Via internet, mulheres de todo país estão apoiando a recuperação do artista, enviando fotografias de calcinhas suas para o Tumblr (álbum virtual de fotos), desejando recuperação do ídolo. O nome da campanha é:
Lavei pro Wando". Confira no http://laveiprowando.tumbr.com/. Caso alguma leitora desta blog e fã do Wando,  queira mandar fotos de calcinhas, fortificando ainda mais a corrente pró recuperação dele, aqui vai o endereço eletrônico: laveiprowando@gmail.com
Confiram algumas peças:

A bunda da Rita Lee

Às vésperas de se aposentar, a vovó do rock brasileira, Rita Lee, está aprontando por onde anda. Em Aracaju, foi parar na delegacia por conta da confusão com policiais em pleno show. Agora,aparece no You Tube, um vídeo feito em Saquarema, RJ, onde ela abaixou as calças e mostrou a bunda  bem branquinha  para a plateia.

31 de jan de 2012

A emoção do repórter

A vida de repórter não é só narrar os fatos e ter que ficar indiferente ao drama dos outros. Registrar notícia, às vezes com frieza. Repórter também é humano. O repórter Mauro Wedekin, da Rede Record, se emocionou durante cobertura da reintegração de posse da comunidade no Pinheirinho, em São José dos Campos (SP).
Mauro  se emocionou durante entrevista com famílias que deixaram o local, e ao ver uma criança parada em meios aos escombros, não conseguiu segurar a emoção e virou as costas para o câmera, sem conseguir terminar a reportagem.
Vejam o vídeo:


Amar é...

29 de jan de 2012

Relembrando Carla Perez

O deputado Túlio Isac (PSDB) deu uma deCarla  Perez quando certa vez disse que "I" de escola e "E" de isqueiro, durante uma sessão na câmara de Goiás. Querendo ser irônico com manifestantes afirmou que uma das faixas a palavra Exigimos estava escrita cerrada por tinha "G"...
Vejam:

Dilma e os cubanos

Amanhã, segunda-feira, a presidente Dilma Roussef, estará em Cuba,, em visita oficial, e poderá ser um passo importante para o Brasil marcar posição diante da ditadura cubana, principalmente, por não cumprir leis universais dos direitos humanos e da liberdade de expressão. Dilma tem chance de fazer o que Lula não fez, quando esteve na ilha como presidente, virando as costas para temas de direitos humanos. Em Cuba, Lula recebeu uma carta aberta da blogueira  Yoani Sanchez, pedindo que sensibilizasse os irmão Castro, Fidel e Raul. Nada fez. Aliás, fez pior, ao "lamentar" a morte do dissidente Orlando Zapata Tamoyo, debilitado, após 85 dias sem comer, Lula comparou presos políticos cubanos a prisioneiros comuns no Brasil.
Agora é a vez de Dilma mostrar que com ela a coisa é diferente. E já começou. Por exemplo, com relação a blogueira Yoani, o governo brasileiro já concedeu visto de entrada à blogueira, impedida de sair de Cuba desde 2004. Há expectativa de que Havana faça sua parte e autoriza a saída dela   para vir ao Brasil para assistir ao documentário Conexão Cuba - Honduras, do cineasta baianoDado Galvão. É aguardar.
Confiram o trailer do filme :

CINE SINGLAR - O curta do dia

O Gigante do Papelão
Sinopse
O documentário que conta a história da arte do artista plástico Sergio Cezar e seu poder de transformação. Sergio, também conhecido como o Arquiteto do Papelão, usa materiais descartados e lixo, para recriar casas, favelas e cidades inteiras.
 Gênero Documentário
Diretor a Barbara Tavares
Ano 2010
Local de Produção: RJ
  Ficha Técnica
Produção Barbara Tavares e Life as Cinema Co-produção Lobo Filmes Fotografia Rodrigo Rueda Terrazas Roteiro Barbara Tavares, Luana Lobo Edição Frandu Almeida e Rodrigo Rueda Terrazas Direção de produção Luana Lobo Produção Executiva Barbara Tavares Fotografia still Sheila Emoingt Pós-produção Groovy Filmes Microfonista Washington Carvalho e Francisco Tavares Música Selva Social e Santo Imprevisto Trilha Sonora Fala Brasil Entrevistados Sergio Cezar e Robson de Sousa Coordenador de produção Washington Carvalho Coordenação de Trilha Sonora Rebeca Dacoll

Bombou na web nesta semana

Barata no tênis
A coragem de uma jovem assistente de quadra mereceu aplausos no campeonato de tênis Australian Open. O tenista alemão Cedrik-Marcel Stebe apontou uma barata no piso e pediu providências. Ela correu, cercou o inseto e pegou-o com a mão, apesar do nojo natural.


Meu primeiro hardcore
Juliet tem apenas 8 anos e ama seus peixinhos e seu cachorro. Fez uma letra de música fofa a respeito, mas se encheu de atitude e criou um rock pesado para ela, com a ajuda de um amigo da família. Não faltam roqueiros e roqueiras nas redes sociais querendo adotar a menina.


Violonista e o toque de celular
Lukáš Kmiť, um violinista, fazia sua apresentação numa igreja ortodoxa da Eslováquia quando foi interrompido por um celular tocando na plateia. Teria tudo para se irritar, mas não. Com bom humor, começou a reproduzir no violino a musiquinha irritante do aparelho.


Obama canta Al Green
O presidente americano, Barack Obama, surpreendeu o público quando, durante um evento para arrecadar doações de campanha, cantou o verso inicial de “Let’s stay together”, sucesso de Al Green. Resultado: o homem mais poderoso do mundo sabe cantar.

Fonte:revista Época

FÁBULAS FABULOSAS: O GATO E A BARATA

A baratinha velha subiu pelo pé do copo quase cheio de vinho, que tinha sido largado a um canto da cozinha, desceu pela parte de dentro e começou a lambiscar o vinho. Dada a pequena distância, que nas baratas vai da boca ao cérebro, o álcool lhe subiu logo a este. Bêbada, a baratinha caiu dentro do copo. Debateu-se, bebeu mais vinho, ficou mais tonta, debateu-se mais, bebeu mais, tonteou mais e já quase morria quando deparou com o carão do gato doméstico que sorria de sua aflição, no alto do copo.
− Gatinho, meu gatinho – pediu ela –, me salva, me salva.
 Me salva que assim que eu sair eu deixo você me engolir inteirinha, como você gosta. Me salva.
− Você deixa mesmo eu engolir você? – disse o gato.
− Me saaalva! – implorou a baratinha. – Eu prometo.
 O gato virou o copo com uma patada, o líquido escorreu e com ele a baratinha que, assim que se viu no chão, saiu correndo para o buraco mais perto, onde caiu na gargalhada.
− Que é isso? – perguntou o gato. – Você não vai sair daí e cumprir sua promessa? Você disse que deixava eu comer você inteira.
− Ah, ah, ah! – ria então a barata, sem poder se conter. – E você é tão imbecil a ponto de acreditar na promessa de uma barata velha e bêbada?
 Moral: Às vezes a auto depreciação nos livra do pelotão. (Millor Fernandes)